The Good Doctor – 1×05 – Point Three Percent

Imagem: IMDb/ABC/Divulgação

Óh céus! O que foi esse episódio? Quando terminei pensei assim: Não dá, vou avisar para o pessoal do Mix de Séries que não tenho condições de fazer essa review. Aqui teria que usar de um palavrão para vocês entenderem a dimensão desse episódio. Como foi emocionante, caía cisco nos meus olhos toda hora, um saco… hahaha.

Tinha que me aparecer um menino chamado Evan (que é igualzinho o Steve, irmão do Shaun), diagnosticado com um sarcoma, em estágio avançado, com previsão de apenas mais 5 meses de vida… Fiquei tensa pensando como o Dr. Murphy ia lidar com isso, um menino idêntico ao seu irmão que morreu em frente aos seus olhos e ele não pode salvar, que por uma triste coincidência também estava morrendo. Mas ele se controlou muito bem, até demais, e até certo ponto, pois quando descobriu que os pais estavam escondendo a verdade do filho, que já sabiam que o filho estava com os dias contados e não queriam contar ao Evan, ele não se conformou, acreditando que ele tinha o direito de saber a verdade – ou pelo menos achou que era isso que o seu falecido irmão gostaria que tivessem feito com ele.

Continua após a publicidade

Então, ele deu um jeito de fazer o próprio garoto ficar desconfiado e pedir a verdade, e ele mesmo (Shaun) acaba contanto que o menino tem câncer, e para nossa surpresa, Evan já sabia, e havia um bom tempo. O menino é tão esperto e maduro quanto o irmão do Shaun era, e conseguiu mais progresso com o Murphy em poucas horas do que o resto dos colegas há dias. Conseguiu tirar do Shaun a confissão de que ele gosta da Lea, haha, a nossa vizinha – quer dizer, a vizinha dele.

Pela primeira vez, também vimos o Dr. Murphy admitir que tem autismo, porque até hoje ainda não tínhamos visto ele admitir que tem a doença e como ela afeta suas relações pessoais, comunicação e interpretações. E não é que ele está aprendendo a lidar com os sarcasmos? Está até sendo sarcástico também! Ele está conseguindo identificar quando estão sendo irônicos com ele, e respondendo a altura, está uma graça, foi show ver isso tudo acontecendo. A cara do Dr. Melendez, quando ele responde a sua provocação sarcástica, foi ótima.

Tudo estava indo bem até que a vontade do Shaun de salvar a vida do Evan, uma vez que não pode fazer isso pelo irmão, fez com que ele desse esperanças para o menino e também para a família, e aí a coisa ficou bem séria. Nessa hora, como eu torci para ele estar certo. Para que o caso do garoto ser o 0,3% em que duas biopsias podem ter dado falso positivo, e ver o Dr. Murphy como um herói que não usa capa salvar a vida do garoto ao descobrir que ele tinha algo tratável, podendo assim seguir sua vida com a consciência mais leve, como se tivesse feito isso em honra ao seu irmão, ou como se estivesse salvando o próprio Steve.

Só que não sou eu quem escrevo a série, e por algum motivo que eu ainda não entendi. Isso não aconteceu e, infelizmente, o menino estava morrendo mesmo, e não havia nada a ser feito. Com isso, o Dr. Murphy se encontra meio encrencado por ter mentido para os pais, além de ter dado falsas esperanças a todos. Vamos ver se isso irá ter alguma consequência no próximo episódio. Se ele terá uma punição ou algo do tipo.

Mas foi doloroso ver o esforço dele em acreditar que Evan não era o seu irmão a cada semelhança na fala, nos hábitos, na capacidade de entender e lidar com as situações difíceis. E aceitar que mais uma vez ele viu seu irmão morrer em frente aos seus olhos, sem ele poder salvá-lo. No fim, ele lidou muito bem com tudo e acabou com a minha estrutura quando pediu um favor para o Evan. Ele abriu o livro que havia dado de presente ao seu irmão pouco antes de sua morte e que ele não havia conseguido terminar, deixando umas poucas páginas sem ler, e Shaun termina a leitura para Evan, como se estivesse lendo para seu irmão. Nessa hora tivemos a certeza de que ele só estava tentando se controlar ao máximo o tempo todo. Mas no fundo ele achava, sim, que estava diante do seu irmão. Ele ainda deixa o livro do ladinho do Evan, caso ele quisesse lê-lo por inteiro, mas não sabemos se ele teria tempo para isso. Lindo demais esse episódio!

O outro caso da equipe do Dr. Melendez envolveu um pai e um filho que não estavam se entendendo bem. O pai teve uma crise de alergias assim que o filho volta de viagem. Esse caso se agravou e mostrou outros problemas de saúde que tornaram urgente a descoberta do causador da alergia que poderia ser fatal na próxima crise. Essa procura terminou nos presenteando com uma cirurgia do Dr. Glassman, que ainda é neurocirurgião, no cérebro do pai, para retirar um ovo de tênia que estava ameaçando estourar e que era o motivo das alergias do paciente. Foi bem legal também.

Amei esse episódio, mas queria mesmo que o Shaun estivesse certo e o final tivesse sido mais feliz. Ele merecia tanto isso, seria como um fechamento para essa história dos irmãos. Nesse episódio, não vimos a Lea, então no próximo acho que vamos ter novidades. E agora com essa confissão de que o Shaun gosta dela, realmente podemos esperar por um algo a mais.

Ainda estou esperando me conectar mais com os outros médicos, conhecer mais a história deles, ver algum drama da vida deles, ter algum agito nessa parte. Mas estamos no caminho certo. Esse episódio foi um dos melhores até agora, e espero que a série continue assim, se superando a cada episódio novo, rumo a renovação da temporada.

Avatar

No comments

Add yours