Shades of Blue – 2×06 – Fracture

Imagem: NBC

Para todos aqueles que já tenham lido minhas reviews de Shades of Blue sabem que a irregularidade desta série é notória. Às vezes tal deficiência joga a seu favor, mas há momentos que atrapalham enormemente quanto ao desenvolvimento dos personagens. Analisando apenas por Fracture, não é possível saber, pois mesmo diminuindo a temperatura dos recentes acontecimentos, esse episódio começa a trabalhar, mesmo que timidamente, o que desejará tratar até o Season Finale.

Imagem: NBC

Com algumas boas cenas de ação, graças ao inegável talento na direção do lendário Peter Weller (de Hawaii Five-0 Sons of Anarchy), o que o roteiro trouxe foi nada mais do que o desenvolvimento de acontecimentos dos episódios anteriores. Quem teria assassinado a ex-noiva de Nava? Porque incriminar Harlee? São algumas das perguntas que esse os roteiristas respodem ao introduzir, mais uma vez, a trama da máfia que logo quando aparece empolga, mas depois cai no “mais do mesmo” e os clichês voltam a aparecer.

Curiosamente, temos dois personagens ganhando mais atenção do que nunca antes. O que é ótimo, pois tira ambos os atores das condições medíocres de figurantes de luxo. Michael, com sua investigação dos recentes mal feitos de Woz, e Tess na busca pelo que realmente está por traz do assassinato da ex-noiva de Nava. Foram eles os responsáveis pelas melhores cenas deste episódio e espero, sinceramente, que não voltem a esquecer dois pois acredito que ainda têm muito a agregar.

Quanto a cena final confesso que fiquei não só frustrado, como também impressionado que os roteiristas, sob instrução do showrunner, de desenvolver uma trama iniciada lá no início da primeira temporada que nunca pensei que seria importante agora. É claro que não criticarei a ideia de revistar fatos do passado porque eles ainda podem surpreender caso bem trabalhados, mas posso afirmar com toda a segurança que não soa bem.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours