The Leftovers – 3×04 – G’Day Melbourne

Imagem: HBO (Divulgação)
Imagem: HBO/Divulgação

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

“Acho que parte de você quer fugir, Kevin” Laurie em ‘G’Day Melbourne’.

Todos nós já fantasiamos em fugir, ir para um lugar diferente, tentando achar algo que não foi encontrado. Embarcar em uma jornada ou aventura como maneira de escapatória. Mas para quem já fugiu de fato? Chances são de que os novos locais não tenham proporcionado o alívio esperado, porque fugir de uma situação talvez seja fácil, mas fugir de um sentimento é mais complicado. Ele te acha onde quer que você vá, mais facilmente do que qualquer serviço de espionagem. Mesmo Kevin e Nora tendo fugido – ainda que de forma inconsciente – para a Austrália, já sabíamos que as coisas não permaneceriam calmas em suas vidas por muito tempo, e que, eventualmente, a casa ia cair, ou talvez no caso de “G’Day Melbourne”, pegar fogo.

Continua após a publicidade

O casal protagonista sempre teve uma química forte e uma lealdade velada, mas o choque entre duas pessoas tão intensas iria criar uma toxidade insuportável em determinado momento, o que veio acontecer nesse episódio específico. Após irem lentamente se distanciando, cada qual com suas preocupações individuais, os dois chegaram a um ponto em que a ‘vista grossa’ que faziam em relação as tormentas psicológicas um do outro, caiu por terra. Tudo que estava engasgado veio à superfície e, de acordo com as próprias palavras de Nora no começo do episódio, viram o relacionamento “de dependência doentia” que tinham. A carga dramática na vida de cada um tornou impossível sustentar qualquer união saudável que pudesse haver entre os dois.

Continua após publicidade

G’Day Melbourne veio delimitando o terreno para a inevitável separação dos personagens desde cedo, dizendo ao telespectador o que estava prestes a acontecer. Seja pelos dois se distanciando no aeroporto, Nora deixando Kevin de fora do seu plano de “desmascarar” (aspas explicadas mais pra frente) a agência que mandava pessoas para o outro lado ou Kevin mantendo uma grande revelação que fez escondida de Nora, tudo apontava para um encerramento entre eles. Talvez ainda há chances de reconciliação, ou talvez esse seja o começo daquele final na premiere em que a Nora do futuro diz não conhecer Kevin.

E claro, já que o episódio caminhava constantemente rumo a um embate entre os dois, quando ele chegasse, não poderia ser menos do que sensacional. O conflito chegou, e sim, ele foi sensacional. Numa cena que tinha um ritmo tão perfeito que parecia mais uma dança, embalada com música clássica, Nora e Kevin despejaram tudo, com réplicas e tréplicas de cada lado. Antes, porém, de chegarem onde chegaram, o casal protagonista passou, cada um, por sua jornada de fuga.

Continua após publicidade
Imagem: HBO/Divulgação

Nora tinha como objetivo desmascarar as pessoas que estavam vendendo passagens para onde os desaparecidos foram; eles alegavam ter uma maquina que lançava radiação e transportava quem estivesse dentro. Mas ficou claro ao longo do episódio que Nora não queria de fato desmascarar o grupo, ela queria, no fim das contas, testar a eficácia do dispositivo numa tentativa desesperada de acabar com o seu luto; o luto inconstante de todos aqueles que perderam alguém para a Partida Repentina. Numa série de testes e tarefas dadas, Nora foi pouco a pouco se aproximando de usar a máquina até que no final foi reprovada. Um momento na trama que puxou o tapete da esperança debaixo dos pés da personagem e a deixou caída no chão frio. Qualquer chance que ela tivesse de reaver a família, por mais absurda e irreal que fosse, tinha ido embora.

Quero fazer um adendo sobre o grupo. Seriam eles um novo Remanescentes Culpados? Talvez o objetivo fosse fazer Nora se lembrar do 14/10. Atiçá-la sobre uma saída e não deixá-la seguir em frente parece algo que o RC faria. Estranho o bastante, no final foi perguntado a Nora se ela mataria um bebê se isso fosse curar o câncer, Nora diz que sim e eles vão embora alegando que ela não está pronta. No episódio da semana passada, Kevin Sr. encontrou um homem frustrado que lhe disse ter respondido “não” para a mesma pergunta e não passado no teste, logo em seguida ele se suicidou incendiando o próprio corpo. Ou seja, seja a resposta “sim” ou “não” para a pergunta, eles não aprovam ninguém, o que quer dizer muito fortemente que só estão interessados em prolongar o luto das pessoas.

Já a jornada de Kevin iniciou de maneira enigmática num ritmo mais eletrizante. Ainda no hotel em Melbourne, ele vê Evie na TV em um programa matinal que é gravado ao vivo na cidade. Ele então segue freneticamente para as gravações do programa e persegue a garota, achando que está vendo coisas. Quando um transeunte pergunta para Evie se Kevin a estava incomodando, ele percebe que não está vendo coisas e que a menina é real. Ela diz que não se chama Evie Murphy e que não faz ideia de quem ele esteja falando. Kevin então manda uma foto para Laurie e ela comprova a sua teoria. Mais pra frente ele confronta Evie e descobrimos que Kevin está em mais um surto psicótico, e que a pessoa que ele achou ter visto na verdade era uma mulher completamente diferente.

Os surtos de Kevin não são raridades em The Leftovers, mas em geral, sabíamos que ele estava no meio de um. Nesse caso, podia ser verdade a aparição de Evie, como podia não ser. E as teorias conspiratórias que o personagem já começava a formar na cabeça se revelaram infrutíferas. Duas decepções no mesmo episódio, uma para Kevin, outra para Nora.

Chegando na metade da temporada, The Leftovers entregou possivelmente seu melhor episódio apostando na sua dupla carismática que são Justin Theroux e Carrie Coon, ao mesmo tempo que quebrou a expectativa dos telespectadores e os encaminhou para becos sem saídas. Nada de religiosidade, fins do mundo ou messias, em “G’Day Melbourne” o que prevaleceu foi a desconstrução de Nora e Kevin. Faltam só mais quatro episódios.

[spacer height=”20px”]

P.S.: A música de abertura foi This Love is Over (Este Amor Está Morto). Ok, entendemos a mensagem.
P.P.S.: O bebê deixado com Nora no ponto de ônibus pela garota que ia fazer a entrevista de emprego poderia sim ser mais um teste do grupo. Se Nora fugisse com o bebê e perdesse o ônibus que a levaria até o grupo e a máquina, significaria que ela estava pronta para seguir em frente com uma nova vida. Ela não o fez.
P.P.P.S.: Aconteceu uma grande explosão que cancelou os vôos. Talvez seja explicada na próxima semana.
P.P.P.P.S.: Semana que vem vai ter Matt, John e Laurie.
P.P.P.P.P.S.: Tommy e Jill? Onde estão vocês?