Supernatural – 13×06 – Tombstone

Imagem: The CW/Divulgação

O episódio desta semana apresentou o equilíbrio perfeito entre drama e comédia. O lado dramático ficou por conta do retorno de Castiel e da partida de Jack. O humor, por sua vez, se concentrou em Dean e sua obsessão por caubóis e estórias de faroeste.

Depois dos emocionantes reencontros dos Winchester e Jack com Castiel, eles se envolvem em um suposto ataque de zumbis. O mais interessante é que Jack foi o responsável por encontrar esse caso após rastrear o sistema da polícia (o garoto está tentando realmente se juntar à equipe e, quem sabe, se tornar um hunter). Ao saber que o foco dos ataques é a cidade de Dodge City, conhecida por conservar as tradições do Velho Oeste, Dean fica todo animado e começa a se vestir e a se comportar como um caubói. A parte em que ele obriga Castiel a colocar um chapéu no estilão Billy The Kid é hilária!

Continua após a publicidade

As covas do cemitério de Dodge City estavam sendo violadas e os corpos simplesmente desaparecendo sem deixar pistas. Ao investigar as evidências deixadas no local, Sam e Jack encontram um osso humano cheio de marcas de mordidas, fato que os faz desconfiar de que estão lidando com um Ghoul: criatura que come cadáveres e assume sua aparência. Diante da dificuldade de prender um mostro que pode assumir a identidade de qualquer pessoa, Jack mostra novamente o seu valor ao cruzar dados de câmeras de segurança do local onde uma possível vítima teria sido assassinada. O garoto descobre que o suspeito é Dave Mather, um dos maiores pistoleiros da história, morto em 1886! É, só pode ser um Ghoul, mesmo!

Seguindo os rastros do falso Dave Mather, o quarteto fica sabendo que ele está prestes a assaltar o banco da cidade. Bem no momento em que Mather aparece carregando o saco de dinheiro, começa o bang bang. Aí acontece algo que, provavelmente, mudará Jack para sempre: com a intenção de resolver a situação, ele ataca o bandido, mas acaba por matar o segurança do banco. Outra frustação veio logo em seguida quando Castiel constata que não possui mais os seus poderes e, por esse motivo, não pode devolver a vida ao pobre homem.

Imagem: The CW/Divulgação

No final das contas, Dean e o sargento de Dodge City conseguem matar o Ghoul. Entretanto, creio que a estória do monstro e dos caubóis de Tombstone serviu apenas como um pano de fundo bem humorado, uma forma de nos descontrair, para depois jogar na nossa cara o terrível erro cometido por Jack. O pior de tudo é que, sem conseguir suportar a dor de ter matado um inocente, mesmo que sem intenção, o garoto foge do buncker e deixe para trás Dean, Sam e Castiel.

Sinceramente, eu não vejo boas perspectivas para os próximos episódios. Uma possibilidade é que, ao perceber que Jack agora está sozinho, logo de seus guardiões, Asmodeus volte a se aproximar dele. E mais, se o Prince of Hell estiver acompanhando Supernatural tão assiduamente como nós do Mix de Séries, ele já deve estar sabendo que Jack é capaz de ressuscitar os mortos. Logo, talvez ele use o menino para trazer o capiroto de volta à trama. É certo que, neste momento, Jack está extremamente vulnerável a ser recrutado pelas forças do mal.

Acho que esse é um enredo possível, principalmente, por que a estória daquela realidade paralela onde Mary e Lúcifer estão presos ficou meio esquecida neste início de temporada. Então, penso que esta é a hora ideal para seu retorno. A partida de Jack logo após a volta de Castiel para mim foi uma grande surpresa. Pensei que eles passariam um tempo juntos, se conhecendo, fortalecendo o lado bom que parecia se consolidar no coração do garoto. Mas, infelizmente, aconteceu tudo ao contrário. Ô, Jesus! E agora, quem poderá nos defender?!

No comments

Add yours