The Flash – 2×23 – The Race of His Life – [SEASON FINALE]

flash-finale

Imagem: Banco de Séries

Continua após as recomendações

Logo de início já vou jogar as verdades, me senti tipo aquela história “nossa eu assisti tudo isso só para no final o protagonista estar sonhando?”. Foi  bem assim que me senti inicialmente. Porém, depois vi o lado bom da coisa, a segunda temporada foi de boa para ruim em um piscar de olhos, e quando uma coisa tá ruim não da vontade de resetar tudo e começar de novo? Isso sempre será possível em Flash. Morreu mãe, morreu pai (porque parece que herói só é herói quando fica totalmente órfão) e ele simplesmente resolveu voltar no tempo, agora controlando melhor suas habilidades, e salvou sua mãe. Como isso vai afetar o futuro, ah meus queridos amigos, existem infinitas possibilidades.

Continua após a publicidade

A melhor teoria com certeza que ferveu a cabeça dos fãs essa madrugada foi a de que os produtores já irão adaptar o Paradoxo Flashpoint, onde exatamente assim Barry voltou salvar a mãe porém no presente alternativo ele nunca ganhou seus poderes, sua mãe está viva, Iris é casada com outra pessoa, e a Liga da Justiça não existe. Então ele conta com a ajuda de Batman e Cyborg dessa realidade para restaurar a linha temporal original porque essa está sendo devastada por uma guerra entre as amazonas de Diana (Mulher-Maravilha) e os exércitos de Atlantis, liderados por Orin. Como os produtores vão lidar com isso? Bem, agora será possível trazer a Supergirl e Gotham para essa realidade facilmente emplacando alguns crossovers bem legais. Se isso realmente acontecer meus amigos, The Flash pode se tornar épico. Mas não acredito que eles trarão Batman para as séries já nesse momento.

Sobre o episódio, os acontecimentos foram medianos, só o final mesmo que foi incrível. A luta inicial com Zoom teve aquela dose de CGI incrível, e ali já descobrimos que ele tem infinitas cópias dele mesmo, os remanescentes do tempo passado que aceitaram vir ajudar. Parece um mato, corta e sempre cresce mais. Mas o nome do episódio, “A Corrida da Vida Dele quis apontar para o objetivo de Zoom, acabar com o multiverso por meio do Magnetar, com a ajuda de Barry em uma corrida histórica para dar energia ao dispositivo. Mas o time TRANCOU Barry para que ele não fosse correr com raiva e perder novamente para o Zoom, ao contrário, até então pareceu que ele aprendeu com seus erros e com os acertos do inimigo. O time Flash resolveu tratar eles mesmos de mandar Zoom para o inferno, eaté conseguiriam se Joe não tivesse falhado com a arma. Acabou indo junto e o time (+ Wally) ficou desesperado com a partida de Joe. Tirar ele de lá ou não?

Claro que Barry foi ao resgate de Joe, lógico, já estava sem um pai. Aceitou a corrida mas deu uma de esperto, pegou uma cópia também, do passado e enquanto ele batia em Zoom até achatar ele, o outro desmagnetizou o Magnetar. BOOM! Além disso ,ele chamou a Speed Force para levar Zoom para o limbo dos velocistas. Achei muito bem pensado, até mesmo para Barry sozinho. Tudo certo? Não, Barry ainda estava com os pais mortos. E daí que ele teve a ideia mais besta de sua vida, no lugar de seguir em frente ele voltou, e voltou.

E agora tudo o que pode mudar, tudo vai mudar. Wells voltou para Terra-2 com Jesse e o cara da máscara de ferro (que descobrimos ser o verdadeiro Jay Garrick) que é o focinho do pai do Barry. Mas não fiquei chocada com isso. As ramificações do ato final do Flash podem trazer o Reverso de volta, Eddie e sabe-se lá quem mais. O que ele pode ter feito na melhor das intenções pode também virar uma catástrofe. Esperemos, e oremos, apesar de que, o Universo DC parece ser infinito.

Hello Mama Allen

Bye Bye Zoom Chato

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours