The Newsroom: uma crítica ao jornalismo

Imagem: Google Imagens

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

No ar em 5, 4, 3, 2, 1.

Continua após a publicidade

Escrito por Aaron Sorkin, o seriado produzido pela HBO estreiou em 24 de junho de 2012, com o seu fim em 14 de dezembro de 2014. Durante os seus vinte e cinco episódios, divididos em três temporadas, a série acompanha o ritmo da redação de um jornal de televisão. Mas, além de mostrar como esses profissionais trabalham, a série faz uma crítica ao jeito como alguns canais estadunidenses fazem o jornalismo, discutindo a forma sensacionalista e melodramática vinculada a cada cobertura, mesmo que o próprio autor já tenha falado que não tentou ensinar jornalismo. Junte a esta crítica casos baseados em notícias reais, um elenco afinado, entregando personagens marcantes e você receberá um seriado muito bom e apaixonante, que vai fazer até o coleguinha das exatas querer mudar para jornalismo.

Continua após publicidade

O personagem principal da série era Will McAvoy, o âncora mais rabugento que você mais respeita. Will era muito cabeça dura e fingia ser forte, mas era coração mole. McAvoy também achava que estava sempre em uma “mission to civilize“, arrancando altas risadas com sua personalidade. Outro ponto fraco é a sofrência que ele tem por MacKenzie McHale, ex namorada que depois virou produtora do News Night. Ela era a única que conseguia manter Will na linha e que batia mais de frente com ele. Foi ela a responsável por Will proferir o discurso memorável sobre os Estados Unidos não ser o melhor país do mundo, bem no primeiro episódio da série.

Continua após publicidade

O relacionamento deles era uma das melhores partes cômicas da série. Dava pra perceber o quanto eles ainda tinham sentimentos um pelo outro e como o relacionamento deles era complicado, por conta da personalidade forte dos dois. Inclusive, levou um bom tempo para os dois finalmente ficarem juntos e fazerem a alegria dos shippadores. Mas não é só esse casal que The Newsroom demorou a juntar. O melhor casal, na minha opinião, era Don e Sloan. Don era um porre no começo do seriado, namorado ruim e um produtor chato demais. Mas com o tempo, ele começou a ficar mais engraçado e levar mais a sério o namoro que ele tinha. Já Sloan era aquela pessoa meio ruim com interações sociais e sincera ao extremo, o que fazia as pessoas não gostarem muito dela.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

E por último, o pior casal, têm também Jim e a Maggie. Admito que durante a primeira temporada, Jim era meu personagem favorito. Ele era apaixonado pelo o que fazia, muito competente e até um pouco inocente. Mas com o tempo, as bads dele com Maggie acabaram virando o tema principal da participação dele e aí ficou um pouco chatoJá a Maggie era um pouco mais chatinha no começo, com uma personalidade frágil e sempre chorando porque namorava Don, mas queria dar uns beijos no Jim. Enfim, chata. Mas, depois de uma tragédia que ela presenciou durante uma cobertura, ela melhora demais. A personalidade, antes frágil, dá lugar a uma pessoa mais decidia e que se impõe muito mais. Claro que eles também demoraram muito para ficar juntos, porque The Newsroom gostava de enrolar a gente nesse quesito.

(ALERTA!!! SE VOCÊ ESTÁ LENDO, MAS NÃO ASSISTIU THE NEWSROOM POR COMPLETO, FOGE DESSE PARÁGRAFO. VAI PARA O PRÓXIMO!)

A alma de The Newsroom é concentrada no presidente de notícias da ACN, Charlie Skinner. É o personagem mais cativante do seriado, com uma personalidade extremamente explosiva. Não são raras a cena de Charlie partindo pra cima de alguma pessoa. Inclusive, a morte e o enterro de Charlie são um dos grandes acontecimentos da série. Foi inesperado e até desnecessário(?), mas marcou um período de transição e um fim emotivo ao seriado. Mas enfim, Charlie e sua história do Don Quixote ficarão  pra sempre no nosso coração. Por último, mas não menos importante, Neal Sampat completa o time de personagens da série. Neal começou sendo apenas o blogueiro da página do McAvoy, mas tinha a pretensão de virar produtor. No começo da série ele não tinha tanto espaço, mas ele começou a ganhar mais espaço com o tempo e é por conta de uma coisa que acontece com ele que a terceira temporada inteira se desenvolve.

Enfim, The Newsroom foi um seriado muito bem feito, com um elenco muito afinado e bons plots. Com romantização da profissão, uma boa dose de humor e críticas ao modo como a cobertura jornalistica se tornou extremamente apelativa e como o papel de informar está cada vez mais difícil, The Newsroom não dá nenhuma lição, mas sim questiona os métodos que as grandes redes estadunidenses estão utilizando em suas coberturas.

https://youtu.be/kp04NqmwWn4?t=1m4s