Star Trek: Discovery – 1×06 – Lethe

Imagem: SpoilerTV/CBS/Divulgação

O episódio dessa semana focou bastante nos relacionamentos entre os personagens, com destaque para o passado de Michael e Sarek.

Um dos pontos fortes do episódio foram os flashbacks envolvendo Michael e Sarek. Durante toda a sua vida, a oficial se culpou por não atingir as expectativas de seu pai adotivo e da comunidade vulcana como um todo. Por ser humana, os desafios enfrentados para participar do grupo expedicionário eram muitos maiores. Nunca havia acontecido algo do tipo na história desse povo.

Continua após a publicidade

Ao ter sido revelado que, na verdade, a sua não entrada no grupo foi uma escolha de Sarek, que preferiu seu filho à jovem humana, todo aquele peso da não aceitação saiu dos ombros de Michael. Agora a personagem pode caminhar sem ter que ficar se provando o tempo todo ao seu mentor. E isso vai ajudar e muito no desenvolvimento dela tanto no campo emocional quanto no campo racional. Talvez, agora, ela se torne mais vulcana que humana.

No episódio, vimos que a liderança de Lorca está sendo questionado pelo alto escalão da Federação. Muito em virtude de seu estado mental, que acaba afetando suas decisões. Mas, embora seus meios não sejam os mais adequados, o personagem parece sempre estar focado num objetivo maior. Seja no salvamento de um aliado, seja no encerramento dessa guerra.

Ash Tyler tem se mostrado um personagem bastante interessante. Desde que foi introduzido, no episódio passado, sua lealdade e vontade de se mostrar prestativo tem sido destaque. O personagem deve funcionar como um braço direito de Lorca e deve ser peça fundamental agora que o comando do capitão está sendo colocado em cheque. Além disso, já existe um clima ao redor de Tyler e Michael. Ele primeiro tem que quebrar toda aquela barreira sentimental criada por Michael, mas vejo com bons olhos um possível relacionamento entre os personagem.

Mas não é só de guerra e ação que é feita a série. A amizade entre Michael e Tilly tem se mostrado um ponto de descontração em toda essa trama da guerra entre Klingons e Federação. A cada episódios as duas parecem estar mais próximas numa relação que mistura amizade com treinamento e monitoria. Ambas se ajudam a se tornarem melhores. Tilly ajuda nas questões sociais, enquanto Michael ajuda no treinamento e capacitação para batalhas.

Um personagem que se mostra bastante intrigante é o tenente Stamets. Após o seu contato com os esporos, não ficou muito claro quais os efeitos colaterais de tal exposição. No episódio anterior tivemos aquela cena com seu reflexo no espelho, fato que não foi explicado ainda, e nesse episódio o personagem se mostrou bastante alegre e descontraído, como se os esporos, de alguma forma, proporcionassem uma sensação de satisfação e felicidade. Mas há também a possibilidade de o Stamets que vimos em “Lethe” não ser o Stamets original e sim uma cópia criada após o contato com os esporos.

No episódio, tivemos a introdução do grupo extremista dos Vulcanos. O grupo que foi responsável pelos ataques à nave de Sarek e, também, ao local onde morava Michael quando criança, se mostrou uma perigosa peça nas questões diplomáticas do universo de Star Trek. Essa não deve ser a última participação dos extremistas na série e é bom que Michael e Sarek estejam preparados para isso.

Por fim, tivemos a almirante sendo capturada. Pouco sabemos sobre a comandante, além do fato de que ela e Lorca tem um longo histórico e um interesse amoroso mútuo. Mas, com certeza, seu sequestro vai ser o foco do próximo episódio e deve causar complicações para os membros da Frota Estelar, ainda mais que Lorca não parece estar super focado em salvar a almirante com todas as suas forças.

Easter-Eggs:

  • A Academia da Frota Estelar foi mencionada durante a conversa entre Michael e Tilly. A Academia será responsável pela formação de vários membros da Frota que podem ser vistos em outras séries da franquia.
  • Grupos semelhantes aos extremistas vulcanos já deram as caras em outros episódios da franquia.
  • A Katra vulcana (espécie de conexão espiritual entre um vulcano e outro indivíduo) já foi visto em vários momentos da franquia. Spock, inclusive, já a usou em alguns momentos, como na vez que transferiu seu espírito para o corpo do doutor McCoy no filme Star Trek II: a Ira de Khan.
  • A série mostrou pela primeira vez a mãe de Spock, a humana Amanda Grayson.
  • O episódio mostrou a origem do desentendimento entre Spock e Sarek. Após Sarek ter escolhido o filho ao invés de Michael para ingressar no grupo expedicionário, Spock recusou o convite e, assim como Michael, ingressou na frota estelar, gerando, assim, um desentendimento com seu pai que durou muitos anos.

Continue acompanhando as reviews e notícias da série aqui no Mix de Séries. Abaixo a promo do próximo episódio. Uma vida longa e próspera a todos.

Avatar

Matheus Ronconi

Paulista, nerd, viciado em séries e fã do Rei Leão e do Homem-Aranha. No Mix escrevo sobre The Big Bang Theory e Star Trek: Discovery.

No comments

Add yours