Radioactive: a difícil verdade por trás do filme da Netflix

teste de subtitulo para ver o que dá.

Radioactive verdade trás filme

Filme da Netflix, Radioactive tem verdade por trás da história

Radioactive é o filme de mais novo sucesso no catálogo da Netflix. A atração narra a vida da química polonesa Marie Curie – que faz a maior parte de seu trabalho direito.

Continua após publicidade

Nascida Marie Skłodowska, ela se mudou para Paris no início da década de 1890 e se casou com o físico francês Pierre Curie. Trabalhando independentemente, mas ainda juntos, o casal descobriu os elementos polônio e rádio. Além disso, Marie também cunhou o termo “radioatividade” (o “Radioactive” do título”. Mas infelizmente não entendeu completamente os efeitos colaterais de sua pesquisa.

Continua após a publicidade

Esse filme virou um fenômeno no catálogo da Netflix, e ele se inspira num livro homônimo de Lauren Redniss de 2010.

Continua após publicidade

No elenco, temos Rosamund Pike como Marie e Sam Riley como Pierre. E eles são a alma do longa.

Dinâmica interessante

Além disso, o filme estabelece as circunstâncias do encontro inicial dos sujeitos, juntamente com a preferência de Marie por trabalhar sozinha.

Continua após publicidade

Quando Pierre desenvolve um eletrômetro de quadrante que permite resultados específicos durante o teste de “pitchblende” (agora conhecido como uraninita), os Curie mergulham em anos de trabalho que acabam ganhando o Prêmio Nobel de Física de 1903.

Radioactive verdade trás filme
Imagem: Divulgação.

Tragicamente, porém, Pierre morre no ano seguinte, depois de escorregar em uma rua parisiense e ser atropelado por uma carruagem. A partir disso, Radioactive explora os esforços de Marie para ser reconhecida por suas realizações individuais e também detalha todo o escrutínio da mídia e xenofobia que ela experimentou.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

A verdade por trás do filme

No geral, Radioactive ajusta verdades históricas em favor da narrativa econômica. Mas o filme se atém principalmente aos fatos. Logo, temos histórias que se modificam. Igualmente, também temos momentos idênticos a realidade.

Por exemplo, Satrapi faz com que Marie e Pierre se encontrem em uma rua parisiense. Aparentemente para prenunciar a morte do último. Mas na verdade, os químicos focais foram apresentados pelo físico Józef Wierusz-Kowalski.

Radioactive também implica que Pierre construiu um eletrômetro de quadrante após conhecer Marie. Quando na verdade ele desenvolveu a tecnologia vários anos antes com seu irmão. E o filme também cria um falso conflito ao sugerir que Marie não viajou com Pierre para Estocolmo para receber o Prêmio Nobel.

Mas na vida real, nenhum dos dois foram em 1903, mas mais tarde fizeram a viagem em 1905.

Radioactive acerta os anos parisienses de Marie

A maior parte de Radioactive ocorre entre 1891 e 1906. Como o artigo via Screen Rant menciona, anteriormente, Satrapi toma algumas liberdades criativas ao mostrar como Marie e Pierre se conheceram. Mas as sequências subsequentes sobre o relacionamento dos químicos se baseiam em muitos fatos reais.

Imagem: Divulgação.

Marie, por exemplo, realmente precisava de um lugar maior para trabalhar. E, por fim, compartilhou um laboratório com Pierre conforme eles se aproximavam.

As sequências da pesquisa mostram o casal ficando doente (o que é factualmente preciso). Além disso, o filme também faz referência ao fato de que a Real Academia Sueca de Ciências não planejou homenagear Marie com o Prêmio Nobel. A primeira filha do casal, Irene, nasceu em 1897. E a segunda filha, Ève, em 1904.

Da mesma forma, Radioactive usa o físico francês da vida real Gabriel Lippmann (Simon Russel Beale) para explicar o relacionamento de Pierre com Marie. O filme começa com Lippmann, o professor de Marie, pedindo a ela que saia e afirmando: “Não podemos mantê-la da maneira que você precisa.“.

Este momento prepara convenientemente o primeiro encontro de Marie com Pierre em uma rua parisiense. Aproximadamente 15 anos depois, Pierre acaba morrendo em uma rua parisiense, o que configura o reencontro profissional de Marie com Lippman, embora após uma breve exposição.

Radioactive segue principalmente uma estrutura narrativa de 15 anos antes de incorporar saltos no tempo significativos.

O que ficou de fora?

A maioria dos filmes biográficos históricos abrem com a educação dos personagens e os anos de formação. No entanto, Radioactive os ignora completamente. Isso não é necessariamente uma coisa ruim, já que o filme é claramente estruturado para focar no relacionamento de Marie e Pierre.

A fim de pelo menos reconhecer a infância de Marie na Polônia, várias sequências de flashback envolvendo sua falecida mãe são usadas. Tudo isso, para estabelecer as motivações do personagem. A irmã de Marie também aparece para destacar ainda mais as raízes polonesas dos personagens. E, da mesma forma, para reforçar os desejos e necessidades de Marie.

Radioactive verdade trás filme
Imagem: Divulgação.

Ainda assim, os espectadores do filme da Netflix podem estar curiosos sobre o tempo de Marie na Polônia. Bem como todos os fatores sociopolíticos que moldaram sua visão de mundo.

Por exemplo, os pais de Marie desempenharam um papel importante em sua educação. Isso porque eram professores que ensinavam ciências aos três filhos. Na verdade, Marie Curie se formou no ensino médio aos 15 anos. Pouco antes de partir para Paris, ela se apaixonou por um amigo da família chamado Kazimierz Żorawski, que viria a se tornar um matemático proeminente.

Marie acabou indo embora para a França porque a Universidade de Varsóvia não aceitava mulheres. E também porque sua faculdade polonesa, a Flying University, teve que mudar de localização geográfica para oferecer educação superior às mulheres.

Ligação com Albert Einstein

Radioactive termina com um epílogo. E ele faz referência a Albert Einstein. Só que você notou que o filme não o identifica pelo nome?

Em 1927, a verdadeira Marie Curie apareceu em uma foto de grupo com o icônico físico alemão na Conferência Internacional Solvay. E esse é um detalhe muito importante. Só que tem mais.

Eles supostamente se encontraram pela primeira vez 16 anos antes. Aliás, no mesmo evento. E Einstein, mais tarde, defenderia Curie. Tudo isso, quando ela recebeu comentários ruins. Em 1921, ele ganhou o Prêmio Nobel de Física, quase duas décadas depois de Curie ganhar o mesmo prêmio com o marido e Henri Becquerel. Conforme retratado em Radioactive, Curie também ganhou o Prêmio Nobel de Química em 1911.

Imagem: Divulgação.

Einstein pode aparecer de forma mínima no filme para manter o foco nas realizações de Curie, mas a verdade é que eles se conheciam na vida real.

O legado de Marie Curie

Radioactive destaca o legado de Marie Curie de duas maneiras únicas. Enquanto a história principal envolve Pierre, o filme faz questão de mostrar o que há de bom e de ruim no trabalho de Marie Curie. Por exemplo, Radioactive mostra uma criança do futuro sendo tratada de câncer. Mas também mostra os efeitos devastadores de uma bomba atômica, especificamente aquela que os Estados Unidos lançaram em Hiroshima em 1945. 

Certamente, essa é uma história envolvente. E por isso, está fazendo tanto sucesso na Netflix. Não para menos, o filme está no Top 1 geral no Brasil. Bem como, ganhou muitas visualizações ao redor do mundo.

E então, você gostou do filme? Ficou curioso com a verdadeira história? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.

REVER GERAL
Muito bom