Shades of Blue – 2×08 – Unpaid Debts

Imagem: NBC

Continua após as recomendações

Unpaid Debts é um dos títulos de episódios de Shades of Blue mais apropriados até o momento, visto que vai diretamente ao encontro do desejo dos roteiristas em mudar certas situações da história e o que podemos esperar do futuro desta série. Com permissão para fazer um trocadilho, o roteiro promove o pagamento de algumas dívidas e consequentemente encerra um longo ciclo criativo.

Continua após a publicidade

Imagem: NBC

Sorte a nossa porque daqui para frente teremos os últimos cinco episódios da temporada com Shades of Blue fazendo um grande processo de reinvenção, discussão e avaliação do que quer para o futuro. É verdade que tai passos devem ser feitos a cada episódio ou até mesmo a cada página de um roteiro escrita na sala dos roteiristas, porque estamos num momento diferente da televisão e o telespectador não terá paciência com uma história morosa em desenvolver-se.

Todas as narrativas chegaram ao mesmo ponto nesse episódio e concluíram-se de uma forma satisfatória, diria até que aceitável pelo simples fato de terem terminado, como aquela ideia ridícula de destruir as chances de Stahl ter a guarda do filho com o vídeo comprometedor com Harlee. Essas amarrações servem para como uma forma de “limpar a pauta” e abrir para novidades e histórias que realmente venham a agregar e mostrar esse texto o seu valor.

Para os últimos cinco episódios, nós teremos o filho de Woz tentando descobrir mais sobre o que o pai fez no passado; Harlee e Woz entrando em linha direta de colisão com o FBI e os demônios do passando retornando com uma força muito boa; Tess, Michael, Carlos e Tofu terem que pagar algumas contas pelos favores recebidos, além da trama de Julia Ayres florecer com mais clareza.

Não serei leviano em afirmar que esses oito primeiros episódios foram ruins, muito pelo contrário, foram muito bons se colocarmos àqueles da primeira temporada em perspectiva, mas o que promete-se para o futuro, principalmente ao analisarmos o promo abaixo, parece muito mais interessante, excitante e instigante. E isso é, além de um grande alívio, um passo muito decisivo em direção a um futuro refinado e levemente mais elegante.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours