Shadowhunters – 2×16 – Day of Atonement

Imagem: Youtube/Reprodução

Se um dia me perguntassem como seria o episódio mais sonolento da história, eu claramente responderia com a descrição do que provavelmente aconteceu nesse episódio: Focado no shipp Clace, cheio de drama familiar, Clary como foco do episódio… Contudo, quando realmente assistisse o que foi feito, eu acabaria queimando minha língua por ter falado demais. O episódio foi muito bem trabalhado, de uma maneira que eu nunca esperaria. Claro que a direção de Paul Wesley (TVD) fez toda a diferença no decorrer do episódio e já podem colocar o nome dele na lista mais vezes. Espero que continue sendo surpreendido até o fim da temporada, pois Shadowhunters tem conseguido me conquistar com o tempo.

Imagem: Youtube/Reprodução

Sim, o shipp de muitos fãs está mais de volta do que nunca e eles se merecerem. Não é a primeira vez que digo isso, mas estou começando a acostumar. Realmente os dois ficarão juntos pois não existe personagem em toda a saga que complemente Jace ou Clary a não ser os próprios. Isso foi bom para a dinâmica dos outros personagens, pois vimos uma reaproximação incrível de Maya e Simon. As vezes os produtores e roteiristas acabam formando casais em uma velocidade inimaginável, mas dessa vez, tudo foi suave e divertido como deveria ser!!

Continua após a publicidade

Outro ponto mais do que positivo no episódio foi a apresentação oficial a um pedaço de Idris. Cada vez que eles expandem o mundo Shadow eu fico mais impressionado. Claro que há custos enormes para gravações como estas, mas trazem todo um diferencial para a série. Já que estamos trabalhando com um mundo de fantasia, vamos fazer isso com as devidas proporções. Gostei da ambientação da floresta e do lago. Souberam muito bem trabalhar com o cenário sobre a situação dos personagens e isso trouxe momentos interessantes ao episódio.

O aparecimento de Ithuriel ainda deixa dúvida se era miragem ou realidade, mas sabemos que foi oportuno. A brincadeira com os nomes sempre me deixa confuso, mas quando ele disse sobre Jonathan estar vivo era mais do que óbvio sobre o que ele falava. E o rapaz está mais vivo do que nunca. Suas cenas com o pai na cabana foram de arrepiar. A interação entre os dois atores está sendo construída de maneira gradativa e é bacana vê-los em cena. A cena em que Valentine segura a Espada-Alma e fala todas as verdades para o filho, nos mostrando toda a revolução do episódio sobre os sentimentos de Jonathan. Agora temos os dois maiores vilões juntos para destruir a família e instaurar a soberania dos Shadowhunters sobre os Downworlders.

E para os que esperam o reencontro familiar, ele já vem na próxima semana. Abordando intensamente a descoberta de Clary sobre seu irmão, o episódio promete trazer um confronto direto entre os sangues de anjo e demônio. Jace não está nada feliz com essa notícia e fará de tudo para acabar com a vida de Jonathan. Ainda nos resta quatro episódios, o que é mais do que suficiente para trabalhar todo o desenrolar desta história. Só espero que não resolvam colocar um episódio who no meio disso tudo para gastar um tempo crucial de informação.

E você, o que achou do episódio? Gostou da direção de Paul Wesley? Na próxima semana voltamos com mais uma review, mas não deixe de acompanhar as notícias aqui no Mix. Até lá! 😀

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours