The Strain – 01×06/07 – Occultation/For Services Rendered

mix.strain

Continua após as recomendações

E o eclipse chega a The Strain mais rápido do que imaginávamos. Na última review, destaquei a imagem que encerrava o sexto episódio e que, quase subliminarmente, trazia um pôster que prenunciava o eclipse que vimos no sétimo capítulo. Eu não esperava que o evento acontecesse logo no episódio seguinte, mas foi isso que vimos. Sem amarras, portanto, The Strain já nos revela um dos principais acontecimentos de seu primeiro ano; e preciso dizer que o eclipse e todas as suas consequências me decepcionaram um pouco. Toda a sequência, desde o início, quando o sol começa a ficar escondido, até o final, é linda, sendo bem dirigida e estupendamente fotografada. As cenas durante os estágios inicias do eclipse ganham um tom alaranjado que cedem espaço a um dia nublado, mas não totalmente escuro. São cenas realmente muito bem filmadas.

O ritmo também é ótimo; tensão, movimentação e perigo. Mas ainda que tecnicamente irrepreensível, o grande acontecimento acabou não chamando muito atenção. No livro, por exemplo, o evento tem uma importância muito maior, com fatos assustadores e reviravoltas importantes na trama. A princípio, nada do que aconteceu durante a ocultação solar parece afetar a trama central. É claro que muito pode ter acontecido e nos será mostrado em capítulos posteriores, mas ainda acho que o eclipse poderia ter sido mais bem explorado. Algo que não foi discutido neste episódio, por exemplo, é a cegueira causada em pessoas que usavam óculos de proteção danificados. Caso você se lembre, a ex-mulher e filho de Eph usavam óculos durante o eclipse, para poder olhar para o sol sem prejudicar a visão. Pois bem, alguns óculos foram propositalmente danificados, mas nada disso foi mostrado. É bem possível que isso retorne no futuro e seja desenvolvido.

Continua após a publicidade

mix.strain.occultation

Occultation, ainda que aquém das expectativas, é um ótimo episódio. For Services Rendered, o sétimo capítulo, porém, é uma excelente hora televisiva. Eph, Nora e Abraham estão definitivamente formando um grupo. É bem verdade, porém, que o ceticismo de Eph incomoda. Entendo que qualquer pessoa sensata e ligada à ciência como ele, teima em não acreditar em palavras e termos como strigoi, vampiros, Mestre, entre outros, mas sua incredulidade não funciona na narrativa, apenas atrasa. Setrakian e Eph, ainda que possivelmente tenham uma ótima relação no futuro, parecem não se gostar muito nesse início de caçada. Abraham, aliás, segue como o melhor personagem de todos. É engraçado e marcante vê-lo dizer que Eph deve acreditar nele, pois ele já se provou certo em outras ocasiões; é um argumento que deixa Eph sem palavras. Nora e Jim, por outro lado, ficam relegados à tangente narrativa: não atrapalham nem ajudam. Nora é uma personagem que gosto bastante; muitos dos que acompanham a série odeiam a coitada, mas eu sigo satisfeito com ela até aqui.

O sétimo episódio foi eficiente, também, ao mostrar o passado de Setrakian e sua relação com Eichorst. É uma grande sacada, por exemplo, o fato de que Abraham foi quem esculpiu cada ornamento do enorme caixão do Mestre. Todo esse envolvimento de Setrakian com o universo dos vampiros e o fato de ter sobrevivido a isso, o torna o humano que mais conhece os strigoi. Não há no mundo um homem que tenha sobrevivido tanto tempo à essa ameaça e que saiba tanto sobre as criaturas da noite. Isso, além de aumentar a importância do personagem dentro da série, o aproxima do espectador, o torna ainda mais humano e mortal.

Reviravolta inesperada do episódio: um grupo de strigoi justiceiros surge no fim do capítulo, salvando humanos indefesos e matando monstros recém criados. Nos livros, este grupo é importantíssimo dentro da trama e tem ligação direta com o Mestre. Não esperava que eles fossem aparecer tão rápido e de uma maneira tão impactante. Mas paro por aqui, deixarei a série mostrar quem eles são e quais os seus planos.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours