Sense8 – 1×04 – What's Going On?

sense8

Imagem: fuckyeahteacuphuman.tumblr.com

Continua após as recomendações

 

O quarto episódio de Sense8 será lembrado como aquele com todos cantando a mesma música. Muitos relacionaram a pequena sequência musical a Glee. Mas vamos deixar algo claro: a belíssima cena de Sense8 está muito mais próxima da sequência musical do filme Magnólia, de Paul Thomas Anderson, do que qualquer momento da série criada por Ryan Murphy. Caso você não tenha assistido, ou não conheça o filme, Magnólia basicamente é sobre vários personagens comuns, cujas vidas se cruzam em maior ou menor grau. Em certo momento do longa-metragem, os personagens principais cantam a mesma canção. O que vimos em Sense8 é tão parecido que só posso chegar a conclusão de que os Wachowski e o diretor Tom Tykwer prestaram uma homenagem à obra de Anderson. Na série, a cena alcança quase o mesmo objetivo catártico que no filme. De qualquer forma, What’s Going On? é um ótimo episódio como um todo, mas caso seja lembrado apenas pela cantoria, que assim seja, pois é um momento impecável.

Continua após a publicidade

Mas voltemos ao principal: o quarto capítulo vem para encerrar o primeiro arco da série. Como comentei em reviews anteriores, os criadores de Sense8 afirmaram que o projeto é uma longa história única dividida em três arcos de quatro episódios cada. Não é demais pensar, portanto, que cada arco tenha a sua temática e objetivo. Fica bem claro, então, que este primeiro arco de capítulos serviu para apresentar os personagens e ir dando as principais pistas sobre a trama. Depois de levar ao espectador as informações vitais sobre cada um dos sensitivos, o quarto episódio chega para desenvolver um pouco mais a relação entre os personagens. Não é errado pensar, logo, que o próximo arco terá como foco a conexão entre os sensates, quais as regras, prós e contras deste “dom”.

Fica cada vez mais claro que a conexão é ativada em situações adversas, quando um sensate passa por situação semelhante a outro, etc. Ainda assim, como bem explicou Jonas, uma conexão não acontece como um telefonema. Várias coisas estão envolvidas e existem vários tipos de conexão (visita, compartilhamento, etc.). Neste primeiro momento, Will parece o sensate mais evoluído, ou ao menos aquele que está desenvolvendo as habilidades primeiro. Já foi possível perceber que, juntos, os sensates podem ser consideravelmente poderosos. A pluralidade do grupo, inclusive, garante conexões mais complexas e importantes (Sun, que luta, ajudou Capheus em um momento de perigo; Will, policial, usou suas habilidade para libertar Nomi; etc.). Fora da curva, porém, estão Kala e Wolfgang, ótimos personagens que ainda não encontraram o caminho que os unirá à trama central.

Sense8 faz novamente aquilo que comentei em outras reviews: pedir para que o espectador tenha calma. O núcleo de Sun parecia estar indo ladeira abaixo, e o primeiro erro da série parecia estar surgindo. Como sempre, porém, o programa deu uma volta e acabou amarrando tudo com inteligência e elegância. Pois devemos combinar: a trama envolvendo o irmão de Sun e o crime não começou muito empolgante. De início, cheguei a pensar que os roteiristas estavam perdendo tempo desenvolvendo o irmão da personagem ao invés dela mesma. Felizmente, porém, chegamos ao ponto principal: tudo aquilo serviu para mostrar o papel de Sun dentro da família: consertar tudo e apanhar de graça. E confesso que em muito me agrada a decisão do roteiro em colocar Sun como a culpada pelos crimes cometidos pelo irmão. Se trabalhado com a calma habitual, coisas boas podem sair deste novo rumo no desenvolvimento da personagem.

Sense1: Em entrevista ao Collider, J. Michael Straczynski, criador da série ao lado dos Wachowski, comentou que a ideia é fazer cinco temporadas para Sense8. Ainda que a Netflix não tenha renovado o projeto, Straczynski afirmou que a segunda temporada já está praticamente escrita, pronta, com todos os arcos definidos. Além disso, eles possuem inúmeras anotações sobre o que deve acontecer nos anos 3, 4 e 5. Caso seja renovada, portanto, não tema, pois as coisas estão bem definidas.

Sense2: Não é todo dia que se vê uma série criada por nomes como STRACZYNSKI e WACHOWSKI. Além de diretores como Tykwer e McTeigue.

Sense3: Tom Tykwer, aliás, é um diretor de cinema conhecido. Ele é responsável pelo cult Corra, Lola, Corra, pelo sucesso de crítica Perfume: A História de um Assassino, e por dividir a direção de A Viagem com Andy e Lana Wachowski.

Sense4: Tykwer também é compositor. Ele compôs a trilha sonora de Sense8, ao lado de Johnny Klimek, responsável pelas trilhas de Deadwood, The Newsroom, entre outras.

Sense5: Ainda sobre o currículo dos responsáveis pela série, vale ressaltar que Straczynski já esteve envolvido com os roteiros dos filmes Thor, Guerra Mundial Z, além de ter criado a cultuada série Babylon 5. Foi através deste programa, aliás, que os Wachowski conheceram seu trabalho e viraram amigos.

Tags Sense8
Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

1 comment

Add yours

Post a new comment