The Strain – 01×02 – The Box

Strain.mix.102

Continua após publicidade

Algumas séries costumam sofrer do “mal do segundo episódio”. É um problema que acomete diversos programas que, após apresentar um piloto excelente, derrapam no capítulo seguinte. Não é o que acontece com The Strain. Depois do fantástico episódio de estreia, a nova série de vampiros do FX continua impecável. É muito cedo para qualquer afirmação, seja ela positiva ou negativa, mas se tivesse que apostar meu dinheiro, diria que The Strain caminha para ser uma das melhores estreias do ano.

Continua após a publicidade

O segundo capítulo continua explorando as ideais lançadas no piloto e já podemos perceber que a série será, assim como House of Cards, Breaking Bad e diversas outras, um longo filme de treze horas de duração. Os episódios são ligados uns aos outros e é importante estar atento para não perder detalhes e cenas que poderão ser importantes no futuro. No recente The Box continuamos acompanhando Eph e Nora atrás da verdade acerca do incidente envolvendo a morte de diversas pessoas em um avião. Já podemos perceber, por exemplo, que os epidemiologistas estão lidando com coisas muito maiores do que esperam. E não falo apenas sobre o “vírus” e os monstros, mas o fato de que muita gente poderosa quer manter o incidente escondido embaixo dos panos. É aquela velha história dos heróis indo em busca de uma verdade que só alguns querem desvendar. Temos também Abraham Setrakian, o colecionador e vendedor de relíquias que sabe mais do que qualquer um na trama: ele sabe o que está acontecendo e sabe quem está por trás; O Mestre, como é chamado o líder dos vampiros, é um velho conhecido.

Continua após publicidade

Para quem leu os livros, as pistas soltas neste segundo episódio são mais perceptíveis. Setrakian é judeu e passou por campos de concentração durante a segunda Guerra Mundial. Podemos esperar mais à frente, portanto, assim como nos livros, flashbacks mostrando o jovem Abraham conhecendo o poder dO Mestre. Outro fato que já vai ficando explícito é o envolvimento de Eldritch Palmer (o velho milionário e doente) com a chegada do chefe dos vampiros. Pelo que podemos ver, é Palmer o responsável pela viagem dO Mestre até os Estados Unidos e que há um acordo entre as partes. Todo esse envolvimento com o homem mais rico da cidade pode ser um dos fatores que determinaram a estranha decisão de liberar os poucos sobreviventes do voo, acobertando o que poderia ser uma fatal epidemia.

O Mestre se revela
O Mestre se revela

Aos poucos, então, vemos os sobreviventes infectados voltando à sua rotina, prontos para espalhar o vírus dos vampiros entre a população. The Strain, assim, caminha a passos largos em sua narrativa. Extremamente fiel ao material original, a série revela os monstros e os personagens com cuidado. Não há diálogos expositivos que revelam o passado dos personagens. Cada um é apresentado de forma orgânica, sem excessos, mantendo alguns mistérios para o futuro. Descobrimos agora, por exemplo, que Eph é um ex-alcoólatra e que Setrakian tem um passado bem mais enigmático do que se previa. É um desenvolvimento de personagens elogiável, que investe na sutileza e na inteligência do espectador, sem apelar para o exagero, para o excesso.

Continua após publicidade

The Box, portanto, foi importante para avançar satisfatoriamente a trama e apresentar outro personagem central (e um dos melhores da mitologia): o exterminador de pragas Vasily Fet. Sua profissão o leva a túneis e aos cantos mais escuros da cidade, o que o fará encontrar os vampiros, a nova praga a ser dizimada. The Strain, enfim, continua com aquilo que vários chamam de “qualidade cinematográfica”, com direção, fotografia, montagem e efeitos especiais e de maquiagem excelentes. É uma série de primeira linha. Torçamos que continue assim!

Primeiro melhor momento do episódio: O Mestre mostra sua voz e se revela a Palmer em uma cena absolutamente assustadora e bem orquestrada. A tensão é incrível!

Segundo melhor momento do episódio: Para esvaziar um restaurante infestado de pragas, Vasily Fet abre um saco, tira um rato enorme de dentro dele e mostra aos clientes que comiam no local. Uma cena que descreve rápida e organicamente o perfil do personagem.

Terceiro melhor momento do episódio: A boa filha à casa torna. E mata o amado pai sem dó nem piedade. A cena arrepiante cena final encerra mais um brilhante episódio.

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.