Supernatural – 12×08 – Lotus

Imagem: Youtube/Reprodução

Continua após as recomendações

 

No último episódio da fall season, exibido na quinta-feira (8), Supernatural foi elevada a outro nível: o presidencial. “Lotus” une todos os enredos abordados durante esta temporada, exceto o retorno de Mary Winchester, além de formar uma espécie de Liga da Justiça para mandar “o-coisa-ruim” de volta à sua cela.

Continua após a publicidade

Após abandonar o corpo do roqueiro Vince Vincenti, Lúcifer começa a procurar novos receptáculos, dando preferência aqueles que possuam posições importantes e de influência na sociedade. Entre suas vítimas estão um multimilionário, um arcebispo da Igreja Católica e o presidente dos Estados Unidos. What?! Sim, caros amigos, o presidente dos Estados Unidos!

Não, não estamos falando de Barack Obama ou Donald Trump. Em Supernatural, o presidente dos USA chama-se Jefferson Rooney (David Chisum), um homem devoto e temente a Deus. Justamente por conta de sua fé é que Rooney aceita tornar-se um receptáculo de Lúcifer, pois ele acreditava que ambos poderiam formar uma parceira com o objetivo de tornar a América um lugar melhor. É óbvio, evidente, claríssimo que tudo isso é uma grande mentira. Uma das primeiras ordens do presidente endiabrado é capturar os Winchester como potenciais ameaças à sua segurança.

Dean, Sam e Cas, por sua vez, também estão se articulando para deter o avanço de Lúcifer e, para isso, aliam-se a Rowenna, Crownley e Arthur Ketch, agente britânico dos Homens das Letras. Mr. Ketch, após aparição muito rápida no final do episódio “American Nightmare” (12×04), volta à serie e apresenta aos seus companheiros o Gerador de Pulsos Hiperbólicos, instrumento capaz de realizar um tipo de “exorcismo eletrônico” (kkkkkk, Supernatural sempre me surpreende com sua criatividade!).

O mais interessante desse episódio, no entanto, vem agora: “o-coisa-ruim” vai ser papai, após engravidar a amante do presidente! Esse é um modo que ele encontrou para manter vivos os seus planos de dominar a Terra. É um verdadeiro crossover entre uma série de TV e o clássico do cinema, O Bebê de Rosemary (1968), produzido por Roman Polanski. A estratégia se mostra ainda mais oportuna após Sam, Dean, Crownley, Cass e Rowenna conseguirem exorcizar Jefferson Rooney e mandar Lúcifer de volta para casa.

Considero este um dos melhores episódios desta temporada! Confesso que após abordar tantos temas e de se manter, mesmo após 12 anos, com bons números de audiência, estava preocupada com o rumo que a narrativa de Supernatural ainda conseguisse tomar. A ideia do bebê maldito é muito boa, pois vai permitir um desdobramento e tanto para a estória. Já comentei em posts anteriores que a possibilidade de uma vingança de Mary Winchester (em relação à sua própria morte e ao modo como Sam, ainda no berço, foi amaldiçoado) seria muito bem-vinda. Em minha opinião, este seria o principal motivo de seu ressurgimento.

O nome do episódio, “Lotus”, também é bastante sugestivo. A flor de Lótus tem um efeito narcótico e, ao ser ingerida, provoca um sono pacífico e também amnésia. Lótus proporcionaria aquilo que muitas pessoas desejam: apagar o passado e renascer para um novo presente. Seria esta uma referência à Mary Winchester e sua esperada vingança? Ou ainda, ao cumprimento da promessa de Lúcifer (“I’ll be back”, bem ao estilo Exterminador do Futuro) através de seu filho que ainda está por nascer? Ou serão os dois?!

A série retorna às telas somente no dia 26 de janeiro de 2017. Até lá aguardaremos os desdobramentos da trama e então poderemos começar a criar novas hipóteses para os rumos de Supernatural.

1 comentário

Adicione o seu
  1. Avatar
    Bruno D Rangel 15 dezembro, 2016 at 14:48 Responder

    Achei tardio essa história do presidente. Acho que se Lúcifer tivesse ficado menos tempo em Vince e mais no presidente seria bem mais interessante.

    Outra coisa meio sem sentido foi a prisão dos irmãos no final. Pq não foram com Castiel?

    Fora isso, Crowley e Castiel formam uma bela dupla. Haha

Post a new comment