The Last Ship – 2×12 – Cry Havoc

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

 

Continua após publicidade

Faltando apenas um episódio para a season finale da incrível e impressionante segunda temporada de The Last Ship, Cry Havoc fez jus à sua tradução (causando massacre, em tradução livre). Fomos apresentados à iminente treta entre Capitão Chandler e Sean Ramsey, depois de três episódios, ou mais, com enfrentamentos sem definição, e isso norteou todo o episódio.

Continua após a publicidade

Dentro do Nathan James, havia uma onda de insegurança, muito por conta do que ocorreu em Valkyrie, que culminou em uma difícil escolha para Chandler: mandar todos os civis, incluindo o Presidente dos EUA, os jovens que resgataram na luta contra os imunes e Rachel para fora do navio. O que antes era o lugar mais seguro do mundo, naquele momento era o lugar onde as possibilidades de morte aumentaram em 300%. Como nosso capitão, homem forte, poderoso, príncipe da paz estava convalescendo depois da luta na plataforma petrolífera, tivemos a chance de ver Mike Slattery em ação, mostrando que ele não é um personagem que só está lá pra substituir Tom.

Continua após publicidade

A ida dos civis para terra firme trouxe um teste forte para Rachel. Encontrando três não-imunes, ela pode comprovar realmente que a cura agora é contagiosa, curando uma das doentes. Tira-se um peso das costas da doutora e das nossas, pois qualquer ação em cima dessa deusa da inteligência nos atinge em igual proporção. Finalmente foi comprovado e jogado na cara de quem não a apoiava que ela estava certa desde o início. Chupa, Ramsay!¹

Há uma coisa nesta série que não consigo superar: a qualidade das cenas de ação. Ok, sabemos que tem um dedo (ou um corpo inteiro) de Michael Bay, mas, especialmente neste episódio, o cuidado com a continuidade nas cenas foi um dos fatores que me levaram a dar cinco estrelas. Os outros posso citar por cima, como as cenas feitas via CGI, a preparação dos atores para esse tipo de cena, com a devida tensão e como eles tiram de letra a quantidade de gírias militares, e por último mas não menos importante, o quanto Eric Dane mostrou estar livre do estereótipo do médico Mark Sloan McSteamy gostosão de Grey’s Anatomy para ser este incrível e destemido Capitão da Marinha Americana.

Continua após publicidade

Depois de uma temporada cheia de ódio gratuito entre imunes e militares, finalmente tivemos o tão esperado duelo entre forças, tal qual com o Vyerni, na primeira temporada. De um lado, USS Nathan James com sérias avarias no SONAR (dispositivo que identifica a presença de submarinos), e de outro, um submarino russo, com energia nuclear (que nunca acaba) e que opera com força total. Posso lhes afirmar, amigos, foi a melhor sequência de cenas de ação da série. Mostrando Chandler e Ramsay, dois incríveis militares, que usaram de sua experiência no mar para armar a melhor estratégia, fomos ao longo das cenas, vendo que ambos tomaram decisões parecidas. Chandler e Ramsay nos deram, ali, duas das lições da série: perseverança e inteligência. Perseverança para insistir em atacar seu alvo; e inteligência, para analisar todo o contexto e fazer sua jogada. Se tivesse um tabuleiro, eu chamaria de The Last Ship: Batalha Naval.

morteiro
Imagem: Banco de Séries

Para nossa sorte, finalmente Ramsay teve o que mereceu. Com a ajuda de Slattery, que operou um lançador de morteiro, Nathan James conseguiu destruir e afundar o submarino, e com ele a chance de ocorrer mais rebelião por conta de uma “seita” religiosa. Chupa, Ramsay!² A seita que dói menos! huehuehue…tá parei.

OBS.: Tex mitou o episódio inteiro. Quero ele em um potinho pra guardar junto com minha coleção de Funkos.

OBS2.: Fiquei com medo de Chandler passar mal durante a luta.

OBS3.: Slattery precisa ir à campo mais vezes. Adam Baldwin é sensacional neste segmento, e tivemos a prova na cena de luta entre ele e o braço esquerdo de Ramsay.

OBS4.: Burk ainda está tocado com a perda de Ravit. Todos estamos, Burk, todos estamos…

OBS5.: No momento da confirmação da eficácia da cura contagiosa, lá no fundo do meu coração, achei que o Presidente daria o perdão para Rachel. Fui otária, por enquanto.

OBS6.: Tocante o momento entre Foster e Green. Pelo menos um shipp nesta série não está destruído. Fiquem com esta imagem deste casal tão…tão…CUTE!

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries