Teu Passado Te Condena: Anna Paquin

Continua após publicidade

A luz do passado.

Continua após publicidade

Anna Paquin é um prodígio. Com apenas 11 anos de idade ela recebeu sua primeira estatueta do Oscar por sua atuação em O Piano, sendo a segunda atriz mais jovem a receber o prêmio. Esse foi o estopim para uma carreira de sucesso no cinema, no teatro e na TV.

Em 2000 ela consegue o seu grande papel em escala mundial como Vampira, no primeiro filme dos X-Men, papel este que repetiria nas sequências X2 e X-Men: O Confronto Final. E eis que em 2008 a palavra vampiro é novamente associada ao seu nome, ela foi escolhida para interpretar a protagonista de True Blood, a fada Sookie Stackhouse.

Continua após publicidade
Continua após publicidade

Sua trajetória na série vampírica da HBO se encerrou no último domingo, e podemos dizer que Anna saiu ganhando. True Blood lhe rendeu um Golden Globe de Melhor Atriz em Drama, o marido Stephen Moyer (Bill Compton em True Blood) e dois filhos.

Mas alguém que já tem True Blood no currículo poderia ter algo mais vergonhoso?

Continua após publicidade

 

Continua após publicidade

Anna Paquin True Blood

Continua após publicidade

 

Continua após publicidade

Não, né? Quer dizer, sim (o que dizer do sonolento O Casamento do Meu Ex?), mas não, não hoje, não para este que escreve após assistir o series finale de True Blood. A recente morte verdadeira da série mal me impede de chutar o morto de vez, então vamos deixar que a luz das fadas nos ilumine e lembrar de um passado bem legal de Anna Paquin, ela merece.

Continua após publicidade

Em 1996 Anna Paquin era Amy Alden no amável Voando Para Casa. No filme, após perder a mãe em um acidente de carro, Amy vai morar com o pai, Thomas (Jeff Daniels, The Newsroom), um excêntrico inventor. Durante a difícil convivência com o pai, ela acaba encontrando alguns ovos e resolve chocá-los mecanicamente. E de lá nasce uma ninhada de gansos selvagens que a tomam como mãe. Mas como gansos são aves migratórias, ela tem que arrumar algum jeito de fazê-los voar para casa, para a natureza.

É um filme lindo e que marcou a infância desse que vos escreve, e como a coluna de hoje veio num clima diferente, fica aqui a recomendação desse querido filme.

Goodbye Fangs, goodbye Bon Temps, goodbye Sookie Stackhouse!

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=FCjlubLJcxk[/youtube]

 

Mix de Séries adverte: essa coluna foi escrita sobre influência de um series finale não muito satisfatório e de um luto por um guilty pleasure finalizado. Pode conter inconstâncias sentimentais.