The Exorcist – 1×01 – Chapter One: And Let My Cry Come Unto Thee [SERIES PREMIERE]

Imagem: Banco de Séries.
Imagem: Banco de Séries.
Imagem: Banco de Séries

 

Continua após publicidade

O episódio “Chapter One: And Let My Cry Come Unto Thee” marcou  o início da primeira temporada da adaptação televisiva de um dos maiores clássicos do terror, The Exorcist.

Continua após a publicidade

O começo do episódio mostrou um padre Tomas tranquilo e ligado à sua comunidade local. Mas com o decorrer do episódio, percebemos que a história do personagem pode ser bastante interessante. Ele não virou padre por vocação e sim por pressão de sua avó, o que explica as dúvidas em relação às suas crenças. Além disso, quem era aquele cara que o padre viu do outro lado da rua e que tentava falar algo para ele? E quem é a tal mulher casada que mandou a carta para ele? O passado do padre deve guardar histórias não muito felizes. Outra coisa que me deixou curioso para os próximos episódios é saber como a possessão da menina vai interferir na vida do padre. O evento vai mudar a forma como ele vê a religião.

Continua após publicidade

Já o padre Marcus é bem diferente, mas não menos interessante. Mais durão, ele trabalhava, sob ordens da igreja, lutando contra demônios ao redor do mundo. Entretanto, o caso do menino mexicano parece ter mexido com ele. A cena da possessão demoníaca foi muito bem feita, ainda mais quando se trata de uma série de TV aberta. Parabéns à Fox. Assim como Tomas, Marcus deve ter um passado bastante misterioso e isso talvez seja explorado na série.

Imagem: Banco de Séries.
Imagem: Banco de Séries

Por fim, a família Rance. Um pai que pouco fala e uma filha com indícios de depressão pareciam ser os principais candidatos à possessão demoníaca e, antes mesmo da série começar, tudo indicava que a filha mais nova, Kat, seria a escolhida. Confesso que em momento algum passou pela minha cabeça que haveria um plot twist logo no primeiro episódio da série. Fui bem inocente. Acreditava que tudo já estava definido e o que importaria mesmo seria como os padres venceriam o demônio. Apesar de ter errado, gostei bastante da reviravolta. Coitada da Kat, estava apenas num momento difícil da vida dela, perdeu a amiga no acidente de carro, e, talvez, por isso não queria sair do quarto ou se socializar.

Continua após publicidade

Além disso tudo, o final do episódio guardou um presente aos fãs do filme original. Ouvir “Tubular Bells“, a clássica música tema composta por Mike Oldfield, foi sensacional. Poucas músicas causaram tanto impacto quanto essa e valeu a pena esperar até o fim do episódio para poder ouvi-la novamente.

Observações:

1. Esse primeiro episódio, apesar de não ser espetacular, superou minhas expectativas. Saí contente (talvez não tenha sido a melhor escolha de palavra para descrever o sentimento após um episódio de uma série de terror, mas vai assim mesmo) com o que vi. As atuações e os efeitos foram bem decentes. Resta saber se a série vai conseguir se manter ao longo da temporada sem ficar cansativa.

2. Outra referência ao filme apareceu quando o padre Tomas foi pesquisar sobre exorcismo na internet e acabou encontrando uma matéria falando sobre os acontecimentos em Georgetown.

 

Jornal_Exorcista_Filme
Imagem: Banco de Séries.

 

3. Achei perfeito o horário que a série passa aqui no Brasil (meia noite de sexta pra sábado). Bem próprio pra uma série de terror, pois ajuda a criar uma atmosfera mais aterrorizante. Pra quem assistiu o episódio de dia, recomendo que assista o próximo de madrugada. De nada.

4. Estou esperando a cena do vômito verde. Por favor, Fox!

Abaixo o promo do próximo episódio, “Lupus in Fabula”, que mostra Marcus e Tomas trabalhando juntos.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=3WX-tU2PJ4o[/youtube]

 

“He chose you”. Até semana que vem!