The Blacklist – 5×03 – Miss Rebecca Thrall

Imagem: NBC/Divulgação

Uma repartição pública, típica, cheia de gente aguardando ser atendida e ao que parece, demorará o dia inteiro. Red tenta se espremer entre as pessoas sentadas para encontrar uma cadeira livre, e quando encontra percebe que continuará espremido, mas desta vez entre um senhor que tosse bastante, muito próximo a ele, e uma senhora que sem o menor pudor saca um pote contendo uma coxa de frango e a devora ali mesmo. Quase deu pra sentir o cheiro. Essa cena coloca Raymond entre os simples mortais, e pela primeira vez desde que ficou pobre, a situação parece incomodá-lo um pouco. Como no caso da esmagadora maioria dos indivíduos no mundo, quando precisamos de algo (e esse algo é dinheiro), sacrifícios são necessários e feitos.

Mas Red sabe quem procurar e esse sacrifício vale a pena quando recorre a Glen Carter (Clark Middleton, que também teve uma aparição em Twin Peaks muito digna), um de seus fiéis e exóticos parceiros. Como se era de esperar Glen se compromete ajudá-lo, não sem antes tirar uma casquinha da atual posição social e financeira de seu interlocutor. Pressionado, Red não tem outra solução que não seja se submeter e seguir com seu plano para se livrar de antigas dívidas.

Contrariamente a Reddington, o agente Ressler é um sujeito que não consegue lidar bem com pressão e chantagem, muito menos elaborar complexas reviravoltas que desorientem seus oponentes. E agora parece que sua situação está piorando, visto que Donald está sendo chantageado inescrupulosamente e forçado a cometer crimes que não cometeria, e mais, já foi avisado que será solicitado muitas outras vezes, indicando claramente que está nas mãos de seu cúmplice. O mesmo que o ajudou a dar sumiço no corpo da secretaria de segurança.

Continua após a publicidade

Muito interessante o convite de Red para que Tom se juntasse a ele na empreitada da transição das armas. E como os movimentos do nosso protagonista nunca são em vão, podemos supor que talvez, mesmo não gostando de seu genro, ele pode pensar em integrá-lo a sua equipe, seja por necessidade ou simplesmente porque é bom tê-lo por perto e vigiar seus movimentos. Fato é que os dois se estranham ainda bastante e isso ficou bem evidente no momento em que ficaram a sós e as desconfianças de Tom Keen aumentaram significantemente. Enquanto isso, Liz parece incentivar essa aproximação e talvez levada pelo seu instinto natural de preservação, em algum lugar supostamente delirante da sua mente, ela imagina que um dia poderá ter uma família unida e normal. E falando em equipe, a recém formada de Raymond Reddington se reuniu pela primeira vez, e no estilo meio Macgiver, com poucos recursos e muita imaginação…  Passou no teste. Um desfecho inusitado, tranquilho e promissor para esse episódio. A melhor conversa da semana: Dembe – É um bom avião Raymond! – E este responde – Sem combustível e sem piloto, mas é nosso!

Avatar

No comments

Add yours