Snowfall – 1×01 – Pilot [SERIES PREMIERE]

Imagem: FX/Divulgação

É raro quando algum dos redatores do Mix de Séries consulta a opinião geral dos críticos antes de avaliar determinada série. Pessoalmente, dou atenção à imprensa para o conteúdo que assistirei por diversão. Mas perdoem-me, segui um caminho diferente com Snowfall. Todavia, há uma explicação. Pelo que pude apurar, o FX enviou aos jornalistas os seis primeiros episódios que representam mais da metade, dando uma excelente percepção do que o telespectador comum pode esperar.

Imagem: FX/Divulgação

A recepção foi mediana, o que normalmente não se espera de uma série que figura na lista de muita gente como “as imperdíveis da temporada” e do FX sob a presidência do implacável John Landgraf. Confesso que concordo em grande parte com tudo aquilo que li desde o New York Post até o The Washington Post, mas acredito que Snowfall ainda pode nos surpreender, conquistar e mostrar que todos podem apresentar um piloto mediano, mas nem todos podem evoluir e melhorar.

O pano de fundo escolhido não é apenas ousado, como também já mostrou-se ser um tanto prolífico para televisão já que foi da década de 1980, que serviu como ponto de partida de Stranger Things e GLOW. Entretanto, temos aqui a Los Angeles, mais especificamente, os bairros da região centro-sul de 1983, enfrentando a primeira epidemia de cocaína da sua história.

Para evidenciar os efeito devastadores das drogas o roteiro segue com duas linhas de frente. A primeira delas é protagonizada por Franklin (o ótimo Damson Idris), um daqueles jovens adultos da periferia de toda cidade grande que não possui muita perspectiva, mas está disposto a fazer qualquer coisa para qualquer a vida e sair daquele lugar. A outra trama acompanha Carter Hudson, um agente da CIA infiltrado no tráfico de drogas.

Ambas as histórias possuem seus méritos e alcançam seus objetivos. É verdade que há uma certa prolixidade com as diversas cenas de nudez, consumo explícito de drogas e toda a pompa cafona da época para causar impacto e atingir um nível aceitável de verossimilhança, mas darei o benefício da dúvida, pelo menos por enquanto, para um criadores que já nos trouxeram séries consagradas.

O elenco está bom, a produção se esforça para acompanhar o momentos históricos que a década de 1980 trará ao mundo, o roteiro se mostra sensível quanto a necessidade do telespectador em relacionar-se com qualquer um dos protagonistas e a direção, a parte mais ousada desse quebra cabeça, assume o desafio de conduzir grandes sequências, com muitos atores e uma importância pontual em manter o ritmo fluindo.

Tags Snowfall
Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours