Supergirl – 3×04 – The Faithful

supergirl
supergirl

Imagem: The CW/Divulgação

Continua após as recomendações

Começo essa review dizendo, em alto e bom som, que MINHA SUPERGIRL ESTÁ VIVÍSSIMA! Agora sim, chegando no quarto episódio, posso dizer que a temporada começou pra valer. Na semana já começou a demonstrar tais indícios, mas agora foi o pontapé que estava faltando para isso acontecer. Definitivamente esse terceiro ano promete ser mais emocional, e uma outra camada desse aspecto foi trabalhado e de forma brilhante: a fé!

Voltamos mais uma vez ao famoso caso da semana, o qual foi sobre um rapaz que estava no mesmo avião que Alex, aquele que Kara salvou no piloto da série. Pois bem, desde então ele montou uma seita, em que reúne todos aqueles que já foram salvos pela Supergirl, e a trata como se ela fosse uma Deusa. Na hora que vi isso, já percebi que boa coisa não sairia dessa história, e foi batata, porém comentarei isso no decorrer do post.

Continua após a publicidade

Uma coisa que gostei foi ver novamente Kara, Winn e James juntos em ação, como nos tempos da primeira temporada. Cara, que nostalgia boa que isso deu, tanto que a participação do embuste chato não me incomodou nenhum pouco. Como disse na review passada, acho bacana eles trazerem de volta mais dessa dinâmica que tinha no começo da série, e espero muito que mais momentos assim sejam vistos nos próximos episódios.

Imagem: The CW/Divulgação

Outro destaque foi a noite das garotas, que foi bom por demais. Jamais pensei em ver Kara, Lena, Alex, Maggie e Sam juntas, bebendo e falando da vida alheia. Esse momento foi bom para quebrar o gelo do começo dessa temporada, mas também foi um importante conduíte para o casal Sanvers, quando a nossa futura vilã falou sobre as experiências de ser mãe – e guerreira também, pra aturar aquela filha insuportável dela -, e isso resultou em um momento meio estranho entre as duas. Pensei que saberíamos algo sobre o pai de Ruby, mas talvez não há nada que será explorado, mesmo eu sendo trouxiane, e apostando em alguma teoria mirabolante sobre isso.

Voltando à trama principal, é claro que esse lance de venerar Supergirl como um ser divino sairia do controle, e o rapaz definitivamente mostrou-se bastante dissimulado. Não o considero propriamente um vilão, longe disso, mas que ele esteve influenciado por algo que distorceu o livro de Rao, ah isso é fato. A cena em que Kara vai visitá-lo na cadeia parecia outra pessoa, e suas ações despertaram algo que, finalmente posso dizer, vai trazer à tona a história base dessa temporada.

Com o caso da semana resolvido, o novo grupo de “migas” foram assistir a apresentação da Ruby embuste. Nesse momento, Alex percebeu finalmente que seu relacionamento com Maggie está seguindo rumos totalmente diferentes, e doeu o coração em vê-la naquele estado, ao lado da irmã. Ainda pra ajudar, me tocam “Hallellujah” de fundo. Não é pra desgraçar o emocional da gente?

Ao que tudo indica, o final do episódio serviu para mostrar que estamos cada vez mais próximos da transição de Sam à vilã Reign, e francamente não poderia estar mais animado por isso. Pra atiçar ainda mais, nos momentos finais vimos uma pessoa dentro de uma nave, em um lugar secreto. Será que é Mon-El que está ali dentro? Façam suas apostas!

Tags Supergirl
Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours