The Killing – 4×04/05 – Dream Baby Dream/Truth Asunder

sadsasda

The Killing sempre foi uma série depressiva e pesada, crua e realista. Por mais que muitos criticassem, ninguém pode negar o quanto a série possui uma atmosfera perturbadora e fechada, quase claustrofóbica. Mas o que nos mantinha com esperança ao terminar de assistir um episódio da série? A amizade entre Linden e Holder. Sim, eu sei que é um ponto que eu toco demais quando falo sobre a série, mas TK é sobre isso. É a amizade dessas duas pessoas tão diferentes no meio de tanta merda acontecendo.

Poderíamos ter apenas um caso nessa temporada e deu pra bola? Poderíamos. Entretanto, os roteiristas seguiram um caminho mais difícil e nos apresentam uma desconstrução na amizade dos dois. Eles já não são tão amigos, eles já não se confiam mais. Nessa pequena temporada, eles se xingaram mais vezes do que nas três anteriores juntos. Ambos estão no limite, cada um com os seus demônios, apesar de possuírem o mesmo problema.

Conhecemos a mãe de Linden em tempos difíceis, mas que nos faz entender melhor a personalidade de Sarah e da sua relação com o filho. “Você só se importa com os mortos”, Holder diz certo momento. E deixa de ser verdade? Linden é tão machucada que acaba não valorizando seus relacionamentos com as pessoas vivas. Então, é tocante quando ela admite não ser uma boa mãe, mas diz para Jack que ele é a melhor coisa que ela já fez. E Holder cada vez mais perdido, cada vez mais com medo de ir preso e não poder cuidar do seu bebê. Apesar da série não deixar claro, nós sabemos que Holder quer ser um pai melhor do que a Linden é como mãe.

Continua após a publicidade

E cara… Vamos admitir: que sofrimento esse menino Kyle vem passando, hein? Os roteiristas se esforçaram tanto pra danificar esse garoto que não tem como não sentir simpatia por ele que, além da perda de memória, vem sendo enganado e sofrendo bullying por AJ e Lincoln. Sem contar que sua mãe também o violentava sexualmente. Dá pra entender porque ele se agarrou tanto a irmã Nadine que era a única coisa boa que ele tinha na vida (E talvez Kat, mas essa daí simplesmente desapareceu).

No final das contas, todos os que eram suspeitos tinham agido juntos. A Coronel, AJ, Lincoln… E, francamente? Ainda não sei o que esperar. A série ainda não juntou todas as peças, mas podemos acreditar que a Coronel os tenha mandado matar os Stanburrys por causa do seu caso com Philip? Lincoln poderia ter ajudado já que ele sofre pelos abusos que sofreu de Linda. E AJ? Qual seria a motivação dele? Apenas ajudar a Coronel?

De qualquer forma, os minutos finais foram extremamente pesados. Kyle relembrando do trote que AJ e os outros fizeram com ele, se masturbar olhando pra foto de sua mãe… Eu fico me perguntando o quão real é isso. Acredito que esse tipo de coisa possa acontecer. Vemos tantos trotes cada vez mais agressivos e humilhantes. E ainda assim, é um momento difícil de se assistir sem ficar enojado por todos aqueles “cadetes” que juraram respeito e não sei mais o que tratando um colega dessa forma.

Enfim, The Killing nos entrega dois episódios tensos, criando desconfiança na mente de seus protagonistas e nos fazendo temer pela vida de Kyle. E fico satisfeito em ver que a série encontra na crueldade da realidade – coisa que sempre fizeram – para construir as últimas peças para essa jornada final.

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours