Star Trek: Discovery – 1×04 – The Butcher’s Knife Cares Not for the Lamb’s Cry

Imagem: SpoilerTV/CBS/Divulgação.

Mantendo a qualidade dos anteriores, o episódio da semana mostrou que a guerra intensificou as divergências tanto entre os membros da USS Discovery quanto entre os Klingon.

O episódio continuou mostrando, do ponto de vista Klingon, as consequências da Guerra nos Sistemas Binários (episódio 2). Após a batalha com a Federação e morte de T’Kuvma, sua casa se encontra numa situação bem complicada. Com pouca energia e falta de comida, seu sucessor Voq estava desesperado para encontrar uma maneira de salvar seus seguidores e manter o legado de seu antecessor intacto. A sua dificuldade em aceitar que é preciso usar tecnologia da Federação é justificada pelo orgulho super elevado de sua raça, mas, ao mesmo tempo, causou a “perda” do controle de sua casa. Embora pouco explorado, o personagem deve ter crescimento no restante da temporada e deve ter papel fundamental no relacionamento entre Klingon e Federação até chegarmos ao que vimos na série original. Estou ansioso para saber como vai ser essa ida dele até o lar dos matriarcas, em Mo’Kai.

Continua após a publicidade

Além de Voq, L’Rell é a personagem Klingon com mais potencial de ganhar simpatia dos fãs. Além de possível interesse amoroso de Voq, seu papel de agente dupla deve ser de grande importância para o desenvolvimento da trama. Resta saber até quando ela vai conseguir esconder esse lado de Kol. Por falar nele, já temos um personagem a ser odiado na série. Soberbo, arrogante e irritante, ele é o típico vilão que não vemos a hora de que seja morto. Sua tirania pode ser um problema na manutenção das 24 casas sob o Império Klingon. Resta saber se ele será o grande vilão apenas dessa temporada ou se será da série toda.

Na USS Discovery, tivemos uma explicação para Lorca ter mantido a criatura presa. Apesar de seu comportamento difícil, o capitão não parece ser um potencial vilão, como eu achava nos episódios anteriores. Para ele, tudo gira em torno de vencer a guerra, mesmo que seus métodos não sejam os mais bem aceitos socialmente. Ele procura desesperadamente uma maneira efetiva de derrotar os Klingon e recuperar a ordem no território sob governo da Federação. Ele só precisa tomar cuidado para não exagerar na vontade de acabar com a guerra e, com isso, acabar causando a destruição de sua nave. Pedir paciência em tempos de guerra é algo praticamente impossível, mas tem horas que os ensinamentos vulcanos são a melhor maneira de lidar com uma situação difícil.

Michael continua sendo uma protagonista bem interessante. Gosto quando a personagem principal não é apenas uma espectadora da trama principal ou a vítima de um vilão. A terráquea é muito inteligente e sua “desobediência”, embora tenha causado o início da guerra, parece ser a melhor ferramenta para vencer o embate com os Klingon. As divergências de opinião entre ela e Lorca devem ser algo constante no decorre da série. Ao contrário do seu capitão, ela não parece disposta a tudo para vencer. Ela combina mais com Stamest do que com o Lorca. Acredito que uma hora ou outra ela vai ajudar na fuga do monstro Tardigrado, que no final das contas é uma criatura bem simpática. Vamos começar a campanha #LibertemOTardigrado.

Obs.: que decisão péssima da chefe de segurança Ellen Landry em soltar o tardigrado e, em seguida, atirar nele. Achei a morte da personagem prematura.

Easter-Eggs:

  • Uma criatura vinda do sistema Corvan II (onde acontecem os ataques Klingon no episódio) foi vista em um episódio de Star Trek: The Next Generation.
  • Durante a cena em que o médico está consertando o nariz quebrado de Stamets, ele faz uma referência a raça dos Tellarites, uma das fundadoras da Federação dos Planetas Unidos.
  • Durante a conversa com Stamets, Lorca tenta convencê-lo a ter papel importante na história e faz referência a nomes importantes: irmãos Wright, a quem os EUA creditam terem inventado o avião, Elon Musk, empresário e fundador de empresas como a Tesla Motors e que acredita numa eventual colonização de Marte, e Zefram Cochrane, personagem da franquia Star Trek sendo responsável pelo primeiro contato entre os humanos e uma raça alienígena.
  • A capitã Georgiou não foi a primeira personagem na franquia a deixar seu testamento de forma holográfica. Em Star Trek: The Next Generation, a personagem Tasha Yar deixou uma mensagem póstuma aos seus companheiros de Enterprise.

Continue acompanhando as reviews semanais de Star Trek: Discovery aqui no Mix de Séries. Abaixo, assista a promo do próximo episódio. Que todos tenham uma vida longa e próspera!

Avatar

Matheus Ronconi

Paulista, nerd, viciado em séries e fã do Rei Leão e do Homem-Aranha. No Mix escrevo sobre The Big Bang Theory e Star Trek: Discovery.

No comments

Add yours