Sense8 – 1×11 – Just Turn the Wheel and the Future Changes

sense8111
Imagem: Arquivo pessoal

 

Continua após publicidade

Depois de dez episódios, Sense8 finalmente dedica alguns preciosos minutos a Capheus, um dos personagens menos desenvolvidos pelo roteiro. Surpresa maior veio com o fato de que o episódio dedicado a ele é um dos melhores desta primeira temporada. Ágil, cheio de ação e com desdobramentos interessantes, Just Turn the Wheel and the Future Changes tem apenas uma ressalva: Lito não aparece nem um segundo em cena.

Continua após a publicidade

Mas não podemos reclamar muito. Lito teve um enorme destaque no episódio anterior, e os roteiristas decidiram, antes tarde do que nunca, que alguns personagens estavam muito afastados da ação. Assim, o mexicano não dá as caras, mas Capheus faz a festa. Lutas, tiroteios, perseguição. Caso alguém ainda duvidasse da qualidade técnica da série, essa falta de confiança cai por terra com as brilhantes cenas de ação do episódio. Devo criticar mais uma vez, porém, o decepamento de um membro que novamente ficou absurdamente fake. Lembra aquele episódio onde Capheus presencia alguém cortando as mãos de alguém com uma espada? Pois é. Algo semelhante acontece aqui e a cena é igualmente ridícula. No lugar de uma boa maquiagem, a produção optou por efeitos visuais que escancaram: tanto o braço quanto o sangue são falsos.

Continua após publicidade

Entram na briga para ajudar Capheus: Will e Sun. Esta, aliás, parte para cima do irmão inconsequente quando este revela que seu pai está morto. Também pudera, a pessoa se sacrifica pela família e ainda tem que aturar manha do irmão e a morte do pai? O núcleo de Sun na cadeia foi legal, mas já está na hora da sul-coreana sair e fazer um belo “estrago” no lado de fora. Will, que começou com pinta de protagonista, não anda tendo muito destaque nestes últimos capítulos. Sim, o sujeito tem todo o jeito de “líder” do grupo, mas ultimamente tem se limitado apenas a ajudar Riley ou qualquer outro que precise de sua “ajuda policial”.

Wolfgang finalmente começa a acelerar na trama e toma uma decisão importante. Além disso, o final do episódio indica que as coisas podem ficar feias para o alemão ou para seus inimigos. Kala, porém, tem definitivamente o mais sem graça dos núcleos. Nada de interessante acontece com a personagem: depois do casamento fracassado, a indiana foi inserida em uma trama completamente desnecessária envolvendo o pai de seu noivo. Toda essa história envolvendo Kala e seu sogro ainda não revelou o real propósito e espero que pelo menos até o último capítulo algo seja feito com o assunto.

Continua após publicidade

Just Turn the Wheel and the Future Changes talvez seja o melhor episódio desta primeira temporada até então. Bem dirigido e com um bom espaço para a maioria dos personagens, Sense8 parece ter encontrado um bom equilíbrio para sua trama multifacetada e cheia de camadas. Caso o capítulo final seja tão bom ou melhor que este, pode fechar a banca e afirmar: Sense8 não só é uma das melhores estreias do ano como também uma das melhores séries de 2015.