The Vampire Diaries – 7×22 – Gods & Monsters [SEASON FINALE]

tvd-7x22

Imagem: TV After Dark

Everybody loves Bonnie! É dessa forma que começo essa minha última review da sétima temporada de The Vampire Diaries. Com Elena fora da história, após a saída de Nina Dobrev, eu apostava alto que a protagonista feminina do show seria Caroline, principalmente por conta dos rumos que a relação dela com Stefan estavam tomando na reta final do saudoso e glorioso sexto ano, porém me enganei lindamente. Com a inusitada gravidez de sua intérprete, Candice King, titia Plec teve que mexer seus pauzinhos pra mudar os rumos de muita coisa e, vamos convir, que muita coisa ela acertou.

Essa Season Finale serviu para nos mostrar enfim o tão reconhecido destaque, que nossa bruxa da boca torta finalmente mereceu ganhar, depois de sete anos. E, apesar de tudo isso, finalmente ela teve o merecido destaque nessa temporada, mesmo que na primeira metade ela ainda estivesse meio como coadjuvante ainda, mas sua evolução no passar dos episódios foi simplesmente impressionante. A personagem estava ali pelos outros, ajudando todo mundo, sacrificando sua vida inúmeras vezes para tentar trazer o equilíbrio a Mystic Falls.

Sinceramente, eu fiquei muito feliz que o foco todo do episódio tenha sido justamente todos movendo céus e terras, com diversas alternativas possíveis, para salvar Bon Bon. Depois de muito tempo, parece que o jogo virou, não é mesmo? Porém algo me incomodou um pouco, as oscilações que ela foi sofrendo no decorrer do episódio. Era previsível que a velha Bonnie, ali no fundo, tentaria lutar contra seu lado caçadora a todo custo, mas ainda esperava um pouco mais do lado totalmente badass seu, mesmo que nos minutos iniciais.

Continua após a publicidade

Imagem: TV After Dark

Imagem: TV After Dark

Depois de muita enrolação, finalmente as coisas entre Caroline e Stefan começaram a entrar nos eixos. Eu vibrei e muito, pois vê-los naquela situação desconfortável não estava sendo nada legal, mas é claro que tudo foi na medida certa, sem saltos precipitados. A cena deles na porta do Arsenal, e a preocupação da vampira ao vê-lo entrando no local com Damon, foi a prova clara que depois que tudo aquilo acabasse, que as coisas entre eles finalmente ficariam tudo bem. Quer dizer, mais ou menos, mas no final da review vocês saberão o porquê.

Quando li no começo da semana que as pequenas Lizzie e Josie teriam papel fundamental nessa Season Finale eu fiquei um pouco receoso, com medo de que algo pudesse acontecer a elas, mas ainda bem que as duas foram importantes, mas de uma forma pura e não prejudicial. Falando nesse clima fraternal, o que foi a cena de Stefan e Damon juntos no Arsenal? Definitivamente foi um verdadeiro acerto de contas entre ambos, verdades ditas e admitidas, porém tudo soou ao mesmo tempo num tom de despedida, o qual não gostei nenhum pouco.

Damon cumpriu com sua promessa, e matou o último Eterno do ritual de Rayna, livrando sua melhor amiga do fardo de Caçadora. Só que antes disso acontecer, alguém pode me explicar o embate entre Bonnie e Enzo. O vampiro foi muito esperto em atrair a amada, como forma de dar tempo aos seus amigos para executar o único plano que ainda restava para salvá-la. Quando ela acertou a estaca no peito do rapaz, eu juro que fiquei muito aflito aqui. Quem diria que um personagem tão avulso nas duas temporadas anteriores teria um avanço tão surpreendente, protagonizando ao lado de Bon Bon já um dos casais mais icônicos da história de The Vampire Diaries? E o que foi ela lutando contra o fato de ter que matá-lo? Olha, pra mim esse foi o ápice do episódio, e ainda bem que deu tempo de eliminar tal fardo dela de uma vez por todas.

É claro que isso não se encerraria da forma mais amistosa possível, e que alguma consequência viria à tona, e foi dito e feito. Damon foi hipnotizado por uma suposta voz de Elena e, quando deu para ouvir a mesma, um mix de emoções aconteceu, ainda mais com um flash de diversos momentos da personagem ao lado do vampiro, mas passou rápido. Na tentativa de salvar o amigo, Enzo acabou também sendo prejudicado por algo extremamente arrepiante e misterioso. Com isso, a dupla ficou presa e, quando finalmente conseguiram abrir o cofre do Arsenal, todo que estavam ali haviam sumido, especialmente eles.

Nos instantes finais houve uma passagem de tempo, que mostrou uma onda de assassinatos ocorrendo, e os dois de uma forma totalmente sanguinária. A cena final muito me lembrou a da Season Finale da segunda temporada, com Stefan e Klaus, mas dessa vez eu tenho uma teoria. Uma das abordagens do oitavo ano, pelo menos a princípio, possa ser sobre os demônios kitsune. Quem leu os livros que originaram a série, mais precisamente a continuação da história, lançada após o início da atração televisiva, vai se recordar de tal ameaça que movimentou a nova trilogia literária.

Se realmente foi isso ou algo semelhante, é o que definitivamente estava faltando, e assim, TVD estará pronta para que a próxima temporada, seja realmente a última. Foi uma Season Finale de tirar o fôlego, mas tenho admitir ser a mais fraca, comparada a todas as anteriores, e olha que esse sétimo ano foi teve uma história que soube prender, e foram poucos os tropeços apresentados.

P.S.: Alguém vai sentir falta do Matt? Tchau, querido! Apesar de achar que ele acabará voltando, aquilo é pior que praga.

Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours