Supernatural – 11×14 – The Vessel

Imagem: CW/Divulgação.
Imagem: CW/Divulgação.
Imagem: CW/Divulgação

 

Continua após publicidade

O que falar desse episódio que acabei de assistir, mas já considero tanto? Eu sei, eu sei, a parte do submarino foi super chata, mas com tantas revelações e uma trama SamCêntrica (finalmente, porque nas últimas duas temporadas só se fala em Dean), não havia jeito de eu considerar “The Vessel” um episódio ruim.

Continua após a publicidade

O que foi mais impressionante, sem dúvidas, foi o desenvolvimento de tramas secundárias iniciadas nos episódios anteriores, a exemplo da questão sobre o que tinha acontecido com o Crowley depois do episódio The Devil in The Details” (11×10). Agora sabemos que ele vem sendo “adestrado” pelo verdadeiro rei do inferno. Aliás, nossa, ver o Rei das encruzilhadas se humilhando foi chocante. Crowley sempre foi um personagem tão imponente, com um ar jocoso até mesmo quando a maré estava contra ele, sempre condescendente com o próximo. Vê-lo temeroso foi um impacto, ainda mais por toda a cena no inferno e a falta de lealdade dos subordinados (o que esperar de demônios, não é mesmo?).

Continua após publicidade

Além da resolução do que aconteceu com Crowley, tivemos ainda a revelação para os irmãos de que Lúcifer vinha se passando por Castiel esse tempo todo. E, que cena foi aquela? Fantástico. Nada de Crowley, Sam ou Dean, quem roubou a cena mesmo foi “Castiel”. A atuação do Misha foi impecável e me arrisco a dizer que foi o melhor momento dele na série até agora. Tudo isso ajudou a dar um gás para o personagem, que já há algum tempo parecia meio off, desnecessário para o desenrolar geral.

Sobre a trama do submarino e o uso da irmandade Thule: eu costumo fazer piada com o fato de que o ponto mais baixo de Supernatural foi, definitivamente, usar nazistas místicos como vilões. Sério. É tão sem pé nem cabeça, sem contar que dá um ar trash e nonsense à série. E aqui não foi diferente. A parte toda do submarino foi tão surreal e nem um pouco divertida. Parecia um comercial que se assiste esperando para voltar ao programa favorito, que no caso seria a trama da revelação de Lúcifer/Castiel. Um ponto bom disso foi que ao menos não tivemos os Thule propriamente ditos, foi mais parecido com um lenga-lenga dentro do submarino para o Dean voltar ao nosso tempo.

Continua após publicidade

No final das contas, toda a trama do Dean no submarino não passou de um artifício para que, em outro plano, pudesse ser revelada toda a verdade por trás das mentiras de Lúcifer, que estava se passando por Castiel simplesmente por conveniência. Vimos que Lúcifer, ao que parece, não precisa mais do corpo de Sam, pois o anjo Cas aguenta o tranco, e que ele guarda grandes rancores pelo irmão Winchester, que demorou para aceitá-lo definitivamente temporadas atrás. De ruim mesmo só houve essa parte boring no submarino. Que saco. E o desnecessário aparecimento dos Thule, ainda que momentaneamente.