The Good Wife – 7×22 – End [SERIES FINALE]

Imagem: Vanity Fair

Imagem: CBS/Divulgação

Continua após as recomendações

Seguuura, coração! Muito triste quando uma série que gostamos muito e acompanhamos durante sete anos chega ao fim. Estou com o coração na mão aqui para falar sobre, mas vou respirar fundo para comentar melhor o que foi este series finale de TGW!

O episódio se chama “End” (fim), mas a verdade é que fim não teve. O que aconteceu foi o fechamento de um círculo. Eu gostei do episódio, só achei que foi muito confuso e não parecia que era uma finale. Fiquei esperando o próximo episódio, esperando Alicia dizer: “Stay tuned for scenes from our next episode“. Talvez é porque as minhas expectativas eram outras, talvez porque esta série merecia mais, talvez porque a temporada já mantinha este nível. Mas não foi um episódio horrível como muitos disseram. Foi o que tinha que ser…

Continua após a publicidade

Peter estava de volta ao julgamento e Alicia estava mais uma vez em um beco sem saída. Ela se imaginou com os três homens, Peter, Jason, Will… Ela tomaria uma decisão diferente desta vez? Durante todo o episódio, tivemos referências e questionamentos da série toda, do passado de Alicia e tudo que ela viveu durante estes anos. Peter, Jason e Will representam partes diferentes desta vida dela, família, diversão/liberdade e o amor que a gente nunca esquece.

Meu coração doeu a cada cena que o falecido Will apareceu. Mas, ao mesmo tempo, como foi bom Josh Charles fazer esta participação especial. Foi uma nostalgia louca, que acabou ajudando Alicia a tomar algumas decisões. Foi nítido ver sua evolução, as decisões que tomou. Will humaniza um pouco ela, mas ao mesmo tempo, vemos que ela se tornou uma parte do que é Peter. Ela também erra, também pode ser uma esposa “ruim”. A vítima se torna o agressor? Talvez, mas não que isso seja ruim, que ela seja má, mas sim que os produtores quiseram nos mostrar que ela está diferente.

O julgamento foi cheio de reviravoltas, teve até Eli emocionado ao despedir de Peter, mas ao mesmo tempo articulando as próximas estratégias. Grace ameaçando trancar a faculdade por um ano por causa do pai; Jason tentando se manter afastado, mas não consegue… Até as balas apareceram, depois de vários anos…

O episódio foi bem confuso, tanto é que os King’s quiseram dar uma explicação melhor para os fãs. Nem todos agradaram com este final, mas achei que cumpriu o papel de fechar o ciclo. O final do episódio foi exatamente no lugar em que foi a estreia, com a renúncia de Peter e Alicia ao lado. Você vê que Alicia não liga muito para o anúncio, olha muito para os lados e, ao final, deixa Peter lá sozinho. Isso mostra que ela já tomou a decisão de não ficar mesmo com ele e correr atrás do Jason. Ela não quer perder esta oportunidade novamente, como perdeu com Will. Agora, se Jason vai querer ficar com ela vai ser outra história. Eu acho que não, pois ele é um homem que gosta de liberdade. Jason e Alicia são divertidos juntos, é bom porque não é para sempre. Ele é meninão e ainda não sabe direito o que quer. Mas independente disso, naquele momento, Alicia ganha a sua liberdade. Finalmente ela está livre.

Neste mesmo segundo que ela está livre, ela recebe um tapa de Diane. Do mesmo jeito do primeiro episódio, quando ela dá um tapa no Peter. Bem feita esta cena, não?! Emblemática, ainda mais depois quando ela ajeita a roupa e continua em frente.

Por que Alicia traiu Diane? Não acredito que isso foi realmente a sua intenção, mas apenas consequência da sua decisão. Ela precisava salvar seu marido, fugir da condenação. Tudo bem, foi um pouco egoísta, mas ela precisava fazer aquilo para salvar a si mesma, digamos. E para atingir este fim, ela foi insensível, atingiu Diane, destruiu o relacionamento dela, uma relação que era “perfeita”, aos olhos dela. A cena de Diane batendo em Alicia foi um espelho da estreia, uma troca de papéis para o estudo do auto reconhecimento de Alicia. Eita, que profundo!

Agora, novamente, ela vai ter o direito de recomeçar, sozinha, ou com Peter, ou com Jason, não importa… Se ela vai ser a nova governadora ou se Diane vai perdoá-la, também não sabemos. Só sabemos que uma etapa se encerrou aqui, Alicia conheceu mais de si e nós conhecemos mais do que ela se tornou, pelo o que ela passou.

O final ficou em aberto assim porque a vida é assim, ela segue… A vida de Alicia continua! Uma das melhores características de TGW é ser realista. E nada mais realista do que este final, não é mesmo?! A vida é assim, cheia de recomeços – com muitos dramas no meio!

The Good Wife se encerra depois de sete anos com grande maestria. Os produtores souberam fechar os ciclos, de uma forma diferente do que esperávamos, mas foi na medida que precisávamos. Fica a saudade, a lembrança… de uma das melhores séries de drama jurídico, da melhor personagem da atualidade, de muitas camadas, de símbolo feminino, de exemplo de ser humano, de superação, de boa esposa, Alicia Florrick!

The Good Wife, I’ll love you forever!

No comments

Add yours