Sense8 – 1×02 – I Am Also A We

sense8102

Imagem: Arquivo pessoal

Continua após as recomendações

 

Episódios piloto, livros e filmes de origem geralmente são prejudicados pela obrigação de explicar e apresentar a trama e personagens ao público. É natural. Não é à toa que muitas produções se mostram confusas em suas primeiras partes. Sense8 teve um bom episódio piloto, mas é inegável que o excesso de informações e novos nomes deixaram o resultado final sobrecarregado e estranho. O segundo capítulo, porém, é praticamente impecável.

Continua após a publicidade

Os roteiristas vão ao caminho oposto da lógica e acabam ousando. Como comentei na primeira review, é normal que as séries desenvolvam os personagens separadamente, cada um em um episódio diferente. I Am Also A We prova o estilo de Sense8: apresentar e desenvolver quase todos os personagens ao mesmo tempo. Nas mãos de roteiristas e diretores menos experientes, essa vontade de falar sobre tudo e todos poderia ser um problema. Com os Wachowski e companhia, porém, a decisão torna-se interessante. É incrível como o episódio, em pouco mais de 50 minutos, consegue falar sobre vários assuntos de forma satisfatória.

É claro que alguns personagens ocupam mais tempo de tela, enquanto dois deles nem aparecem (Sun e Capheus não dão as caras). Ainda assim, fiquei muito contente com a forma como Nomi, Lito e Will apareceram neste segundo capítulo. Até mesmo Kala, que mal apareceu no piloto, tem uma ótima “estreia” na série. Por falar nela, aliás, preciso abrir um parêntese para elogiar o brilhantismo da cena de dança que ocorre na festa tipicamente indiana. Além das cores vivas que se destacam, Andy e Lana Wachowski compõe uma sequência tecnicamente impecável. Ainda que possa parecer deslocada do restante do episódio, a cena é muito bem filmada e nos mostra um show de edição. Os diretores prestam um ótima homenagem à Bollywood e mostram que seriam capazes de realizar um ótimo musical.

As cores vivas e a sequência de dança, inclusive, são características do núcleo indiano. Isso nos revela a inteligência dos diretores em compor cada núcleo de uma maneira diferente. Enquanto a Índia surge colorida, a Seul da Coréia do Sul surge azulada e com estilo mais sóbrio inclusive no modo como a câmera é utilizada. Perceba, por exemplo, como as cenas de Lito têm uma pegada típica das novelas mexicanas. É só no núcleo mexicano que os diretores utilizam zooms, diálogos exagerados e dramalhão típico de novela. O momento em que Lito fala “Precisamos conversar, tenho algo para lhe dizer”, lembra muito os momentos decisivos de qualquer folhetim mexicano. Não é à toa, também, que Will, o americano, seja um policial honrado e honesto, típico personagem de filmes e séries norte-americanas (principalmente procedurais que envolvem investigações, mistério e perseguição, justamente o que vemos no núcleo de Will).

Essa metalinguagem é genial: na Índia os diretores brincam com as cores e o estilo de Bollywood, no México eles mexem com a pegada novelesca, nos EUA há o estilo heroico de filmes e séries, na Inglaterra de Riley há o estilo underground e indie, na Coréia do Sul teremos sequências de lutas típicas do país e da cultural local. Não há como realizar um projeto em oito cidades diferentes sem brincar e trabalhar com as características e a cultura de cada lugar.

Com o fim do segundo episódio fica a certeza: o povo por trás de Sense8 não está preocupado com a ficção científica ou com cenas de ação, mas com o lado humano de cada personagem e as relações interpessoais. No fim, não precisamos nos importar com mentes conectadas e toda a complicação científica da coisa. O que importa é o drama de cada personagem e as adversidades que eles encontram no caminho. Se continuar assim, Sense8 tem tudo para superar expectativas.

#Sense1: Today, I march to remember that I’m not just a me. I’m also a we. We march with pride.

#Sense2: Toda a cena envolvendo Lito, o namorado e a tarada é muito engraçada e relevante para o desenvolvimento do personagem.

#Sense3: Sun e Capheus precisam aparecer de uma vez. Todos os personagens estão avançando e não sabemos quase nada sobre dos dois.

#Sense4: Qual o seu sensate favorito? Minha favorita por enquanto é Nomi.

Tags Sense8
Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours