The Flash – 4×09 – Don’t Run

Imagem: The CW/Divulgação (Reprodução)

Continua após as recomendações

Desde que a quarta temporada, The Flash começou a se aprofundar na história e desenvolvimento do grande vilão do ano, o Pensador, a série começou a mostrar que nessa temporada as coisas definitivamente seriam diferentes. Com esse nono episódio ela conseguiu então provar de vez que é possível sim criar uma trama incrível sem precisar envolver um vilão velocista. A cada episódio, Clifford DeVoe tem não só impressionado Barry e companhia, mas também a nós espectadores.

Continua após a publicidade

Os roteiristas tem traçado uma trama tão misteriosa e envolvente que não estávamos preparados para os acontecimentos finais desse episódio. Desde a season première quando vimos Neil Sandilands no personagem, não imaginávamos que ele em breve sairia de cena quando o personagem tomasse o corpo de outra pessoa. E ainda por cima, mostrando mais uma vez que está sempre um passo à frente do nosso herói, descartando seu próprio corpo para poder incriminar Barry e assim derrotá-lo de certa forma. Claro que esta pode não ter sido a última vez que vemos o ator, mas não tira o elemento surpresa que com certeza impressionou. Com isso também descobrimos o propósito de DeVoe ao criar alguns meta-humanos no acidente de ônibus, para que tomasse posse dos poderes daquele que se tornasse o meta-humano mais forte. Dos 12, apenas metade deram as caras até agora, ou seja, ele ainda tem mais seis cobaias soltas pela cidade.

Os efeitos visuais nesse episódio funcionaram perfeitamente bem. Principalmente nas cenas envolvendo o Pensador já que vimos pela primeira vez ele enfrentando o Flash pelas ruas e céu de Central City. Seus poderes também são uma surpresa a parte. Sua super inteligência, combinada com os mecanismos de sua cadeira flutuante o torna um vilão poderoso e único para a série. Agora veremos como o vilão irá se sair em relação aos seus poderes agora que está num corpo jovem e saudável.

Barry é um personagem que amadureceu do ano passado para cá, sabendo lidar melhor com seus sentimentos e com os das pessoas a sua volta. Como Flash ele também amadureceu. Se tornou um herói mais independente, não necessitando da ajuda do team Flash o tempo todo e sabendo se livrar dos problemas e resolver algumas situações com seus poderes que parecem estar mais acentuados. Já faz um tempo que se especulava que a série iria adaptar o arco dos quadrinhos “O Julgamento do Flash” que deu pistas na season première quando Barry, durante seu estado catatônico, fala “meritíssimo, sou inocente, eu não matei ninguém!”. Com o cliffhanger deste episódio sabemos que esta adaptação será real e está bem próxima de acontecer.

Diferente também dos anos anteriores, personagens femininas tem ganhado mais espaço na série. Caitlin ganhou seu merecido destaque desde sua transformação em Nevasca e agora sofre com duas personalidades completamente diferentes. Amunet é outra personagem que tem crescido aos poucos neste ano e se mostrou de certa forma envolvida com a trama principal ao negociar com Mecânica. Tem sido divertido ver Katee Sackhoff em uma personagem mais cartunesca, além de um excelente acréscimo para a história de Nevasca dentro da série.

Já Íris ainda não tem agradado, muito menos como líder do team Flash. Sempre que a personagem parece estar caminhando para o lado certo, ela dá um passo pra trás. Não entendo o que os roteiristas planejam com a personagem, que através de certas falas só nos faz desgostar mais dela, seja também por um ato egoísta ou por um conselho ou pensamento contrário ao que representa ser um super-herói. Precisam encontrar uma solução pra ela urgente ou ela estará fadada a personagem mais odiada da série.

Imagem: The CW/Divulgação (Reprodução)

E citando o que não tem dado certo, pior que Íris tem sido Ralph Dibny que tem se mostrado cada vez mais um personagem desnecessário. Da mesma forma como tivemos o HR no ano passado, neste ano temos visto algo parecido ou até pior com Dibny. Piadas fora de tom, diálogos fracos e embaraçosos, e um uniforme vergonhoso e poderes mal aproveitados. Eu vou continuar repetindo: é frustrante saber que afastaram o Kid Flash da trama para dar mais espaço a esse novo “herói”. Talvez seja um problema de roteiro e direção, ou mesmo de casting, mas o personagem não tem nada a contribuir para a as tramas desta temporada. A frase de Cisco nesse episódio resume bem a participação de Dibny na série: “você é incorreto”.

Mesmo que ainda tenha pontos a serem melhorados, esta quarta temporada de The Flash poderá ser lembrada como o ponto de virada da série. O tom mais colorido e divertido, as reviravoltas, os efeitos visuais, tudo isso tem contribuído para a construção de um excelente ano. E eu, como grande fã do herói, dos personagens e da série, torço para que isso se torne uma realidade e The Flash continue a ser a melhor adaptação dos quadrinhos para a TV até hoje.

Feliz Natal e até janeiro!!

P.S.: o que foi aquela caixa de “nude” que o Cisco recebeu de presente? Berro!

CURIOSIDADES:

  • Joe cita que Wally West está de férias no Camboja. Talvez essa seja uma pista para a introdução da filha perdida de Slade Wilson, o Exterminador, que nunca soube que Lilian, a mulher que ajudou a fugir de um regime opressivo no Camboja, havia ficado grávida, descobrindo anos depois. Rose Wilson é a Devastadora que sempre dá trabalho para os Jovens Titãs. Lembrando que o grupo de heróis irá ganhar uma série ano que vem, então seria essa uma conexão entre as séries nesse universo?
  • Nos quadrinhos, Dominic Lance surgiu nos Novos 52 e é o vilão Brainstorm. O antagonista do Sr. Incrível (personagem Curtis de Arrow) fez sua primeira aparição em Mister Terrific #2, em 2011.
  • Neste episódio DeVoe ganhou seus poderes telepáticos ao transferir sua mente e consciência para o corpo de Dominic. Nos quadrinhos o vilão tem os poderes, entretanto Barry é imune a telepatia.

Referências Nerds by Cisco Ramon:

  1. Cisco chama Wells de Grinch.
  2. Cisco chama Wells e Dibny de “humbug“, uma referência a frase de Evenezer Scrooge, de “Os Fantasmas de Scrooge“.
  3. Cisco diz que este é um “Festivus Miracle“, um frase usada por Kramer na série Seinfeld.
  4. Cisco chama Amunet de “Mary Poppins do mal” devido ao seu sotaque inglês.
Tags The Flash
Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

1 comment

Add yours

Post a new comment