Supermax – 1×06 – Episódio 06

Imagem: Banco de Séries

Imagem: Banco de Séries

Continua após as recomendações

 

É senhoras e senhores, parece que Supermax começou. Bom, a verdade é que a série tem se mantido em uma montanha russa constante. Episódios muito sonolentos, em que nada acontece e episódios muito bons, que foi o caso dessa semana. Na semana passada, ficamos no meio a meio, já que as histórias é que pesaram mais.

Continua após a publicidade

Neste episódio, finalmente, pudemos ter um vislumbre de que Supermax pode sim assustar, chocar e deixar uma marca como um elemento de terror na nossa grade. Eu tinha certeza que veríamos um desenvolvimento mais aprofundado da doença de Cecília, mas não imaginei que seria tão bom e tão interessante.

O negócio é: chama o Padre Marcus que a coisa ficou feia! Os demônios estão soltos em Supermax e a vítima da vez foi justamente Cecilia, que deu uma de Emily Rose e precisava de um exorcismo. Gente, as cenas foram muito boas e me deixaram bem estressada. Eu fico impressionada muito fácil, principalmente quando se trata de possessão.

A atriz que interpreta Cecília estava sensacional em cena, abraçou o personagem e se jogou. Levei um baita susto quando ela atacou Artur e levou as facadas e, novamente, a gente consegue ver que nenhum dos participantes tem escrúpulos. O fato é que a série estava precisando muito desse gás, desse clima tenso que tanto prometeu desde o início e não estava conseguindo trazer até agora.

A coisa só fica ainda melhor quando Cecília faz a pomba gira e ataca Luisão e assim, acaba assinando o seu testamento de óbito dentro da prisão. E esta parte deixa tudo ainda mais interessante, porque a situação, de uma forma ou de outra, acaba testando a índole de cada um (se é que algum deles tem índole lá dentro). Até que vem Bruna, aquela que não sabe brincar, e joga na roda a ideia de executar Cecília, como um golpe de misericórdia. Talvez fosse a opção mais correta, já que eles estão dentro daquele inferno, sem salvação, mas o questão que fica é que ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém, nem neste caso, mesmo sendo com a melhor das intenções.

Eu confesso que fiquei morrendo de pena da Cecília, mas no fim acabei compreendendo a situação deles lá dentro. Situação de matar ou morrer, sabe? Não tem para onde correr. O instinto de sobrevivência ia acabar falando mais alto e, apesar de alguns deles não concordarem com a execução de Cecília, este seria o caminho mais óbvio quando a situação ficasse realmente crítica. A mulher estava realmente fora da casinha, bem no estilo Exorcista de viver e ia matar todo mundo ali dentro, porque ninguém ia conseguir segurá-la. Achei triste, mas a sua sentença de morte foi dada.

Para finalizar, a série continua fazendo boas análises das histórias de cada personagem individualmente e eu vou achar muito bacana se, em algum momento, eles conseguirem fazer ligações de histórias, afinal, todos estão ali dentro e eu imagino que isso não seja por acaso. As relações estão se estreitando, Sergio e Bruna finalmente se entregaram a essa paixão louca que cresceu ali dentro, enfim, os personagens estão se conectando mais e a química parece que começou a aparecer. Cheguei a conclusão de que tudo será construído aos poucos e não poderemos ter pressa.

O que eu posso afirmar sobre este episódio é que conseguiram deixar aquela lentidão de lado em relação a trama principal e conseguiram explorar bastante o elemento terror da série, que nós tanto estávamos esperando. Era isso que eu queria de Supermax e eles conseguiram entregar nesta semana.

Pessoal, por hoje ficamos por aqui. Obrigada pela visita e nos vemos na semana que vem. Beijos, até lá!

Tags Supermax