Supernatural – 12×17 – The British Invasion

Imagem: Youtube/Reprodução

Continua após as recomendações

Gente, gente, os Homens das Letras Britânicos não estão para brincadeira, não! E eu que pensei que eles tinham saído lá do Velho Continente para ajudar os Winchester. Que nada! “The British Invasion” foi uma surpresa atrás da outra. A primeira delas é que mamãe Winchester está cultivando uma “amizade colorida” com Mr. Ketch. Olha ela! O outro abalo sísmico que estremeceu o episódio da última quinta-feira é que Mick Davies não está mais entre nós! Oi? Como assim? Senta que eu te explico.

Continua após a publicidade

A estória começou com o rápido retorno de Eileen Leahy à série. A caçadora está na espreita de Dagon e Kelly Kline, a progenitora do filho do “coisa ruim”, e trouxe algumas novas pistas sobre o paradeiro das duas a Dean e Sam. Mesmo a contragosto, os irmãos incluem Mick Davies na caçada, mas advertem que essa será sua última chance.

Agora, uma pausa para uma pequena observação: o coitado do Mick tem tido uns pesadelos bem ruins sobre seu passado. Achei interessante que ele estudou, quando criança, em uma escola tipo Hogwarts em que, por coincidência, também havia uma Dolores Umbridge. Pobre garoto! Porém, ao contrário de não poder treinar feitiços defensivos, tal como em Harry Potter, Davies foi obrigado a assassinar seu melhor amigo para mostrar que merecia se tornar um Homem das Letras! Pesado, hein!

Aproveitando que Kelly vai ao obstetra se submeter ao um exame de ultrassom, Dean consegue capturá-la e levá-la até onde estão Sam e Eileen: eles pretendem convencê-la a interromper a gravidez. Mick comparece ao encontro acompanhado de outro Homem das Letras enviado da Inglaterra pela sósia da Umbridge para vigiá-lo. No meio da conversa, Dagon reaparece e derruba todo mundo, pega Kelly pelo braço e desaparece no ar. Porém, Eillen, na tentativa de matar Dagon, atira acidentalmente no colega de Mick e ele acaba morrendo.

Segundo o código de conduta dos Homens das Letras Britânicos, Mick Davies deveria eliminar Eileen na mesma hora, mas Dean e Sam apelam para sua consciência e ele acaba deixando que ela saia dali com vida. Para azar de Mick, sua compaixão foi o motivo de sua morte: Mr. Ketch, ao perceber que Mick se recusava a continuar seguindo o código, deu-lhe um tiro na cabeça e acabou com a conversa fiada. Agora a ordem é aniquilar todos os hunters da América e o primeiro deles, ao que parece, é Dean Winchester. Eita!

O episódio foi bem bom! Para mim foi uma reviravolta bem grande a morte de Mick Davies, pois ele representava o elo entre os Winchester e os Britânicos. Para mim, essa parceria era o que sustentaria a luta contra as forças das trevas. Pelo jeito será a galera de sempre, mesmo: Winchester, Crowley e Cas. A propósito, Castiel está sumido desde que aceitou voltar para o céu. Não se tem notícia dele há um bom tempo. Minha esperança é que ele volte com a bola toda, com um grande exército de anjos para combater esse Nefilin que, pelo visto, é barra pesada: as imagens do ultrassom mostraram que o guri tá “bolado”!

Resumindo: tal como o próprio nome do episódio já diz, o Britânicos estão invadindo. Se eles estão dispostos a matar um membro da própria equipe, o que eles não farão com os nossos heróis? Mas o revólver Colt voltou ao lugar de onde nunca deveria ter saído: às mãos dos Winchester. Esse é um ponto a favor dos mocinhos da estória que não pode ser esquecido. Outro ponto que não podemos deixar de citar é que Mary Winchester não dá uma dentro, heim! Se envolver com Mr. Ketch?!?! Oh, man! Agora é esperar para ver se Dean e Sam vão ganhar um novo papai.

1 comment

Add yours
  1. Avatar
    Bruno D Rangel 12 abril, 2017 at 10:37 Responder

    Achei o episódio confuso, muita informação. Misturaram muito os homens das letras com a história de Lúcifer. Quando Mick começou com seu discurso de redenção acreditei que não morreria de forma tão banal, mas me enganei.

Post a new comment