The Defenders – 1X07 – Fish in the jailhouse

Imagem: Netflix/Divulgação

Continua após as recomendações

Mais um episódio se inicia com um flashback. Dessa vez, mostrando o relacionamento de Elektra e Stick quando ela estava tentando recrutar Matt para o Casto para combater o Tentáculo. O roteiro utiliza esse recurso para mostrar que ela sempre agiu seguindo ordem de alguém e matar Alexandra foi seu grito de liberdade. Céu Negro fez seu movimento mais surpreendente e agora é ela quem dá as cartas e comanda a Organização. Apesar dos outros líderes não aceitarem não há confronto. São três contra uma, três pessoas “imortais” com habilidades que podem enfrentar o Céu Negro de igual para igual, mas se tornam passivos agressivos. Céu Negro segue com suas próprias motivações, conseguir mais da tal substância e viver mais. Mas seria só isso? Ela não se importa com o Tentáculo, e até ficaria feliz em ver o fim da organização, de preferência por suas mãos.

Continua após a publicidade

As coisas não andam muito boas para os defensores. Após perderem uma briga contra o Céu Negro, Danny se torna refém da organização e Matt, Jessica e Luke são pegos pela polícia inconscientes na cena de crime com duas vítimas de homicídio sem identificação. A detetive Knight e a polícia de NY querem respostas e nossos defensores não tem tempo para isso ou toda cidade será destruída. Eles precisam sair da delegacia e se mover rápido, mas precisam agir com sabedoria para não destruírem ainda mais sua imagem. Jessica e Luke são pessoas com superpoderes conhecidas por todos, mas se a identidade do Demolidor for revelada pode trazer sérias complicações para carreira de Matt e até mesmo para Foggy.

Para Matt é complicado acordar em um lugar barulhento sem saber onde está por ser cego. Jessica e Luke também acordam sem entender como foram parar na delegacia. Estão presos até que alguém entregue alguma informação relevante sobre a cena do crime. Com ajuda de Foggy, Matt e seus amigos encontram um jeito de sair mais rápido da delegacia para salvar a cidade. Um fato curioso é que Jessica e Luke são tratados com desconfiança e pressão, enquanto Matt parece ter tratamento especial. Por ser advogado? Cego? Não fica claro. Mesmo Luke entregando informações sobre o Tentáculo fica difícil para detetive Knight e a policia acreditarem.

Matt tem uma conversa com Karen sobre voltar a ser o demolidor, e Foggy que depois de questionar o amigo lhe entrega o uniforme do demônio de Hell’s Kitchen. Aqui fica claro que ele finalmente percebe que seu amigo tem uma missão a qual precisa honrar, mesmo que seu desejo seja esse o ultimo ato de Matt como Demolidor. Os defensores voltam a lutar juntos, dessa vez com um a menos. Uma sequência de luta normal, sem nada espetacular. Jessica enfrentando Madame Gao e a derrubando várias vezes chega ser engraçado. Coleen que há pouco tempo estava ferida aparece nova em folha lutando ao lado dos defensores.

O episódio entrega duas sequencias de luta ao mesmo tempo, a luta do Céu Negro e Danny no buraco e Demolidor, Jessica e Luke lutando contra os lideres do Tentáculo. A luta de grupo mais uma vez é confusa, tornando a sequencia de luta no buraco mais atraente. Céu Negro se aproveita do lado explosivo de Danny para provocá-lo ao máximo para que ele use seu punho e abra a porta bloqueada. Assim, ele se mostra mais uma vez um idiota e não um herói. Danny inocente cai na armadilha da inimiga e quebra a parede.

Um dos momentos mais interessantes é a conversa de Coleen e Claire. A química entre as duas é muito boa e suas personagens se complementam. Claire se pergunta como ela foi parar no meio de toda essa confusão. Pelo diálogo fica claro que Claire depois de ter contato com todos os defensores e seus mundos carrega em si uma alma de heroína também, mesmo sendo mais vulnerável. Claire começa a perceber como ela se encaixa no mundo dessas pessoas com poderes especiais saindo da posição de apoio.

Imagem: Netflix/Divulgação

Quem também começa a entender o mundo dos heróis e começa saber se posicionar é a detetive Knight. A atriz Simone Missick entrega uma interpretação poderosa se mantendo fiel ao trabalho apresentado em Luke Cage e trazendo uma evolução. Knight é uma ótima adição a série. Ela imprime a figura de alguém que está disposta a fazer sempre mais para ajudar as pessoas e sua cidade. Apesar de trabalhar para policia ela entende que nesse mundo existem algumas situações que a lei tradicional não pode ser aplicada e outro caminho deve ser seguido. Vamos admitir que pessoas com habilidades especiais seria uma ótima vantagem para policia nesses tipos de caso. Knight logo percebe que é melhor trabalhar com elas do que contra elas, mesmo que isso ameace sua carreira. Apesar de Luke e seus amigos terem fugido da delegacia atravessando uma parede, ela acredita neles.

Em um dos momentos mais divertidos, Jessica, Luke e Matt precisam se mover rápido e fugir da policia e acabam pegando um metrô. Jessica sempre autentica rouba cerveja de um cara que está dormindo e justifica “foi uma semana difícil”. São momentos assim que mostram que todo super-herói também é uma pessoa comum. A Marvel com humor procura sempre trabalhar de forma simples o lado humano de seus heróis.

Outro momento importante é o diálogo entre Danny e Céu Negro. Ela fala com Danny, que ambos foram usados como armas em uma guerra que não começaram. Uma possível união deles não significaria que Danny tornou-se mal. Apesar dela representar perigo ao analisar o flashback com Stick percebemos que Matt foi capaz de mudar Elektra antes, isso cria certa esperança para ela voltar ao normal.

A conclusão do episódio mostra a parede construída pelos sacerdotes de K’un-Lun destruída pelo Punho de Ferro e Danny visualizando o esqueleto de um dragão. Seria o mesmo dragão em seu peito? Matt, Jessica e Luke ao lado de Coleen estão prontos para proteger a cidade e fazem seus movimento finais. Agora é esperar pela conclusão da história trazer um confronto épico entre bem e mal, luz e escuridão.

Nenhum comentário

Adicione o seu