The Flash – 3×16 – Into the Speed Force

Imagem: IMDb/Divulgação

O episódio dessa semana de The Flash manteve o tom ameaçador e agourento do capítulo anterior, já intensificando a trama para o fim da temporada, e ao mesmo tempo nos deixou sentindo uma leve nostalgia ao trazer vários antigos personagens da série para uma rápida participação.

Eu realmente gosto dos episódios em que Barry precisa lidar com a Força de Aceleração e até mesmo precisa viajar para dentro dela. Isso aproxima mais a série dos quadrinhos e sua relação com a ficção científica, assim como justifica o retorno de atores e seus personagens, que já passaram pela série. Ver Rick Cosnett, Robbie Amell, Wentworth Müller e John Wesley Shipp mais uma vez, mesmo que rapidamente, me fez sentir saudade da excelente primeira temporada da série. Menção honrosa aqui para Rick Cosnett que foi incrível do começo ao fim de sua cena, mais um vez provando como o ator foi mal aproveitado na série. Mesmo que representando a Força de Aceleração usando o subconsciente de Eddie, só me deixou ainda mais com vontade de vê-lo como inimigo de Barry.

Continua após a publicidade

Jay Garrick aparecer e tomar o lugar de Wally como sacrifício foi a grande surpresa do episódio e trouxe certo peso emocional para Barry. Quando achávamos que Wally era sobre quem a profecia estava se referindo, ao dizer que alguém teria um destino pior que a morte, os roteiristas nos surpreenderam novamente. Talvez fosse mesmo Wally e com essa jogada de Jay o time consiga mudar mais um ponto em relação ao futuro. Apesar de tudo, foi convenientemente muito fácil resgatar Wally da Força de Aceleração depois de apenas um episódio preso, arruinando o momento chocante criado por Savitar no episódio anterior. Sabemos que essa é a série sobre o homem mais rápido do mundo, mas nem tudo precisa ser rápido assim. Seria interessante ver o que poderia acontecer ao personagem se ele passasse mais tempo dentro da Força de Aceleração e que o nível de dificuldade para o resgate fosse compatível ao temor dos personagens em relação ao ato.

Embora a presença de Jesse Quick não tenha me agradado tanto nos últimos episódios, vê-la em ação solo foi interessante. Também não esperava que ela iria se despedir e partir para a Terra 3 já nesse episódio, o que me deixa imaginando qual poderia ser seu destino na série depois do que Savitar lhe disse. Ver Jesse golpeando Savitar com o fragmento de sua própria armadura pareceu mais uma saída fácil dos roteiristas para fazer o grupo “perceber” que existe um humano por baixo da armadura. Não estou falando do fato em si, mas da forma com que ocorreu. O tal deus da velocidade não seria capaz de impedi-la? Ou mesmo recuperar o fragmento mais rápido? Sem contar que a ideia ter vindo de HR apenas desmoralizou todo o time Flash que conta com quatro cientistas! Vergonhoso.

Não sei o que Barry estava planejando ao terminar seu relacionamento com Iris pensando em salvá-la do seu trágico futuro, mas é outra prova de quão perdido e desesperado ele se encontra. Afastar as pessoas não mudará os planos de Savitar, nem o fato dele conhecer muito bem os sentimentos de Barry por sua família e amigos.

Mesmo com as falhas, “Into the Speed Force” teve muitas surpresas e momentos interessantes envolvendo a Força de Aceleração. A identidade de Savitar continua uma incógnita e agora talvez o time Flash comece a buscar a verdade por trás da armadura. Alguns acontecimentos não se realizaram da forma com que deveria ter sido, mas trouxeram conteúdo para o que está por vir. E assim tem sido essa terceira temporada, entre altos e baixos, episódios medianos e episódios bons.

EASTER EGGS:

– Esse foi o segundo episódio que Barry viaja para dentro da Força de Aceleração. O primeiro foi “The Runaway Dinosaur“, da segunda temporada.

– Este episódio bateu o recorde com o maior número de velocistas em apenas um episódio: foram 6.

– O nome que substituiu o de Iris no jornal de 2024 é da jornalista Julie Greer. Nos quadrinhos, ela era uma repórter do KN News, na época em que Wally West era Flash.

– A Força de Aceleração se passando por Snart diz para Jay Garrick que irá desacelerar seus “anos dourados”, uma referência a era dos quadrinhos a que o personagem foi introduzido.

– Referências Nerds by HR (sim, todo episódio tem então acabei incluindo uma categoria só pra ele):
(1) HR se refere à Força de Aceleração como “Negative World”, ao qual Cisco fica surpreso de existir Super Mario na Terra 19. Eles estão se referindo ao “Minus World”, um nível no primeiro jogo do Mario que é conhecido como uma das maiores falhas da história dos videogames.
(2) HR confunde o personagem Schroeder, de Snoopy, com o experimento “gato de Schröeder”. Ele então diz que na Terra 19 é o Charlie Brown quem toca o piano.
(3) “He is not a god, he’s just a man, baby!“, um referência a fala “she ain’t no woman, it’s a man, baby!” de Austin Powers: Um Agente Nada Discreto (1997).

– Referências Nerds by Cisco Ramon:
(1) “By George, I think he’s got it.“, uma fala do filme “Minha Bela Dama” (My Fair Lady, 1964).
(2) “Ao infinito e além.”, Toy Story (1995).
(3) Quando conversando sobre o fragmento da armadura de Savitar, Cisco faz uma referência ao filme animado O Gigante de Ferro (1999).

Tags The Flash
Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

1 comment

Add yours
  1. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 19 março, 2017 at 20:54 Responder

    Foi um episódio muito bom, e eu particularmente adorei. Aliás, faz umas três semanas já que Flash vem nos proporcionando uma sequência incrível de episódios. Concordo com o que vc disse sobre o mal aproveitamento de Eddie na história, e eu também esperava vê-lo como inimigo de Barry. Sobre o Wally, ele voltou todo traumatizado, e acho que isso é algo que vai render, tipo as “consequências” do tempo em que ficou preso

Post a new comment