Ringue Mix: duelo entre prisões

Ringue-Mix-Orange-Oz

 

O Ringue Mix de hoje não possui inocentes.

Os dramas focados na vida de presidiários são sucessos de crítica e público há tempos, trazendo humanidade para criminosos, pessoas que muitas vezes pensamos que perderam exatamente essa característica após parar atrás das grades. A curiosidade com essa nova vida em sociedade, as histórias, os romances, a violência, tudo isso apresentado com uma crueza que impressiona e hipnotiza.

Continua após a publicidade

Colocamos frente a frente os dois presídios mais famosos do mundo das séries, a prisão de segurança máxima Oswald State Correctional Facility, e a penitenciária de segurança mínima Litchfield, ambientes protagonistas das séries Oz e Orange is the new Black, respectivamente

OS COMPETIDORES

De um lado do ringue…


OZ HboOz

6 temporadas (56 episódios)
1997-2003
Criada por: Tom Fontana

Primeira produção de 1h da HBO, a série tinha como proposta mostrar o cotidiano da prisão de segurança máxima Oswald, também conhecida como “Oz”. Eram mostradas todas as subdivisões da prisão, como o corredor da morte. Ainda assim, o foco mesmo era Emerald City, uma unidade experimental que tinha como proposta aumentar o convívio entre os presos. Oz tinha como principal marca o realismo presente em suas cenas, incluindo temas como sexo, violência e consumo de drogas.

 

Do outro lado do ringue…

Orange-Is-The-New-Black-Cast-Background-Season-2Orange is the New Black
4 temporadas (52 episódios)
2013 – atualmente.
Criada por: Jenji Kohan

Baseada na história real de Piper Kier, a série se desenvolve ao redor da história de Piper Chapman, representante da classe média alta de Nova York, que é condenada a cumprir 15 meses numa prisão feminina federal por ter participado do transporte de uma mala de dinheiro proveniente do tráfico de drogas 10 anos antes, a pedido de sua ex-namorada, Alex Vause, que é peça importante num cartel internacional de drogas.

 

Com 10 anos separando o fim de Oz e o início de Orange Is The New Black, notamos muitas semelhanças entre as duas séries. Focadas no sistema prisional e na diversidade de pessoas que perdem seus anos de vida dentro de presídios, as duas séries possuem roteiros incríveis, ousados e muito interessantes.

Outra semelhança entre as duas é a qualidade de produção, Oz é da HBO e ganhou todo aquele cuidado que só o canal referência traz para seus produtos. Já Orange é a segunda produção original do Netflix, serviço on demand que é o queridinho de todos atualmente, e que investe muito nos seus produtos.

Focadas principalmente na violência, nenhuma das séries tem medo de mostrar a crueza da vida de seus personagens. Mas é no modo como as histórias são contadas que vemos com mais clareza a diferença das duas séries.

Oz era narrada por um de seus detentos, Augustus Hills (com exceção da última temporada, em que vários presos narraram episódios). Na maioria das vezes, o narrador usa exemplos de assuntos totalmente diferentes aos temas abordados na série, ou seja, à primeira vista essas narrações podem parecer confusas e sem lógica, entretanto as mensagens passadas se encaixam perfeitamente com o que acontece dentro dos muros de Oz.

Orange não tem narração, mas cada episódio é contada a história de uma das detentas e, seremos sinceros, isso é o que torna a série mais interessante (pelo menos no início).

As duas séries possuem qualidades e defeitos. Depois que três temporadas incríveis, Oz virou um novelão sem muito sentido, que focava na luta entre gangues e pouco se aprofundava nas vidas de seus interessantíssimos personagens. As cenas de violência e estupro continuavam acontecendo, agora apenas gratuitas, apenas chocantes, mas sem desenvolvimento.

Orange desde o início sofreu com a pouca expressividade de sua protagonista. Podemos culpar sim a atriz, mas é melhor pensarmos a verdade, que a história ficcionada de Piper, uma riquinha com um clareamento dentário perfeito, não é tão interessante quanto as histórias de qualquer outra pessoa que freqüente aquele presídio.

Ainda assim, Orange tem muito mais louros que Oz, principalmente pela riqueza de histórias que frequentam aquele presídio. A criatividade para o roteiro ainda não acabou, e a série está sempre se reinventando, tocando em pontos importantes como a homofobia, estupro, racismo e ódio. Mas será que Oz não merece levar essa exatamente por ser a pioneira e por ter quebrado tantas barreiras?

E o vencedor é…

 

Concordaram com o resultado? Será que Orange é mesmo melhor que Oz? Aguardamos os comentários de vocês.

Letícia Bastos

Letícia Bastos

Publicitária, social media, mangaká e dançarina em protestos. Também sou apaixonada por séries e admito que novelas são meu Guilty Pleasure. Apaixonada por comédias cult/pop/nerd, ainda pretendo fundar uma seita para os Adoradores de Arrested Development. Aqui no Mix sou editora de Realitys Show e escrevo as reviews de todos os realitys do mundo, como Masterchef BR, The X Factor UK e BR, The Voice US, AUS e BR, BBB e RuPauls Drag Race.

No comments

Add yours