Ringue Mix: os plantões médicos em Seattle e Chicago

Imagem: Mix de Séries (ABC/NBC/Divulgação)

PAGE CARDIO! A Ringue Mix de hoje está de plantão em dois hospitais diferentes, mas muito conhecidos. Depois de anos, já vimos séries médicas estrearem, serem canceladas, perderem seu brilho e algumas que nem passaram do piloto. Hoje eu convido a todos a participar de uma luta muito esperada.

Como referência na área, temos Shonda Rhimes, a idealizadora de Grey’s Anatomy como conhecemos. Após 13 anos no ar, a dramática série teve pontos fortes, fracos, bons e ruins, sempre mantendo seu posto. Mas será que quando comparada com outra série do mesmo segmento, ela não fica para trás? Ainda mais quando essa outra série, faz parte das criações de Dick Wolf, que está cada vez mais em ascensão? Sua oponente hoje é a nova, mas muito querida… Chicago Med!

Continua após a publicidade

OS COMPETIDORES

De um lado do tatame…

Imagem: ABC/Divulgação

Grey’s Anatomy
13 temporadas (292 episódios)
2005 – atualmente
Criada por: Shonda Rhimes

Conhecida nas noites da tv brasileira como “A Anatomia de Grey”, Grey’s Anatomy foi criada por Shonda Rhimes em sua estreia na ABC. A série mostra como a vida pessoal e profissional dos médicos do Seattle Grace Hospital se desenrola em meio a seus plantões e casos. Semanalmente, são apresentados pacientes novos que acabam ensinando alguma lição àqueles médicos, sempre regidos pela voz de nossa querida Meredith.

 

Do outro lado…

Chicago Med

Imagem: NBC/Divulgação


2 temporadas (41 episódios)
2015 – atualmente
Criada por: Dick Wolf, Matt Olmstead e Andrew Dettmann

Segundo spin-off de Chicago Fire, a série médica veio para somar junto à suas irmãs. Acompanhando o dia a dia de alguns médicos e enfermeiras do Chicago Medical Center, junto aos bombeiros e policiais já conhecidos, conhecemos novos pacientes, lições a serem aprendidas, além, é claro, da dose de drama que vem de brinde.

De início temos a ambientação e fotografia das séries. Chicago tem vistas bonitas e muito potencial, mas parece que os produtores optam por ignorar isso. A série se passa apenas dentro do hospital, que é agradável mas não oferece diversidade. Dificilmente vemos alguma paisagem da cidade que tem tanto a oferecer. Enquanto Grey’s Anatomy, ainda captura paisagens que nos levam a Seattle, como o Obelisco presente quase sempre. E claro, não ficamos sempre presos ao hospital, o que muitas vezes, acaba por renovar a história.

Se pro um lado, Grey’s ganha nesse quesito, Chicago Med sai na frente no critério novidade. A série de Dick Wolf, por ter apenas 2 temporadas até agora, tem a chance de inovar e apresentar coisas nunca vistas no show antes, já Grey’s que caminha para o seu 14º ano, já teve de tudo (e quando eu digo tudo, é tudo mesmo), o que dá a impressão de que quando a história se repete, como o triângulo entre Mer, Nathan e Maggie, nunca chegará aos pés do original, protagonizado pela médica com Derek e Addison.

Além disso, Med tem uma trama bem amarrada. Não costuma deixar pontas soltas, mas consegue manter a ansiedade pelo ótimo trabalho feito. É claro que Shonda não deixa a desejar, mas infelizmente, quando já se viu o melhor de uma série, é difícil aceitar menos do que isso, e é claro que me refiro à última temporada apresentada do drama veterano.

Com o a corrida quase empatada, temos um ponto muito importante: o elenco. É fácil contar nos dedos quantos personagens de Med são queridos. Infelizmente, a série peca de forma brutal no que diz respeito a eles, a maioria não passa empatia e não nos faz querer vê-los mais tempo em cena, claro, exceto alguns como o Dr. Charles, Sarah, Maggie e Will (de vez em quando), O que acontece no sentido contrário em Grey’s Anatomy, desde o início de sua existência. Os personagens de Seattle sempre tiveram aquele quê a mais, sem explicação, nos identificamos muito mais com Meredith do que com Natalie.

Claro que tivemos uma melhora significativa na segunda temporada de Chicago, no que pese contra a temporada fraquíssima de Grey’s em seu 13º ano. As duas séries tem falhas e pontos muito fortes, quem será que leva a melhor?

Ao analisarmos elas, não demoramos muito para encontrarmos um vencedor.

Aqueles que acompanham os dramas médicos ao longo do tempo, percebem a evolução presente nas duas séries. Temos os defensores de Dick Wolf aqui, mas também temos aqueles que amam odiar a Shondanás. Com muitas mortes, curas, traições, amizades, superações, estamos diante de duas séries com muito potencial. Uma que já mostrou de tudo e agora tenta arduamente se reinventar, outra que não mostrou muito, mas o que demonstrou, não deixou a desejar, além da infinidade de possibilidades extras, afinal, está só no começo. Chicago apostou no amadurecimento dos médicos, relacionamentos improváveis, doenças graves e aceitação no que diz respeito a situações difíceis. Por outro lado, Grey’s, que já nos mostra isso desde 2005, tem encontrado muitos percalços no caminho.

Sem mais delongas, vamos ao vencedor!

E o vencedor é…

Resultado de imagem para grey's anatomy logo

Ainda que, após todos esses anos, enfrentemos reinvenções de Shonda Rhimes, não conseguimos largar a mulher. Grey’s demonstra que a qualidade de uma série é só dela, ainda que alguns (ou muitos) personagens não estejam mais lá. Após todas essas voltas que o carrossel dá, ele nunca para de girar.

E vocês o que acham, será que Dick Wolf tem mais potencial de Shonda Rhimes? Deixa sua opinião aqui pra gente!

Avatar

Gabriela Scampini

Paulista, estudante de Direito e geminiana. Apaixonada por livros e séries, mesmo sem ter tempo pra nenhum dos dois. No Mix, escreve a coluna #MixAudiência, além das reviews de American Crime Story, Black Mirror, Chicago Fire e The 100.

No comments

Add yours