The Originals – 4×04 – Keepers of the House

Imagem: Captura de Tela/Reprodução

Continua após as recomendações

“The Hollow is here”

Mais uma vez, The Originals nos entrega um bom episódio, temperado com doses certeiras de desenvolvimento para a trama principal e suas subtramas, além de deixar cada vez mais claro que estamos só no começo de uma jornada contra uma ameaça nunca vista antes, talvez maior até do que Marcel Gerard.

Continua após a publicidade

O culto do Hollow mostrou já estar muito mais infiltrado na cidade, e seus alcance parece ir além daqueles que naturalmente o procuram ou, até mesmo até aqueles que não têm um vínculo com a magia já descoberto.

Imagem: Captura de Tela/Reprodução

Abusando de efeitos e da já consagrada iconografia com os pássaros negros, o episódio dividiu nossos Originais mudando um pouco a dinâmica das coisas. Gostei que Hayley tenha conseguido dissuadir Klaus de sair numa onda de matança e, como bônus, aproveitado para fazê-lo passar um tempo com Hope. Mesmo que não tenhamos testemunhado isso em cena, a garota passou cinco anos somente com a mãe, acho importante reforçar o vínculo dela com Klaus, testando assim a humanidade dos dois.

Noutra parte da trama, as minhas dúvidas com relação a Freya continuam a aumentar. Primeiro achei que fosse só um resquício da minha implicância com a personagem quando ela foi primeiro introduzida na série, mas vendo a maneira com que ela manipula a sua loba de “estimação” sem se preocupar com mais nada me fez lembrar bizarramente de titia Dahlia, e todos nós lembramos como isso acabou. Mesmo que ela tenha removido as amarras do anel, ainda tenho minhas dúvidas se esse lado evil dela não voltará – talvez até mesmo a serviço do Hollow.

E falando em vibes que estão retornando, mais alguém sentiu que a intensidade com que Elijah declarou que faria tudo o que fosse necessário para salvar Hope pareceu muito com a maneira com que ele falava sobre “resgatar” a humanidade de Klaus? Claro, nesse caso, parece que ele obteve sucesso para o bem de todos, mas será ele está pronto para viver novamente com a versão de si que ele escondia atrás da porta vermelha?

Deixando isso de lado, a noção de que tudo isso foi causado pelo mesmo desejo inicial que Vincent teve foi uma virada interessante. Livres da conexão com os ancestrais, realmente cheguei a me perguntar como os bruxos e bruxas de Nova Orleans estariam vivendo, e até imaginei que fossemos ver algum tipo de magia sombria que já tivesse aparecido em TVD, mas a ideia de trazer um poder grande e misterioso como o Hollow abriu possibilidades interessantes e, o melhor de tudo, igualou vampiros, lobos, bruxos, humanos e até híbridos, nada está livre do alcance dessa força.

Mesmo assim, independente da maneira com que foi iniciado, o Hollow finalmente parece ter escolhido seus dois hospedeiros. E embora isso seja um pouco decepcionante – eu realmente esperava uma nova criatura introduzida à série e essa trama de hospedeiros e trocas de corpo já foi gasta demais, tanto em TVD quanto aqui – não há mais retorno desse ponto. O grande mal desta parte da temporada se revelou, resta saber o que acontecerá daqui pra frente. See ya!

Richard Gonçalves

Richard Gonçalves

Professor de Língua e Literatura, apaixonado por quadrinhos, música e cinema. Viciado em café, bons livros, boas animações e ocasionais guilty pleasures (além de conversas sem começo, meio nem fim). De gosto extremamente duvidoso, um Reviewer ocasional aqui no Mix de Séries e Colunista no Mix de Filmes.

No comments

Add yours