The Four Brasil estreia com Xuxa à vontade, ótimos jurados e participantes

Imagem: RecordTV/Divulgação

The Four Brasil, o novo reality musical da TV

Estreou ontem (06), pela Record TV, o novo reality musical brasileiro, o The Four. Inspirado no programa americano da FOX, oriundo de um formato israelense, o programa é diferente de tudo o que já veio para cá.

A dinâmica não tem mistério: no primeiro episódio já foram apresentados quatro finalistas, que foram escolhidos pela produção dentre os inscritos. Assim, pula-se aquela fase de audições que, por vezes, pode ser maçante. Entretanto, os quatro finalistas podem não chegar a final. Isso porque, a cada programa, novos participantes são introduzidos, e então com o aval dos jurados eles podem desafiar aqueles um dos “the four“.

Caso haja uma batalha, o melhor será escolhido pela plateia. Se o finalista original for eliminado, o que desafiou toma a cadeira do mesmo. E assim vai, até o último programa, quando dentre os quatro finalistas, o público de casa votará pelo vencedor.

Xuxa à vontade

A apresentadora esteve muito bem no comando do programa. Ela trouxe a bagagem do Dancing Brasil e, assim, segurou a peteca muito bem. Ela estava solta, extrovertida, cumprindo bem o papel de mediadora entre os participantes e jurados, além de comemorar ou consolar bem no “estilo Xuxa de ser”.

Os formatos que a Record TV está trazendo para Xuxa são muito bons, e provam que a apresentadora tem gás para ficar à frente destes programas. Será ótimo vê-la, por exemplo, revezando semestralmente entre o Dancing Brasil e o The Four. Assim, nenhum dos dois formatos poderá se desgastar.

Além disso, outro ponto positivo é que ela não ficou tão presa ao TP. Xuxa fez sua lição de casa, sabia sua função, o que podia falar ou não, e foi intuitiva. Claro, ela tem a ajuda de Rodrigo Carelli, diretor do programa, e um dos melhores profissionais do casting da Record TV.

Jurados simpáticos

A bancada de jurados é composta por Leo Chaves, da dupla Victor e Leo; Aline Wirley, ex-Rouge; e o produtor musical João Bôscoli.

Dos três, o mais desencaixado ali é justamente Bôscoli. Ele mostrou extremamente rigoroso e, em certo ponto, até mesmo soberbo em certos comentários. Diferentemente de Aline que estava encantada com o formato, e grata por ser uma jurada, além de Leo que traz uma certa bagagem de quando foi jurado no The Voice da Globo.

Ainda assim, em certo ponto, dava pra ver que os “Não” dados no primeiro programa vinham de João. Basicamente, ele pode ter ditado que podia desafiar ou não. Para um primeiro programa, seria legal ver mais batalhas, porém deu para o gasto.

Dança das cadeiras

Algumas trocas já foram feitas e dos quatro finalistas originais, dois já se despediram. E apesar da pouca brasilidade, com músicas mais internacionais, os candidatos fizeram bonito. Não deixaram a desejar em nada na qualidade das performances.

Aliás, a falta de músicas brasileiras é sempre reclamada pelo público em muitos realities musicais. Entretanto, precisam entender que vai de encontro ao perfil do candidato. Se ele se sente mais a vontade cantando em inglês, que cante.

Apresentações marcantes estiveram na noite, e até mesmo a trilha do filme “Nasce Uma Estrela” de Lady Gaga esteve lá.

 

Michael Jackson, o rei da noite…

Duas apresentações utilizaram do repertório de Michael Jackson. Uma, para tentar o desafio; outra para vencer o desafio. “Human Nature” teve uma incrível performance, mas que não foi suficiente para levar a candidata ao final.

Além disso, Billie Jean foi cantada de forma fenomenal por Erik, que sem dúvidas já é um dos favoritos do programa. E o cantor garantiu que está ali para brigar pela sua cadeira.

Em aspectos técnicos, o programa não deixa a desejar. Cenário igual ao americano, banda afinada, edição natural que faz parecer ao vivo… Um primor, típico das produções da Record TV para os realities. Aliás, temos de dar os parabéns para o canal, que dá de 10 a 0 em outros programas do gênero de canais concorrentes.

Foi uma estreia positiva e o programa tem tudo para fazer sucesso. Vale a pena acompanhar, todas às quartas, a partir das 22h30.

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours