Shades of Blue – 1×13 – One Last Lie [SEASON FINALE]

One Last Lie Shades of Blue MAIOR
Imagem: Entertainment Weekly

 

Continua após publicidade

Sabe aquele dia terrível? Que começa ruim, desenvolve-se pior ainda e termina de uma forma sensacional que lhe da orgulho de ter passado por aquilo tudo? Pois bem, podemos fazer uma analogia com essa primeira temporada de Shades of Blue, que chega ao final com uma bagagem bastante questionável e precisando de sérios ajustes, mas que o fim propriamente dito é maravilhoso e espetacular, de uma forma que nem Revenge foi capaz de nos trazer.

Continua após a publicidade
One Last Lie Shades of Blue MENOR
Imagem: Sildereel

Desenvolvendo algumas questões que ficaram em aberto do último episódio, o Season Finale deste drama policial começou sem muita festa ou surpresa, não é para menos, o rumo criativo até os vinte primeiros minutos mostravam que aquilo ali seria, novamente, algo esquecível e que estava errado fortemente no tom. Entretanto, uma nova reviravolta acontece e o andar da narrativa fica mais ágil e acelerado. A partir daí, Shades of Blue só acerta com as suas amarrações.

Continua após publicidade

Sofrendo com o tom piegas que o roteiro dera para sua personagem nessa reta final, Jennifer Lopez consegue resolver-se muito bem com aquilo que lhe é designada – segura de si e confiante de que está fazendo um ótimo trabalho. Realmente estava. Ousaria dizer que carregou boa parte do episódio até que Ray Liotta aparecesse e continuasse comandando tudo. Esta foi uma dupla que nunca pensaria na sua eficácia, bem porque possuem métodos de trabalho bastante distintos, mas, felizmente, mostraram-me que estava errado.

Outro ponto que tenho a obrigação de dizer o quão surpreso estou com o que vi, foram as amarrações finais. Nada fora feito com pressa, muito pelo contrário, o roteiro soube a hora exata de trabalhar cada questão que estava em aberta, deu um direcionamento muito satisfatório, principalmente para a relação entre mãe e filha, além de minutos finais fenomenais que apesar de surpreendentes, não soaram apelativos em nenhum momento.

Continua após publicidade

Lembre-se: “O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor” – Friedrich Nietzsche

Até a próxima!

Catarinense e bacharel de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.