Ringue Mix: Confronto de aço

 Ringue-Mix-Superman

 

Superman é um dos heróis mais icônicos e populares do mundo. Uma das estrelas principais do universo DC Comics, o personagem, que surgiu nos quadrinhos, já ganhou diversas adaptações televisivas e cinematográficas.

Na televisão, duas produções sobre o homem de aço fizeram sucesso e caíram no gosto do público. Uma delas foi Lois & Clark: The New Adventures Of Superman (ou também As Novas Aventuras do Superman), que foi sucesso em meados dos anos 90. Na década seguinte veio então Smallville (graças ao SBT, aqui no Brasil ganhou um complemento chamado As Aventuras do Superboy), mostrando uma outra visão dele.

Continua após a publicidade

Vamos lá então, que o Ringue Mix promete uma batalha daquelas.

 

De Um Lado Do Ringue

Lois & Clark: The New Adventures Of Superman

4 temporadas (1993-1997)

88 episódios

Criada por Deborah Joy Levine

lois-and-clarkA história tem início em meados dos anos 60, quando o casal Jonathan e Martha Kent encontram uma nave espacial em um campo da cidade em que eles viviam, Smallville. Nela estava um bebê que eles decidem adotar, e o batizam de Clark Kent. Após isso há uma passagem de vinte anos, e o personagem acaba de se mudar para a cidade de Metropolis, arranjando um emprego no jornal “Planeta Diário”. Nesse emprego ele tem que lidar com um chefe áspero, o editor Perry White, mas consegue fazer amigos, como o fotógrafo Jimmy Olsen e a jornalista Cat Grant. Porém o coração de Clark acelera ao conhecer Lois Lane, jornalista que tem status de estrela. Apesar de se apaixonar pela moça, ela o vê como uma praga, porém ao ser salva por Superman, alter ego do rapaz, ela acaba tendo uma queda pelo herói. Sob o disfarce de um jornalista todo desajeitado, Clark Kent utiliza disso para usar sua identidade secreta para salvar a cidade de Metropolis de grandes vilões, como Lex Luthor.

 

Do Outro Lado Do Ringue

Smallville

10 temporadas (2001-2011)

218 episódios

Criada por Alfred Gough e Miles Millar

lois-and-clark-smallvilleDiferente da sua rival, Smallville tem o contexto parecido, porém o seu início se passa em 1989. O casal Jonathan e Martha Kent sofrem um acidente de carro, após uma chuva de meteoros que atinge a pequena cidade do Kansas. É nesse momento que a vida deles sofre uma grande reviravolta, quando um pequeno garoto salva a dupla. Doze anos se passam, e Clark é um jovem diferente dos demais da sua idade. Tímido e inteligente, o garoto possui uma paixão platônica por sua vizinha Lana Lang, além de guardar um grande segredo de todos, que apenas seus pais sabem. Tudo que ele quer é ser normal igual aos outros, o que faz com o jovem tenha momentos de rebeldia vez ou outra, e Jonathan e Martha protegem o filho com todas as forças para que ninguém jamais saiba dos poderes que ele tem. Uma nova reviravolta acontece na família Kent, quando Clark é atropelado pelo playboy milionário Lex Luthor, e salva o rapaz de um afogamento. Esse é o momento que a história começa a se desenrolar e o garoto começa a descobrir coisas sobre seu passado, além de novos poderes, habilidades, tendo sempre que fazer de tudo para manter seu segredo em total sigilo.

 

fight-300x169

Dois lados de Clark Kent explorados de forma totalmente opostas. Em Smallville o foco não é o Superman em si, mas a forma como o personagem chegou até seu alter ego. Sabíamos que em algum momento o protagonista se tornaria o icônico herói, mas para os produtores isso era apenas um mero detalhe, pois de todas as adaptações do homem de aço, nenhuma explorou todo o processo que Clark levou até aderir a tão famosa capa vermelha.

Vimos que por trás de um herói destemido, o personagem tinha suas vulnerabilidades, incerteza e diversos dilemas, algo comum já para um adolescente no auge dos seus 16/17 anos, ainda mais quando se possui super poderes os quais não podem ser revelados para as pessoas. Que Clark precisou aprender e muito, quebrar a cara, ter apoio de seus pais adotivos, entender sua verdadeira origem, descobrir seus poderes, pontos fortes e fracos e o principal: se aceitar como é, algo que foi um grande para o protagonista durante quase os dez anos de série.

Em Lois & Clark, por sua vez, Clark Kent já era um herói por completo, e precisava de um disfarce para se infiltrar na cidade de Metropolis e combater o crime através de seu alter ego. Assim como nos filmes estrelados pelo saudoso Christopher Reeve, o ator Dean Cain conseguiu distinguir tranquilamente o super herói do atrapalhado jornalista do Planeta Diário. Apesar de ambas as séries, pelo menos no começo, abordar o “vilão da semana”, a atração dos anos 90 tinha um enredo muito mais leve que sua rival.

Enquanto em Smallville no meio de tantos elementos relacionados à mitologia do Superman, o drama era mais intenso, Lois & Clark por sua vez apostava em um gênero mais leve e descontraído, destacando-se em momentos de comédia entre a dupla protagonista, e os icônicos personagens secundários, além também do clima de romance. No prequel do homem de aço, o romance também foi uma das marcas registradas em seus dez anos de existência, porém 70% de seu tempo com outra garota. Lana Lang sempre foi citada como o primeiro amor de Clark Kent, mas nenhuma das adaptações do cinema e da TV exploraram a personagem afundo, foi aí que Smallville viu a oportunidade de explorar principalmente a evolução amorosa de seu protagonista.

Lois Lane foi escalada para aparecer apenas nos primeiros episódios da quarta temporada, mas devido ao sucesso da mesma, ela acabou se tornando recorrente e na temporada seguinte se tornando regular, entrando então para o elenco fixo. O ponto positivo em Smallville é que eles não atropelaram a história da personagem, e Lois também teve sua evolução mostrada, e um lado seu jamais visto em qualquer adaptação já feita até hoje, até então chegar finalmente ao posto de protagonista feminina e trabalhando no Planeta Diário, no oitavo ano da série.

Com tais levantamentos, acho que está na hora de eu dar meu veredito final, certo?

 

E o vencedor é…

Ambas as séries são divisoras de opiniões aos fãs de Superman e toda sua mitologia, pois apesar de possuírem contextos parecidos, suas histórias são abordadas de formas extremamente diferenciadas. Lois & Clark é ótima, tem um texto leve, a química entre Dean Cain e Teri Hatcher é icônica, sendo, na minha opinião, a melhor dupla de todas as adaptações. Eles tinham carisma, química, e são sempre lembrados até os dias de hoje. Porém se pararmos para pensar, há muitos desfalques no roteiro, algo que também tem em sua adversária, mas aqui em questão são coisas que é de se questionar durante horas como, por exemplo, o fato de Jonathan Kent esbanjar saúde, sendo que em qualquer história do homem de aço, o pai adotivo dele morre bem antes dele assumir seu fardo.

Smallville, por sua vez, é mais intensa, subestimada e ousada. Pelo seu tempo de exibição, ela soube mostrar melhor o surgimento de grandes vilões das HQs, não teve medo em mostrar a ascensão de Lex Luthor para seu lado maquiavélico, e muito menos em inserir uma jovem Lois Lane, quando mal passava pela cabeça de Clark Kent em se tornar um herói que protegeria a cidade de Metropolis, entre outras coisas. E parecia que, quanto mais fúria havia por parte dos xiitas, mais eles exploravam novas histórias.

Mesmo tendo distorcido algumas informações e ordens cronológicas, levando muitos fãs de Superman à revolta, Smallville foi fiel com seu propósito do começo ao fim. Muita coisa ali foi desnecessária, talvez teria até chance de ter no máximo sete temporadas de duração, se pegarmos para tirar todos os desperdícios apresentados. Mas uma coisa ninguém pode negar, nenhuma outra adaptação vai se aprofundar tanto na história de Clark Kent igual ela. Tom Welling não foi nenhum Dean Cain, e muito menos Christopher Reeve, mas também está longe de ser um Brandon Routh, e ele conseguiu sim dar conta do recado durante os dez anos em que encarnou o personagem principal.

Sendo assim, acho que já dá para saber quem ganha essa batalha, não é mesmo?

 Smallville-Wins

Lois & Clark tem todo o seu direito em pedir revanche!

Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours