The Good Wife – 7×12 – Tracks

Imagem: CBS

Imagem: CBS

 

Quem diria que após um episódio tão morno, The Good Wife nos traria um episódio tão bom. Oscilando bem esta temporada, hein?!

Tracks foi um episódio musical e eu adorei isso. Tanto pelas citações (Queen, Paul McCartney… *.*), quanto pelo assunto discutido em si. O caso da semana foi bastante interessante. Foi bom saber como identificam o direito autoral de uma música, e como as gravadoras podem sugar um artista. Como mesmo foi dito no episódio, artistas são artistas, não tem nada muito definido e jamais fazem coisas idênticas.

Continua após a publicidade

Em meio ao caos de lidar com um escritório em um prédio residencial, Alicia e Lucca ganharam um processo e perderam em outro de um mesmo caso musical. Se bem que quem resolveu o lance da associação de proprietários do condomínio que os Florrick moram foi Grace. Tadinha, e mesmo assim foi demitida. Uma pena. Estava gostando tanto da atuação dela como uma advogada mirim, apesar de entender o posicionamento de Alicia. Grace pode até ser uma aprendiz de advogada, mas por enquanto é apenas uma estudante que deve pensar no seu futuro. Mas que ela foi brilhante perante o condomínio, isso foi com certeza.

Sobre o núcleo de Diane e Cary. Finalmente, alguém leu minhas reviews (sqn) e atenderam o meu pedido de dar um plot mais animado para a firma e, principalmente, interligar eles com Alicia. Tudo bem que foi péssimo o que Cary fez, roubar clientes. Tem necessidade disso, uma firma tão grande, roubar os clientes de uma que funciona em casa e tão pequena como da Alicia? Desnecessário. No fim das contas, todos perderam. Voltar para Lockhart/Agos? Acho que concordo com Alicia, ela não deve voltar. Mas bem que Quinn cogitou esta hipótese.

O episódio também serviu mais uma vez para sofrermos com Alicia sobre o que Eli fez. Julianna Margulies trabalha tão bem, que deu para sentir em Alicia o quanto ela está machucada. Eu super compreendo o lado dela, mas ver Alicia e Eli brigados me deixa tão triste. Espero que ela o perdoe, mas no seu tempo. De qualquer forma, Marissa tentando intermediar foi ótimo. Ela tem as melhores frases!

 

Obs.: Finalmente, Eli saiu do seu mini escritório. Não veremos mais Ruth? 🙁

Obs.2: Quinn e o músico? Achei o casal interessante, e senti uma pontinha de ciúmes da Alicia, quando olhou os dois beijando no tribunal, do tipo, “eu também queria um relacionamento com alguém”. Pobre Alicia! Quem sabe um outro músico sentimental não apareça em sua vida para alegrar um pouco e quebrar esta rigidez que o Direito exige de você.

Obs. 3: Feliz de ver Kelly Bishop participando da série, mas para mim será a eterna Emily de Gilmore Girls.

Obs. 4: Mantenha-se firme, como neste episódio, TGW!

Paula Reis

Paula Reis

Advogada e concurseira de plantão, no Mix, é editora de reviews e colunas. É viciada em tudo sobre Game of Thrones e adora séries jurídicas.

No comments

Add yours