Shadowhunters – 2×09 – Bound by Blood

Imagem: TV Show Time

É engraçado perceber como opiniões e pensamentos a respeito do mundo das séries são completamente divergentes. Uma narrativa nunca consegue agradar a todos. Ainda sim, centenas de séries vão sendo retiradas e adicionadas anualmente, com o intuito de tentar remodelar os gostos da população. Shadowhunters sempre fez a linha da série um pouco mais odiada. Contudo, sou obrigado a vir até aqui e dizer que ainda há esperanças. O trabalho realizado nesta temporada aprendeu e muito com os erros passados. Ainda não é uma aclamação mundial e provavelmente nunca será, mas merece o respeito pelo trabalho investido.

“Bound by Blood” nos traz de título uma dupla interpretação do episódio. Uma primeira vertente a seguir e comentar, se relaciona ao mais novo casal do momento. Não sei a partir de qual momento eu comecei a gostar de Raphael e Izzy juntos, mas eu estou gostando. Já era de se esperar que as cenas de tensão sexual da garota fossem dar muito pano pra manga, mas o rapaz não fica perdendo muito neste quesito. A ligação sanguínea entre os dois nos traz muito mais sentimento do que uma rapidinha de alguma quarta qualquer. Sei que o ciúme inveterado de Alec está aí pra impedir a qualquer custo mas, ainda assim, me vi shippando antes mesmo de perceber.

Continua após a publicidade

Imagem: TV Show Time

A outra vertente está totalmente ligada a nossa querida e odiada personagem principal. Clary passa o episódio todo na beira da morte pelo juramento à Iris. Por mais sonhador que isso possa parecer, ela consegue se recuperar… mas ainda faz a linhagem de donzela indefesa. Justamente nestes momentos de fraqueza, pude chegar a duas conclusões simples e concretas: 1) Climon não tem clima. Nunca teve e nunca terá. A vontade de ver alguém saindo dá friendzone cega nossos olhos de que eles não foram feitos pra terminar juntos. 2) O plano de Valentine tem muitas brechas pra dar certo. O envolvimento familiar é muito intenso. Apesar de que, acontecimentos do próximo episódio irão conduzir os fatos de verdade e explodir com a cabeça de muitos.

Uma das ideias mais geniais da série, é trabalhar com problemas sociais dentro de sua trama mística. Já tivemos casos de abuso, de dependência química e agora trabalhamos um pouco com a questão depressiva. Não sei se todos perceberam, mas a conversa de Malec foi totalmente ligada aos problemas familiares do Shadowhunter. Depois do último episódio, a tentativa de suicídio foi mais que elucidada como um dos pensamentos atuais do rapaz. O mais interessante foi ver como os produtores tentaram canalizar essa raiva no quesito badass do rapaz. O empoderamento de: “eu estou no comando aqui e quero todos fazendo o que eu mandar”, me surpreendeu bastante. Depois de vários tapas da vida, o personagem mais querido da série finalmente está chegando nos eixos.

O submundo e suas criaturas místicas possuem um papel mais do que crucial na série. Achei interessante a ideia da grande reunião mas senti falta de algumas criaturas por ali. Acho que os produtores ainda não se veem prontos pra abranger o mundo Shadow de uma maneira mais complexa. Espero que, com uma renovação, possamos ver ainda mais criaturas em uma provável terceira temporada.

Fechando mais um ciclo, entramos em um breve hiatus a partir da próxima semana. Pelo que já foi liberado para os fãs, teremos diversas surpresas que podem pegar os mais leigos despreparados. Enquanto esperamos pelo retorno, indico a todos que leiam a obra literária. Além de ser mais envolvente, promove um maior conhecimento da saga e de seus elementos. Recado está dado e semana que vem voltamos com mais novidades e explicações. Um abraço e até lá.

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours