Supernatural – 12×20 – Twigs & Twine & Tasha Banes

Imagem: Youtube/Reprodução
Imagem: Youtube/Reprodução

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Definitivamente, os Homens das Letras Britânicos não vieram ajudar os Winchester na batalha contra o mal. Pelo contrário, se depender de Mr. Ketch, os hunters das Américas são coisa do passado! Logo no início da temporada, os ingleses já tinham mostrado que seu objetivo era eliminar os caçadores americanos e destruir de uma vez por todas os monstros e criaturas malignas. Entretanto, no decorrer da estória, a parceria entre Mick Davies e os Winchester acabou dando a impressão de que estava se formando um time imbatível contra Lúcifer e seus súditos. Doce ilusão!

Continua após a publicidade

O episódio exibido na última quinta-feira trouxe o tema das bruxas. Contudo, não é o tipo de bruxa a que estamos acostumados, mas “bruxas inquilinas”, cujos poderes vêm de pactos demoníacos. Dean e Sam ao atenderem um dos celulares de Mary, que foi esquecido no Bunker, acabam se envolvendo em um caso de possível desaparecimento. Do outro lado da linha, estavam os irmãos Alicia e Max (lembram-se deles? Eles apareceram no episódio “Celebrating the life of Asa Fox”), caçadores e filhos de uma bruxa chamada Tasha Banes. Na última vez em que Tasha foi vista, ela estava caçando uma bruxa inquilina. Mas, para seu azar, ela encontrou a tal bruxa inquilina e foi assassinada.

Continua após publicidade

Mas qual a surpresa de todos ao descobrirem que Tasha está, aparentemente, “vivinha da silva” e hospedada em um hotel da cidade?! Na verdade, aquela não era a verdadeira Tasha, mas um tipo de vodu, completamente comandado pela bruxa inquilina. O objetivo dela era passar a maldição do pacto com o demônio para outra pessoa e, como Tasha se recusou a aceitar este “presente tão especial”, a bruxa a matou. Mas outra pessoa aceitou o trato: Max vende sua alma para trazer sua irmã, Alicia, de volta à vida, já que ela foi esfaqueada e morta durante a confusão.

Imagem: Youtube/Reprodução

Esse problema de Max ter aceitado um trato com o “coisa ruim” é só mais um dos problemas dos Winchester. Além disso, não se esqueçam de que Castiel está enfeitiçado pelo filhinho do capiroto. Para completar a confusão, Mary Winchester agora é mantida como prisioneira dos Homens da Letras Britânicos: Mr. Ketch e aquela louca que torturou Sam, lá no início da temporada, a capturaram depois que ela descobriu que Mick Davies foi assassinado e que o mesmo destino aguarda todos os hunters dos Estados Unidos.

Continua após publicidade

Tal como já falei aqui no Mix de Séries, o final desta temporada é uma incógnita para mim. Excluindo os episódios que não acrescentaram absolutamente nada à trama, os restantes me surpreenderam demais, pois todos eles trouxeram alguma novidade que eu, sinceramente, não estou conseguindo lidar. A morte de Mick Davies, a afeição de Castiel pelo “bebê maldito”, a destruição do revólver Colt, a prisão de Mary Winchester pelos Homens das Letras e o sumiço de Crowley e Rowena são uma sucessão de desastres que tornam mais indefinido o final desta estória. Pode parecer clichê, mas não há muito que fazer, senão aguardar para ver no que vai dar!