Supergirl – 3×02 – Triggers

supergirl
Imagem: The CW/Divulgação
Imagem: The CW/Divulgação

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Em seu segundo episódio da temporada, Supergirl mostrou que vai investir mesmo, pelo menos a princípio, em um tom mais sombrio em sua história. Da forma como terminou a premiere, pensei que talvez pudéssemos presenciar algo mais leve, mas infelizmente não foi o que aconteceu.

Continua após a publicidade

Com Lena assumindo a CatCo, pensei que seria um motivo a mais de Kara poder assumir de volta sua humanidade, mas não foi bem assim. Pra começar, com a empresária no comando da empresa, isso ainda deixa James como editor chefe, simplesmente inadmissível. Falando nele, aliás, suas definições de insuportável foram atualizadas com sucesso. Sério, teve horas que ele conseguiu superar Kara facilmente. A tensão entre ele e Lena foi algo totalmente desnecessário, e algo me diz que isso possa ser indício de um lance que está prestes a surgir. Apenas uma coisa em relação a esse provável shipp… NÃO!

Continua após publicidade

Falando na nossa garota de aço, ela até que começou bem o episódio, se não fosse a vilã da semana. Psi, que pra mim sempre será a Petra de Jane The Virgin, conseguiu piorar ainda mais o psicológico da nossa heroína. A criatura já não está muito bem das ideias, aí pra ajudar vem uma inimiga pra desgraçar de forma exponencial tudo. Amiga, pega leve.

Imagem: The CW/Divulgação

O grande destaque foi Sam, a nossa grande antagonista da temporada. Conseguimos ver um pouco mais de sua vida, do quanto sua filha é uma chata e insuportável, e estou bem ansioso para acompanhar seu desenvolvimento na história, de como ela se tornará a temível vilã Reign. Uma das coisas que já fiquei intrigado, foi o fato dela se fazer de sonsa e fingir desconhecer sobre seus poderes. Algo me diz que talvez isso possa ter, inclusive, certa ligação com a ausência do pai de Ruby, estando morto ou não, vamos aguardar mais sobre a personagem.

Continua após publicidade

Depois do ataque de Psi, parece que tudo se intensificou para os lados da Kara. Todo o “luto” do Mon-El voltou com força total e mais profunda, nesse momento então peguei ranço dela, admito, pois até então quando estava explorando o trauma da explosão de Krypton achei mais compreensível. Os ataques da vilã coincidiu duramente na relação da personagem com Lena, tanto que achei mega desnecessária a forma como ela tratou a amiga e agora chefe por conta disso. Se tivesse sido com o embuste do James, eu não teria me importado nenhum pouco, mas né.

Se tem uma coisa que senti muita falta na temporada passada foi a dinâmica entre Winn e Kara, que pra mim foi um dos pontos altos do primeiro ano da série. Com a chegada do Mon-El na história, além da saída do nosso nerd da CatCo, os dois personagens deram uma boa distanciada. Sabemos muito bem que o amado da nossa garota de aço uma hora voltará à história, mas que quando isso acontecer que não afaste esses dois amigos de novo, aliás, espero mais momentos assim entre eles.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

O final deixou dois grandes plot twists, sendo o primeiro com Sam assumindo o comando da L-Corp. Quando Lena revelou isso, simplesmente que meu coração parou por dez segundos, pois tenho certeza que isso será de uma relevância tão grande na temporada, que vai aflorar de vez o que ainda não sabemos dessa personagem que já amo muito, mesmo sabendo que ela será um encosto na vida de todos nesse terceiro ano. E o outro twist é, com certeza a exploração de Marte no próximo episódio, com a chamada de socorro de M’gann.

PS 1: Sou apenas eu que comecei essa temporada com um ranço gigantesco de Sanvers?

PS 2: Como assim não fizeram nenhuma menção a Jane The Virgin? Chateado e decepcionado!

[spacer height=”20px”]