The Flash – 4×02 – Mixed Signals

Imagem: The CW/Divulgação 

“Você não é o Flash, Barry. Nós somos”

Sabemos que nesta temporada The Flash está tentando retomar o sentimento de sua temporada de estreia. Já tivemos um ótimo gosto em sua season première que trouxe uma ótima abordagem ao resgatar características que marcaram o ano um. Nesse segundo episódio então ficou mais do que claro que a comédia e o tom leve é que ditarão o modo como a história irá caminhar esse ano. Só que aqui, ao meu ver, quem teve os “sentidos embaralhados” foram os roteiristas que pecaram em alguns pontos.

Acabamos de sair de uma terceira temporada com um peso dramático impactante na vida dos personagens. Trazer esse tom cômico de uma hora pra outra, em quase todas as cenas, acaba soando forçado. Barry, por exemplo, parece ter encarnado um personagem de comédia pastelão. Suas cenas ditas “cômicas” na terapia em casal (sério, onde estavam com a cabeça de pensarem nessa ideia pro episódio) não soaram naturais. Desde quando Barry faz piada com o fato de ter perdido os pais dessa forma? O equilibro demonstrado no episódio anterior parece ter se perdido um pouco nesse episódio. Não digo dele como um todo, mas sim nos momentos onde não deveriam estar tão escrachados. Diferente de quando o personagem divide a cena com Cisco, como, por exemplo, quando está sofrendo com os defeitos das novas tecnologias presentes em seu novo uniforme que foi hilário.

Continua após a publicidade

Imagem: The CW/Divulgação

Em contrapartida, este episódio mostrou como Barry não evoluiu nada após mais de três anos sendo o Flash. É frustrante ver que Barry ainda precisa dos discursos motivacionais de Iris depois de todo esse tempo, sem contar com ela contradizendo tudo o que o herói faz, como se ela fosse a pessoa mais importante desse mundo. Ok, sabemos que os dois tem um relacionamento, que consequentemente ela passa a ser uma das pessoas mais importantes pra ele, que isso é um série da CW, mas julgar o porquê ele a “abandonou” ao se entregar pra Força de Aceleração na temporada anterior? Ele salvou você, Iris, sua família, sua cidade e possivelmente o mundo, então agradeça que ele finalmente está de volta! Tragam de volta aquela Iris que aprendi a gostar na temporada passada.

O vilão da semana, Kilgore, não teve muito a acrescentar ao roteiro, apenas para mostrar que ele faz parte de um grupo de 12 antagonistas que supostamente estão conectados ao grande vilão da temporada, o Pensador. Apesar dos poucos minutos em tela, tem sido interessante a dinâmica ente ele e sua acompanhante Mecânica, e continuo ansioso para ver enfim seu embate contra o herói e também descobrir mais sobre seus planos.

No geral, “Mixed Signals” foi um episódio divertido, mas não conseguiu manter a qualidade do anterior. Espero que semana que vem as coisas voltem ao eixo, por mais cômico que o episódio precise/pareça ser. Ao menos parece que o charme de suas antigas temporadas está de volta e nunca é demais ouvir “Run, Barry. Run!”

CURIOSIDADES:

– Nos quadrinhos, a origem de Kilgore é bem diferente. O vilão é uma inteligência eletro-mecânico-orgânico que precisa de energia para sobreviver, e que consumiu seu planeta natal inteiro e foi parar no espaço, chegando mais tarde a Terra. Flash o derrotou com a ajuda de Ciborgue e sua primeira aparição foi em Flash Vol. 2 #3 (agosto de 1987).

– Neste episódio, vemos pela primeira vez as lentes no uniforme do Flash. Nos quadrinhos, quando Wally era o Flash, ele usou lentes similares, mas elas eram brancas.

– Barry lê no jornal que foi revelada a identidade do Arqueiro Verde como sendo Oliver Queen, uma ligação com o plot twist da cena final do primeiro episódio da sexta temporada de Arrow, exibido na semana anterior.

– Entre as séries que Barry está assistindo em alta velocidade, está Game of Thrones. O personagem chega a citar a morte e a ressurreição de Jon Snow que acontece nas temporadas 5 e 6.

– Cisco compara a vingança de Kilgore com a do personagem Richard Hendricks de Sillicon Valley matando todo mundo em sua empresa, Pied Piper. Barry sugere que ele se parece mais com Bertram Gilfoyle, mas Cisco acredita que ele se pareça mais com Erlich Bachman.

– Cisco usa a expressão “fark” de Battlestar Galactica quando Deacon o bloqueia em seu próprio sistema.

– Na Terra 19 existe o Dia de Santo Shaquille O’Neal, homenagem ao jogador de basquete já aposentado.

Tags The Flash
Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

No comments

Add yours