Retrospectiva: relembre 10 polêmicas de 2018 no mundo das séries

Imagem: Variety/Youtube/fox/abc/Divulgação

Continua após a publicidade

Demissões, confusões e histórias controversas marcaram as polêmicas de 2018

2018 está bem próximo de seu fim, e pode-se dizer que foi um ano de controversas. Polêmica atrás de polêmica, os fãs de séries viveram momentos agitados. Por conta disso, resolvemos listar alguns desses momentos em uma espécie de retrospectiva.

Embora nem todos os momentos estejam aqui, destacamos alguns dos principais. Confira.

 

10 – Demissão de Clayne Crawford em Maquina Mortífera

Clayne Crawford acabou sendo demitido de Máquina Mortífera, após supostas alegações de mal comportamento nos sets da série, envolvendo ataques de raiva. Entretanto, a história tomou outros rumos quando veio a público que, parte da agitação, teria partido do outro colega de elenco Damon Wayans. Fontes próxima aos dois, que trabalharam na série, garantiram que Wayans criou uma confusão para que Crawford fosse demitido, e parasse de ofuscá-lo na série. Mas ficaremos sem saber o que, de fato, aconteceu.

Imagem: FOX/Divulgação

9 – Disparidade salarial em The Crown

Em 2018 ficamos sabendo que a Rainha da Inglaterra não foi tão bem paga assim. Pelo menos em The Crown. É que veio a público que a atriz Claire Foy teria recebido menos que o seu colega de elenco Matt Smith, pelas duas temporadas de The Crown que estrelou. Detalhe: mesmo tendo mais tempo de tela. A justificativa dada pela Netflix? Smith era mais conhecido do que Foy na época da contratação. Mesmo com as estrelas colocando panos quentes, a situação pegou mal. No final das contas, a atriz recebeu uma indenização da Netflix.

Imagem: Netflix

8 – O caso do pagamento no assédio de Bull

Desde a derrocada de Harvey Weinstein, que culminou com a venda da The Weinstein Company, uma empresa não tinha sido tão afetada com escândalos sexuais como a CBS em 2018. Revelou-se recentemente que a emissora fez um pagamento milionário para Eliza Dushku, após acusações de assédio contra o protagonista de Bull, Michael Weatherly. Para piorar, Leslie Moonves, o então presidente do canal e agora executivo desgraçado, pessoalmente cuidou da suposta transação para manter a atriz em silêncio.

Bull

Imagem: CBS/Divulgação

7 – Racismo de Roseanne e criação de The Conners

Roseanne Barr deve ver 2018 como seu pior e melhor ano. Por um lado ela lançou a comédia de maior audiência da televisão americana deste ano com impressionantes 5.2 no demográfico alvo. Contudo, uma declaração racista feita contra uma ex-assessora do ex-presidente Barack Obama fez com que a série fosse cancelada em questão de horas. Para previnir a demissão de centena de funcionários, a ABC lançou um spin-off, The Conners, que passou longe do sucesso da sua antecessora. Roseanne, entretanto, caiu nas garras do esquecimento e foi para algum buraco de onde não deve sair tão cedo.

Resultado de imagem para roseanne abc

Imagem: ABC/Divulgação

6 – Decisão de June no final de The Handmaid’s Tale

The Handmaid’s Tale, em si, é um caminhão de polêmicas. A série não poupa esforços para mostrar, de forma explícita, a escravização da mulher em um futuro despótico. Porém, após toda as lutas da protagonista vivida por Elisabeth Moss, June acabou tendo a oportunidade de conseguir escapar no final da segunda temporada. Entretanto, no último segundo, resolveu ficar por conta da filha que tem ali, vivendo com uma família tirana. Controverso, ou não, o final deu o que falar e dividiu os fãs – alguns deles, alegando que iam deixar de assistir a série por conta disso. Afinal, teve sentido nesse desfecho?

Imagem: Hulu/Divulgação

5 – Cancelamento de B99 e Lucifer – e posterior resgate

A reestruturação visada pela FOX para seu futuro sem um estúdio próprio fez com que a emissora cancelasse séries aclamadas pelo público, apesar da audiência modesta. Logo após o anúncio começou uma longa campanha para salvar Lucifer e Brooklyn Nine-Nine. Ambas bem sucedidas, por sinal. A primeira foi parar na Netflix enquanto a outra foi para NBC, mostrando que além de fortes, as produções têm grande demanda internacional.

Resultado de imagem para LUCIFER BROOKLYN NINE

Imagem: FOX/Divulgação

4 – A transformação de Patty em Insatiable

Insatiable não só pegou o título de uma das piores séries de 2018. Ela também teve a infeliz ideia de passar para o público que para emagrecer é preciso apenas apanhar de um homem, ficar internada três meses se alimentando por uma sonda, que então a vida da pessoa vai virar de cabeça para baixo – em um bom sentido. História de extremo mau gosto, que só piorou essa produção.

Imagem: BBC/Divulgação

3 – Vídeo de Kevin Spacey em resposta aos assédios

Bizarro em tantos níveis. Kevin Spacey incorporou seu personagem corrupto de House of Cards, Frank Underwood, em um “vídeo resposta” sobre as acusações que ele recebeu de assédio sexual. O ator ficou mais de um ano fora da mídia, e resolveu aparecer agora, em uma gravação nada feliz. Não é assim que você vai conquistar perdão, Spacey.

Imagem: Youtube/Reprodução

2 – Cena de estupro e o final de 13 Reasons Why 2

Não contente em polemizar com uma cena explícita de suicídio na primeira temporada, 13 Reasons Why retornou em 2018 chamando atenção com outra questão: a exibição de uma cena explícita de estupro. Não satisfeita, ela ainda deixou um final em aberto, no sentido de glorificar aqueles que entram armados em escolas, para atirar. E ainda conseguiu ser renovada. Nos perguntamos, como?

Imagem: Netflix/Divulgação

1 – Demissão das atrizes de Grey’s Anatomy

Talvez uma das maiores polêmicas de 2018, a demissão das atrizes de Grey’s Anatomy pegaram todos de surpresa. Era algo inesperado. Jessica Capshaw (Arizona) e Sarah Drew (April) foram desligadas da série, com a “desculpa” de razões criativas. De acordo com a roteirista, Krista Vernoff, “não havia mais histórias para ela”. Entretanto, a versão “não oficial” é que o dinheiro estava curto para bancar salários astronômicos, e a solução era cortas as atrizes mais caras. Sobrou para Capshaw e Drew. Enquanto isso, a protagonista Ellen Pompeo conquistou um salário de 20 milhões de dólares por temporada. Mas a produção garantiu que nenhum caso está ligado com o outro. Será?

Imagem: ABC/Divulgação

 

Leia também: Confira quais foram as 10 melhores séries de dramas de 2018

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours