The Crown – 1×06 – Gelignite

Foto: Netflix

Imagem: Netflix

 

O romance entre a princesa Margareth e Peter, veio a tona e isso não foi nada bom para a coroa. Esse drama paralelo é o foco de “Gelignite” e divide opiniões entre os fãs. The Crown sempre se apresentou bastante dinâmico e não foi diferente com este episódio, que apesar de em momentos se apresentar fraco ainda manteve uma estrutura coesa.

Margaret e Peter vêm a Elizabeth com um pedido. Peter, que vinha mantendo uma relação mediana com sua esposa, enquanto prestava serviços a rei George VI, após a morte do rei e a decisão de manter-se a serviço da corte real, cooperou para o fim do casamento. Agora divorciado, decide-se casar com Margareth, que claramente muito apaixonada está ansiosa pelo acontecimento. E o fato do divórcio de Peter ser apresentado como culpa exclusiva de sua esposa, que contou com nada menos que sua ausência durante anos, é revoltante, fato que também é reforçado pela própria rainha. Transformando Peter é um grande garanhão, e sua esposa a culpada pelo fim do relacionamento. Mas isso, meus caros, são os nossos verdadeiros dramas sociais e válidos ao ser trazido para a série. Só espero profundamente que tenha sido incômodo para você o quanto foi para mim.

Continua após a publicidade

A rainha Elizabeth apesar de muito surpresa com o pedido de se casarem, promete ajudar como pode, promessa esta que depende de muito mais que consentimento familiar, visto a posição de Elizabeth não apenas como irmã, mas como rainha e chefe de Igreja.

Quando um jornal decide expor o romance “secreto” de Margareth e Peter, toda a corte se encontra em um grande dilema. Elizabeth se depara novamente com o dramático confronto entre uma mulher fraternal que anseia pela felicidade de sua irmã e uma rainha que precisa cumprir seus deveres. É muita ingenuidade, Margareth e Philip (marido da rainha) insistirem em ignorar o fato de que Elizabeth agora é rainha e responde por atos, onde sua figura monarca é duramente afetada, ou é maldade mesmo? Parece que ninguém próximo, além da Rainha-Mãe, ainda entendeu o grande fardo, e o dever que envolve escolhas muitas vezes duras. Todo o tempo, tentar conciliar a felicidade da família com o que ela pode fazer para manter a coroa estável é um trabalho muito árduo.

Philip que se mostra bem “saidinho”, neste episódio. Também apresenta certa imaturidade, assim como Margareth. Quando suas vontades são negadas, se tornam personalidades extremamente diferentes, agindo de forma desrespeitosa (no caso de Philip), injusta e egoísta com a rainha. Algo como “se minhas vontades não são atendidas como quero, nada feito, me passa o telefone que eu vou dar uma dura na rainha”. Cresçam, amiguinhos. Trata-se de algo muito maior que vocês e onde todos deveriam estar dispostos a fazer sacrifícios.

O dinamismo no episódio se dá com a ajuda de Tommy, e as tentativas da corte em manter a situação sob controle, lidando com o assédio da imprensa. Margareth e Peter são adoráveis e conquistam a simpatia de amantes em qualquer lugar. Apesar da relação ser tratada na serie até então de forma muito rasa e superficial, para um escândalo de tal proporção, poderíamos ter tido mais dos dois personagens para sentirmos esse drama profundamente. Com o amor em jogo, merecem ficar juntos com certeza e se casarem da forma que desejam indiferente dos eventos legais passados. E a maneira como são separados por protocolo é de fato triste. Porém, as coisas podem ser resolvidas com sensatez, sem “pitis”, dando tempo ao tempo e respeitando mais a posição de Elizabeth como rainha e responsável por algo maior. As coisas não se resolveram da melhor forma e o resultado se deu em momentos realmente tensos entre Elizabeth e Margareth, rm parte pela irreverência desnecessária, que eu friso em citar, da última. Medidas são tomadas e se acertadas, só o tempo dirá. O fato é que ninguém e nem nada deve brilhar mais que a coroa.

A fotografia continua linda, num enquadramento perfeito, onde a simetria aliada aos primorosos elementos de cenário e figurino tornam-se um presente para o espectador. As cenas externas também são as queridinhas, onde somos bombardeados com uma direção impecável. Teve novela e teve show sempre espetacular.

Tags The Crown
Avatar

No comments

Add yours