The Big Bang Theory – 9×09 – The Platonic Permutation

Imagem: hypable

Imagem: Hypable/Divulgação

Continua após as recomendações

 

O que dizer sobre um episódio que não tem muito o que dizer? Apesar de ser um episódio que se passa no Thanksgiving, não teve uma aura de comemoração ou gratidão que geralmente esse tipo de episódio apresenta. Não teve muita história pra contar, na verdade pareceu um episódio pra encher linguiça e a única parte realmente importante aconteceu no final.

Continua após a publicidade

Imagem: Apaixonados Por Séries/Divulgação

Imagem: Apaixonados Por Séries/Divulgação

Como sempre, Penny e Leonard receberam destaque e pela primeira vez em muito tempo não foi maçante e conseguiram arrancar risadas com sua mentira improvisada e sincronizada contada para Sheldon, e a sedução de Leonard ser interrompida pelos amigos.

Tivemos a volta do Howard como astronauta, esse plot surgiu em uma conversa com o Elon Musk em uma cozinha pública alimentando os sem teto. Será que teremos Howard trabalhando em outro lugar ou viajando para Marte? Espero que sim, seria incrível ver isso de novo!

Também na cozinha pública, vimos Bernardette, Raj e – surpresa – sua namorada! Apesar de terem feito uma ponta, nenhum deles foi relevante para a história, na verdade acrescido que o único motivo de Emily aparecer nesse episódio foi para lembrarmos de sua existência. Logo, essa semana eles entraram para a figuração de luxo da série. Aliás, perceberam que já faz um bom tempo que Stuart não aparece? Gosto assim!

Amy e Sheldon… Parece que essa temporada é deles, essa semana eles foram comemorar o dia de Ação de Graças no Aquário. Essa foi a primeira interação de verdade entre eles depois do término e algumas coisas foram esclarecidas. No final do episódio vimos o amadurecimento de Sheldon, que não conseguia superar sua ex-namorada, e o regresso de Amy, que estava trilhando um caminho diferente do que ela estava acostumada durante toda sua vida, levando em conta o quando era tímida antes e muito mais oprimida pela sua mãe (numa versão mais real de Carrie, a estranha). O pedido dela para reatar o namoro tinha ficado óbvio a partir das cenas deles jogando uma versão marinha de “Namorar, casar, matar”, e ainda assim consegui me surpreender com a cena porque não imaginei que seria tão rápido, pensei que iriam demorar mais um pouco para poder desenvolver a história.

O episódio foi mediano e sem muita história, mas teve um final digno e momentos para dar risada, esses dois motivos justificam a nota do episódio. Até agora foi o mais “morninho” da season.

Até a próxima!