Produtores de Chicago Fire explicam recente baixa no elenco

CUIDADO: Esta matéria contém spoilers do episódio exibido no dia 21 de abril.

 

 

Chicago FirePara quem está em dia com Chicago Fire já sabe que um membro do elenco original se despediu da série no episódio do último dia 21: trata-se de Peter Mills (Charlie Barnett), que deixou o Batalhão 51 para abrir um restaurante na Carolina do Norte com a família.

Continua após a publicidade

Enquanto Barnett não fará mais parte do elenco regular da série, os telespectadores ficaram aliviados pela sua saída não ter envolvido qualquer morte, deixando assim uma abertura para um possível retorno no futuro.

Em reportagem ao TV|Line, o produtor Matt Olmstead falou sobre a difícil decisão em dizer adeus ao personagem, novos rostos e o que significou o beijo com Dawson.

Olmstead explicou que na sala dos roteiristas há um quadro com a foto de todos os personagens e eles sempre se atentam a cada um, certificando de que contém histórias frescas e que não fiquem estagnados. “Era hora de agitar as coisas”, disse o produtor. “Ele é uma pessoa incrível, um ator fantástico, nos deu tantas coisas diferentes, mas foi isso”. Entretanto, garante que foi difícil dizer adeus: “Eu tenho um carinho muito grande por Charlie. A pior parte do trabalho é quando você tem que deixar alguém ir. Eu não tenho nenhuma dúvida sobre as perspectivas de sua carreira; ele vai se dar muito bem”.

Sobre sua saída não envolver nenhuma morte, Matt garantiu que não foi por conta de nenhuma resposta a saída fatal de Shay, sendo apenas uma decisão criativa por caminhos diferentes, o que deixa aberto a possibilidade do personagem retornar em alguma história, apesar de não existir nada planejado.

Sobre o beijo que acontece em sua despedida, o showrunner garante que foi uma surpresa para Dawson. “Você para e percebe, como este sentimento pode não estar ali? Eles eram um casal, estavam em um caminho… Normalmente quando um parte, a outra fica com estes sentimentos persistentes. O significado foi, ‘me chame se precisar de mim'”.

Para finalizar, sobre a introdução de novos personagens, Olmstead diz que, “leva algum tempo para aquecerem uma nova pessoa. Eles trabalham juntos, 24 horas, como uma família. Mills estava lá desde o início, então eles não mudarão de marcha rapidamente”.

A reta final da temporada de Chicago Fire está sendo exibida todas as terças nos EUA pela NBC. No Brasil, ela é exibida pela Universal Channel.

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

6 comments

Add yours
    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 22 abril, 2015 at 12:59 Responder

      Oi Moniquete, qual marketing? Não temos nenhum em cima do texto, apenas a fonte da notícia e a tag do Chicago Fire. Não temos nenhum marketing em cima do texto!

      • Avatar
        Gabriel Muller 24 abril, 2015 at 04:01 Responder

        Eu acesso o site pelo o iPad e realmente a parte lateral do texto se mistura com as notícias ao lado, dificultando a leitura. Apesar disso, o site é nota 10! ?

  1. Ana Maria De Oliveira Fernande
    Ana Maria De Oliveira Fernande 24 abril, 2015 at 02:43 Responder

    Francamente, foi uma decisão acertada. Olhando para o background dos personagens, havia muito tempo que o Mills não agradava mais (pra muitos, nunca agradou). O fato dele sair da série sem ser em um caixão só reforça o fato de que pode sim ter mais algum plot envolvendo o personagem.

  2. Avatar
    Leonardo Mendes 16 novembro, 2015 at 22:29 Responder

    Quando a VW parou de fabricar a Brasília, em 82, um executivo da marca lançou a frase “mataram o carro errado… o certo seria o Fusca, que saiu de linha 4 anos depois.
    Agora troque “Brasília” por Shay, “Fusca” por Peter Mills e “carro” por personagem.

    Esse aí nunca me desceu, desde o primeiro episódio… personagem mais chato que palhaço em festa de criança, ainda bem que acordaram pra realidade (tarde) e mandaram andar.

  3. Avatar
    Eliete Rodrigues 17 junho, 2020 at 18:28 Responder

    Para mim, foi um dos personagens que mais gostei. Inteligente, amigo e muito competente no que fazia. Gostaria muito que Peter Mills voltasse para o Chicago Fire.

Post a new comment