Shades of Blue – 1×01 – Pilot

Shades of Blue, NBC cancela
Shades of Blue Pilot

Imagem: The Hollywood Reporter

 

Assim que a (segunda) era de ouro da televisão começou com a estreia de Mad Men em 2007 e teve seu apogeu na florescência de Breaking Bad, as séries não só passaram por uma reforma na maneira de produção, como também, na construção de narrativa e também de personagem. Exemplo disso foi a explosão que os anti-heróis tiveram, que para quem não sabe, são os protagonistas que ao invés de serem pessoas éticas, incorruptíveis e acima de qualquer suspeita, são seres humanos como eu e você, que cometem erros e são passíveis de falhas.

Shades of Blue Pilot 1

Imagem: NBC

Continua após a publicidade

Aproveitando-se dessa contínua popularidade, Shades of Blue bebe dessa fonte e trás ao telespectador uma proposta bastante ousada – uma policial do esquadrão de polícia de Nova York que além de cumprir seu dever de proteger o cidadão, também dá umas escorregadas de vez em quando ao cometer crimes como fraude processual para encobrir uma lambança do colega, e até mesmo tráfico de drogas. Tal ideia é, sim, interessante (vamos colocar assim), porque desafia a atriz que interpreta tal papel, visto que precisa de várias nuances, mas também porque põe a polícia no foco num momento que a corporação está mais fragilizada frente ao cidadão americano.

Felizmente, essa era a ideia desde o início, de acordo com palavras do próprio produtor executivo da série, retratar (ou pelo menos tentar) um esquadrão de polícia de verdade. Entretanto, para tal complexidade (ou não) precisa-se de um roteiro forte, de um elenco bem escalado e com bastante qualidade, além de um diretor que não só coordene com maestria as cenas de ação, como também, saiba como tirar o melhor que esse elenco tem a oferecer. Os erros e o acertos deste piloto, vamos falar a seguir, portanto, fique conosco.

Primeiramente idealizado como um filme, Shades of Blue depois de tornou uma série para a TV a cabo, mas com Jennifer Lopez atrelada ao projeto, a NBC resolveu dar uma grande chance ao show e encomendou logo uma primeira temporada com 13 episódios. Os acertos já começam por aí. Primeiro porque, com a não necessidade de produzir um piloto que apresente os personagens redondinhos, que dê aquele impacto ao telespectador, o roteiro tem mais facilidade de contar sua história desde o primeiro segundo de show.

Entretanto, os diálogos são rasos e o acabamento é um tanto quanto questionável do ponto de vista dos roteiros que vimos na televisão hoje em dia. Shades of Blue não tem o texto como sua principal arma, mas sim sua atriz principal, que apesar de ainda precisar melhorar em algum pontos, pega essa oportunidade e entrega seu melhor trabalho em muito tempo. Jennifer Lopez não é a atriz que você queria ver se destacar nessa temporada fraquíssima de televisão aberta, mas lhe garanto uma coisa, ela não está aqui apenas para se redimir dos seus últimos trabalhos, como mostrar também que cresceu, amadureceu e é capaz sim de entregar uma boa performance.

A boa notícia é que a jurada da última temporada do American Idol não está sozinha. Temos aqui Ray Liotta que trás seu melhor trabalho em muito tempo, fazendo uma parceria um tanto quanto memorável com J-lo e capricha bastante na interpretação deste personagem. Não gostei muito de assistir Drea de Matteo em cena, pois acredito que a atriz é muito melhor do que uma meia dúzia de falas. Sua carreira não precisa de uma reprise daquilo que ela fez em Desperate Housewives. Precisamos assistir aquela profissional que nos tirou o fôlego em Sons of Anarchy.

Já na equipe técnica, destaca-se a direção de Barry Levinson, vencedor do Oscar por comandar o clássico Rain Man e também pelo excelente telefilme da HBO, You Don’t Know Jack, que consegue trazer o melhor dos seus atores e ainda impressiona pela qualidade na qual dirige uma cena em particular – aquela em que nossa protagonista maquia a cena do crime, caracterizando uma fraude processual. O roteiro como eu já mencionei, precisa fazer pequenos ajustes na qualidade dos diálogos e também na participação de alguns atores.

Em suma, observa-se que dependendo do ponto de vista, Shades of Blue pode ser o seu guilty pleasure da temporada, como também pode ser aquela série policial que você está procurando. Lembro-lhe que não tem como comparar essa produção com The Shield ou até mesmo com The Wire, até porque, a televisão aberta hoje está incapaz de produzir uma boa comédia, quanto mais algo do nível dos seriados a cabo. Entretanto, se você, assim como eu, é fã de Jennifer Lopez e está procurando um procedural (ao menos) decente, você encontrou seu programa.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours