Sneaky Pete – 1×04 – The Fury

Imagem: Arquivo Pessoal

Imagem: Arquivo Pessoal

Continua após as recomendações

 

The Fury, quarto episódio da saga de Marius Josipovic, vem para aumentar o grau de tensão e violência da série, que chega a quase metade da temporada com bons episódios em sua conta.

Continua após a publicidade

O plot inicial da série nem tem nada de importante por ora, talvez se desenrole em alguma coisa depois, mostrando apenas que Taylor transa com uma mulher casada e que eles se conhecem desde sempre. A cena que importa vem a seguir. Taylor está limpando o carro, quando recebe uma ligação de Marius. A ligação dele foi providencial, já que Taylor estava limpando o capô do carro, bem a parte em que ficou a carteira de habilitação de Marius. Por sorte, Taylor acaba não vendo a carteira e concorda em tomar uma cerveja com o “primo”, que o chamou justamente para tentar pegar a carteira de volta.

Durante a conversa, Taylor diz que é muito impulsivo, muito agressivo, e que isso complica a passar no teste para detetive. A cena seguinte, onde Taylor arregaça a cara de um moleque, além de um pouco forçada, parece que foi mostrada só para reafirmar essa característica dita pelo personagem. Se o personagem tivesse tido um desenvolvimento mais linear na série, esta reafirmação não seria necessária. Mas como ele tinha aparecido poucas vezes e não tinha mostrado quase nada, tentaram reafirmar a característica do personagem simplesmente criando uma cena em que ele perde o controle por quase nada. Com a chegada da polícia, o carro de Taylor foi apreendido, assim como a carteira de habilitação dentro do porta mala dele.

Do outro lado da família, Carly e Julia conversavam sobre a vida. Durante essa conversa, descobrimos que a mãe de Pete, Maggie, era louca. O que significa esse “louca” é bem amplo, não tem nem como fazermos algumas projeções porque não sabemos quase nada sobre ela. É nesta mesma conversa que Carly fica sabendo que existem cartas entre Maggie e Audrey.  Quando ela lê a carta, acaba vendo que Maggie contou o porquê de estar indo embora a Pete, diferente do que Marius respondeu quando  Carly o questionou sobre o motivo da mudança. O seriado até tenta criar aquela torta de climão, mas é mais provável que Carly pense que Pete não quis falar para ela o motivo do que começar a achar que esse Pete não é realmente o Pete.

Aliás, precisamos falar sobre o aproveitamento de Julia na série. Ela, que começou com tudo no primeiro episódio, agora mal aparece. Neste episódio ela se limitou a falar com Carly sobre a carta e dormir com o pai de um dos filhos dela. O que eu escrevi sobre o mau desenvolvimento linear de Taylor se aplica a ela também. Depois do primeiro episódio, nada de Julia mostrar mais de sua personagem. E é neste ponto que Sneaky Pete está pecando um pouco, em não conseguir fazer com que os personagens secundários se desenvolvem ao mesmo tempo. Parece que, para um estar mostrando mais de si, o outro precisa quase sumir da série.

Voltando aos acontecimentos do episódio, Marius chama Katie para conseguir, de uma vez por todas, roubar o dinheiro dentro do cofre. O plano acaba fracassando pelo fato do vovô Otto não conseguir abrir o cofre. Marius então chama A.J, cara que sabe abrir cofres. No meio da conversa, ficamos sabendo que Marius, junto com A.J e mais sabe-se lá quem, está planejando um próximo golpe. O golpe do Turco. Quando A.J chega para abrir o cofre, Marius acaba tendo que ir para a delegacia, pois Taylor estava querendo falar com ele.

Marius chega à delegacia sem saber se foi descoberto ou não. O efeito em slow montion com os olhares estranhos para Marius e até o jeito que Taylor chega para falar com ele, meio afoito e tal, junto com trilha sonora, consegue criar uma cena que coloca uma pontinha de dúvida sobre Marius ter sido descoberto por Taylor. Mas, no fim das contas, Taylor pede para que o Pete Fake pegue o celular da mulher com quem ele transou. Aproveitando isso, Marius também pega a carteira de habilitação.

Senti incômodo com a forma que Marius consegue a carteira de habilitação de volta, tudo na sorte. Primeiro, quando Taylor não vê a carteira, e olha que ela estava bem na frente de Taylor, no começo do episódio. Depois tem a parte em que a carteira, que estava bem visível  na parte frontal do porta malas, ter parado bem embaixo do estepe. E por último, Taylor ter pedido para Marius pegar o celular dentro do carro dele. É quase implausível ter a sorte que Marius teve para não ser descoberto por Taylor. E Marius é tão inteligente e sagaz, os roteiristas podiam ter pensando em uma forma mais criativa e interessante de Marius recuperar a carteira.

Após pegar a carteira e voltar da delegacia, Marius vai a loja da família. Depois de A.J abrir o cofre, vovô Otto toma um susto. Todo o dinheiro que estava dentro do cofre sumiu. É neste momento que o seriado corta esta cena e nos leva até a Audrey, que está dirigindo o carro. Fica claro então que Audrey está tirando dinheiro da família e dando para outra pessoa, e este fato está desgastando demais a vovó. Não tivemos ainda nenhuma pista em relação ao que ela está metida, mas se percebe que é uma situação perigosa.

Os últimos dez minutos de episódio acabam sendo um show à parte de Vince. É impressionante como o ator consegue, praticamente sozinho, manter a narrativa da história que estava contando por tanto tempo. E além de nos manter fixos à história que o personagem estava contando, o ator  consegue passar todas as diferentes emoções que Vince estava sentindo. A história que Vince narrou era da época em que ele era um policial (pois é, também fiquei assustado) e acabou deixando um menino escapar, o qual, anos depois, matou um detetive. O parceiro de Vince, que na época queria dar uma lição no menino, leva-o para um lugar isolado e faz ele arrumar a situação, matando o mesmo. Vince usa a história para fazer um dos capangas dele arrancar o dedo de Eddie, que tentou fugir no episódio passado.  Tudo isso com Marius, ao telefone, escutando a dor do irmão, que acabou de perder um dedo.

 

Nenhum comentário

Adicione o seu