Supernatural – 12×14 – The Raid

Imagem: Youtube/Reprodução

O episódio desta semana dá continuidade à revelação de Mary Winchester de que ela agora faz parte da equipe dos Homens das Letras Britânicos. Tal como esperado, Dean e Sam se sentiram traídos pela mãe. Também não é para menos, né? Após terem disso torturados pelos ingleses, a ideia de unir-se a eles é, no mínimo, detestável! Entretanto, parece que, para Mary Winchester, isso não tem tanta importância e que os fins justificam os meios. É neste intuito que a mamãe Winchester convida Sam para visitar o bunker dos Britânicos: mostrar o quanto a tecnologia pode ajudar a exterminar todos os monstros da face da Terra. E os escolhidos do dia para serem eliminados definitivamente são os vampiros.

Em outro canto da cidade, Mr. Ketch tenta convencer Dean que unir-se aos Homens da Letras Britânicos é mais do que combater as forças do mal, mas saciar um desejo incontrolável de violência. Todos nós sabemos que Dean possui um lado obscuro dentro de si, isso já ficou bem claro em várias oportunidades. Este episódio tenta relembrar um pouco esta característica da personalidade do Winchester primogênito. Assim, Dean aceita a proposta de Mr. Ketch e ambos resolvem aniquilar um ninho de vampiros que se esconde em um hotel abandonado. Porém, ao chegarem lá, eles descobrem que os vampiros, na verdade, estão atacando o bunker dos Britânicos!

Continua após a publicidade

A partir daí, fica claro e evidente o quão frágeis são as estratégias dos Homens das Letras Britânicos. Para começar, havia um espião infiltrado. O sistema de segurança do bunker era ridiculamente péssimo. E onde estavam as armas super tecnológicas? Oh my God! Se o Sam não estivesse ali, naquela hora e naquele local, seria game over para os ingleses. A cara de pateta deles, diante de sua própria ineficiência, chegou a ser hilária! No final, tudo foi resolvido na faca, mesmo, e muitas cabeças vampirescas rolaram.

O ponto alto deste episódio foi mostrar que a parceira entre os Winchester e os Homens da Letras Britânicos é muito promissora. Se a relação entre as duas partes começou tumultuada, lá no início da temporada, eu penso que “pela união dos seus poderes” (Capitão Planeta feelings, kkkkk) eles poderão derrotar Dagon, o capiroto e seu filhinho. Recrutar Dean para essa parceria não será um jogo fácil, mas Sam já assumiu esse desafio: ele aceitou trabalhar com os ingleses e vai tentar convencer o irmão a se juntar ao time. Essa eu quero ver!

Outra coisa legal de “The Raid” foi o Sam atirando com o Colt! Noooossssssa, que emoção! Quem ai se lembra do Dean metendo uma bala no coração de Azazel com este revólver lendário, lá no último episódio da segunda temporada? Tenho certeza que estamos presenciando um revival de Supernatural, pois são muitas referências à estória original que iniciou a série. E isso me deixa muito animada!

O episódio, no geral, foi ok, sem muitos altos e baixos. Ou seja, a estória foi linear e abriu as portas para que as nuances que moldarão o ápice da trama sejam liberadas. Os produtores de Supernatural têm mandado muito bem na construção desta 12ª temporada, pois os detalhes realmente se encaixam. Além disso, apelar para a nostalgia dos primórdios da série é uma sacada genial! Essa estratégia prende a atenção dos fãs e nos faz querer viver a vingança do Bem contra o Mal! Desta vez, os Winchester estão mais fortes: eles têm a companhia de Castiel, Mary e dos Homens das Letras. Incluo nesta lista Crowley e Rowena. Quem sabe John Winchester também não aparece por aí? Aí, seria SENSACIONAL!

2 comments

Add yours
  1. Avatar
    Bruno D Rangel 13 março, 2017 at 10:40 Responder

    Acredito que o clima entre Mick e Mr. Ketch vai ficar mais tenso ainda. Um racha entre os HdL.
    E a segurança na sede deles estava muito fraca. Achei isso um ponto fraco do episódio, mas mesmo assim foi nostálgico e bom.

Post a new comment